sexta-feira, 26 de agosto de 2011

SEJA GENTIL, SEJA EDUCADO

Passei quase cinco horas em um posto de Pronto Atendimento de um hospital onde minha esposa foi atendida e medicada. Quase cinco horas é bastante tempo. Li, ouvi meu IPod, olhei meu celular por diversas vezes, tirei até um cochilo, olhei o movimento das pessoas e dos carros, contemplei pessoas assentadas em mesas de um bar fazendo suas refeições, pessoas se encontrando, chegando e saindo, conversando e por aí vai, pais e filhos, crianças e adultos.. Passei a observar cada uma delas. Com isso em mente cheguei a algumas conclusões sobre as quais discorro aqui.


Sorria para as pessoas. Elas não têm culpa e nem estão relacionadas com as circunstâncias adversas que te sobrevém e se tiveram qualquer relação, olhar sisudo e ameaçador, rugas na testa e semblante caído não irão mudar tais circunstâncias.



Pare seu carro na faixa para pedestres e permita que eles atravessem com segurança. Nessa luta de pedestres contra os carros, aqueles sempre levam desvantagem.


Se te tratarem humilhantemente, pense que de nada adianta reagir na mesma proporção. Uma reação inadequada só irá piorar a situação. Respire fundo, olhe com amor para teu ofensor e “vingue-se” sendo cordial. Ser gentil em atitudes favoráveis é algo fácil de praticar, mas nas situações desfavoráveis é que mostramos o quão nobre é o caráter da gente. Por outro lado não permita que a forma com que te tratam venha moldar tua atitude. Mario Quintana escreveu:

Não te irrites, por mais que te fizerem

Estuda, a frio, o coração alheio

Farás, assim, do mal que eles te querem

Teu mais amável e sutil recreio”.


 Esse poema foi uma gentil cooperação do meu irmão Marcos J. S. Vansconcelos, pelo que também gentilmente agradeço.


Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...

---
Mário Quintana

Dê passagem para quem vem em maior velocidade atrás de você. Nunca se sabe por qual drama e momento atravessa aquele condutor. Pode ser que esteja indo a um velório de alguém querido, ou ao hospital visitar um parente ou amigo, ou pode ser que esteja atrasado para algum compromisso importante. Se for o caso de ter em sua traseira alguém que irresponsavelmente ama a velocidade, é melhor mesmo deixar que ele passe a sua frente e não ande atrás de você.


Se houver pessoas idosas, mulheres, pessoas com algum tipo de limitação, abra o caminho, abra a porta, ceda seu lugar, acenda a luz, puxe um assento e ofereça. Se elas não quiserem, insista. Há pessoas muito tímidas e para ser sincero o mundo não está mais tão acostumado com esse tipo de atitude.


Cumprimente as pessoas. Quem chega é que tem essa obrigação. Estenda a sua mão, olhe para o rosto da pessoa e sorria. Você não pode imaginar que diferença isso pode fazer para facilitar a conversa e o relacionamento.


Quando for pedir algo a alguém, peça, por favor. Se você pensa que o mundo lhe deve alguma coisa e você não pediu para nascer, saiba que estás redondamente equivocado. Todavia, ainda que alguém te deva um favor, dizer, por favor, pode fazer com que essa pessoa aja de uma forma muito mais solícita e benfazeja. Creia nisso.


Agradeça quando receber um benefício ou uma ajuda qualquer. Muito obrigado é uma forma verbal de mostrar gratidão. Se há uma atitude na qual podemos exagerar, essa é a gratidão. A gratidão é a memória do coração. A gratidão é o antídoto contra a amargura. Seja sempre grato. Quando você agradece sinceramente, deixa uma porta aberta para receber outros benefícios porque as pessoas gostam de saber o quanto foram úteis.


Quando for fazer a refeição não seja o primeiro a se servir. Espere que outros se sirvam. Não encha o teu prato. Em Provérbios 23.1,2 lemos: “Quando te assentares para comer com um governador, atenta bem para aquele que está diante de ti; mete a faca à tua garganta, se és homem glutão”.


Espere o momento certo para falar. Não é elegante interromper a fala do outro. Seja econômico em sua fala. Em Provérbios 10.19 lemos: “No muito falar não falta transgressão, mas o que modera os lábios é prudente”. Ainda em Provérbios 17.28 lemos: “Até o estulto, quando se cala, é tido por sábio, e o que cerra os lábios, por sábio”.


Nunca diga nada que venha de uma, ou de outra forma, destruir ou denegrir a imagem de quem quer que seja, Pode ser até que suas considerações se baseiem na verdade, mas se ela destruir a reputação do outro é melhor se calar. Há um ditado popular que diz: “Ouvir é ouro, calar é prata, falar é lata” e eu particularmente creio que esse ditado se aplica muito bem nessa questão.



Fale em tom normal e evite gritar. O melhor mesmo é sempre falar em tom normal. Se você está conversando com uma pessoa em público, porque é que os outros devem ouvir o que você está dizendo? Normalmente gente que gosta de falar alto é porque quer chamar a atenção dos outros, mas isso não é visto com bons olhos. Mas também não cochiche em público. É indelicado agir assim e muitas pessoas podem pensar que você está falando delas. Talvez fosse o caso de esperar outro momento para dizer alguma coisa que você não queira que outros ouçam. A intimidade tem seu lugar próprio.



Viver é uma arte e é preciso saber viver bem e de bem. A pessoa gentil e educada é sempre uma pessoa bem vinda e que quando parte deixa saudades e boas lembranças. Vi muitas situações naquele ambulatório de Pronto Atendimento e nas circunvizinhanças. Foi cansativo e estava apreensivo por conta da enfermidade de minha querida esposa. Mas foi pedagógico, muito pedagógico. Ela saiu de lá medicada e eu sai dali com lições que espero me façam um sujeito mais gentil e mais educado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário