segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

PROFECIAS E PROFETADAS, GURUS AOS MONTÕES: NO MUNDO E NA IGREJA.



Chegamos ao final de mais um ano. Como sempre digo em ocasiões como essa; contar o tempo é coisa de criaturas. O criador é atemporal, eterno, se basta, é auto existente. Isso nós sabemos pela leitura da Bíblia, ou seja, isso não é uma dedução como resultado de nossa contemplação filosófica. E como criaturas limitadas ao tempo, já que nascemos, vivemos e morremos, temos o nosso jeito de mensurar essa existência.

Deixa-me dizer, (como alguém que crê que a Bíblia é a Palavra de Deus), que eu creio que a morte não é o fim de tudo. A morte encerra nossa vida aqui nesse mundo, nessa dimensão, mas eu creio na imortalidade da alma. Quando eu falo do tempo eu estou pensando, por exemplo, nos 365 dias que compõem o ano (o bissexto tem 366 dias).

E assim, chegamos a mais um final de ano. Deixaremos para trás o ano de 2018 e entraremos pelas portas do ano 2019. Quem diria! Alguns acreditavam que o mundo ia acabar em 2000, outros vaticinaram que o mundo se acabaria em 2012. Tem até um filme com esse título – 2012. Esse assunto é fascinante.

Há alguns anos um “pastor maluco”, coreano, vaticinou que Jesus iria voltar naqueles dias. Os membros de sua Igreja venderam o que possuíam e foram para a Igreja esperar Jesus. Ora, quer lugar melhor do que esse para esperar Jesus? Mas, como todos nós sabemos, Jesus não voltou. Que decepção! (Outros já cometeram esse mesmo erro). Então o tal “pastor” disse que ele havia errado o cálculo porque na verdade ele deveria ter levado em consideração o calendário hebraico e não o gregoriano promulgado pelo papa Gregório em 1582. E não é que o povo entrou nessa de novo! E Jesus não voltou! Quem crê da forma correta e bíblica sabe que dia da volta de Jesus é um mistério oculto que só Deus o Pai sabe.

Eu citei essa história porque ela é ilustrativa do que acontece todos os finais de ano. O que não falta são os prognosticadores, o “profetas”, os vaticinadores, os gurus, os guias espirituais falando como será, o que acontecerá no ano novo. Mas na verdade eles não sabem de coisa nenhuma. Na verdade eles dão chutes esperando que, no meio de tanta sandice e tolice, alguma cole, alguma coisa encaixe e ele se torne uma referência.

Vocês devem se lembrar da tal “mãe Dinah” que, segundo alguns, havia falado sobre a morte do grupo Os Mamonas Assassinas. Eu não tenho dúvida nenhuma de que aquilo foi um chute. Anos mais tarde ela se candidatou a um cargo político, mas o que ela não sabia é que não seria eleita. Recentemente ela vaticinou a morte de Lula e a eleição de Fernando Haddad.

Ninguém sabe o que vai acontecer no ano novo. Somente Deus sabe o que nos reserva os acontecimentos de hoje e de amanhã. Nessa questão ninguém (cartomantes, gurus, “profetas e profetizas”) sabem. O mais saudável e não dar bola para esse tipo de aproveitador e oportunista de plantão.

Bem, já sei, você então vai me perguntar sobre os Profetas da Bíblia. Como eu explico os Profetas! Bem eu quero dizer a você que a maioria compreende muito equivocadamente o que era um Profeta. Um Profeta era também chamado de “o boca de Deus”, ou seja, aquele por meio de quem Deus fala. Infelizmente, a grande maioria reduz a atividade do Profeta em vaticínios, em declarar acontecimentos que irão ocorrer no futuro, mas essa não era a única função do Profeta, e mesmo esses vaticínios eram até fáceis de serem cridos. Veja por exemplo o caso do Profeta Habacuque. Ele reclamou com Deus a respeito da situação caótica de Judá. Deus respondeu a ele: “Habacuque: se você acha que está ruim, prepare-se porque vai ficar pior. Eu vou mandar um povo muito poderoso, que não se importa com mais ninguém avançar contra o seu povo. São os Caldeus (os Babilônicos). Esse povo é terrível! Eles são impetuosos e cruéis”.  (Minha adaptação de parte de Habacuque 1)

Mas qualquer pessoa, mesmo daquele tempo, sabia do crescimento e do poder da Babilônia. Aquele era o grande império daqueles dias. O sítio e a destruição de Jerusalém seriam inevitáveis. Se existisse a CBN ou a BBC naqueles dias, seus comentaristas de geopolítica ou política externa iriam noticiar esse evento como bem possível.

Mas é claro que há Profecias que são diferentes dessa. Há acontecimentos que Deus dizia que iriam ocorrer, por boca do Profeta. E o Profeta tinha que dizer ao povo, alertar ao povo. Um caso notável é o de José quando interpretou os sonhos do copeiro mor e do padeiro mor. E tudo aconteceu como ele, José, havia predito.

Entretanto, em Israel,  havia uma regra, meus prezados leitores, que devia ser observada. A regra era a seguinte: Se alguém se auto intitulasse Profeta e dissesse: - “Deus disse assim” e a profecia não se cumprisse ele seria morto (Deut, 18.10-22). Assim é que, a tal mãe Dinah, por exemplo, seria morta porque ela errou quanto a dizer que Lula iria morrer (ele vai, apenas não foi quando ela disse que ele iria), e que Haddad seria eleito Presidente do Brasil.

Assim deveriam morrer muitos “profetas”, “vaticinadores”, “gurus”, que nesse final de ano vão desandar a dizer o que nos espera em 2019. E é possível que, no oceano profundo dos prognósticos e vaticínios, um ou outro ocorra, mas com a mais absoluta certeza, a grande maioria não irá acontecer.

Mas eu quero falar também sobre o que acontece nas Igrejas com as tais “profetizas”, os tais “profetas”, as tais “revelações”. Salvaguardando as devidas proporções (se compararmos com as dos “profetas de final de ano”.), esses também não devem ser levados a sério. Em toda minha trajetória de vida cristã eu só vi e ouvi desastres e tragédias por causa das tais profetadas. Sei de um caso em que o esposo recebeu uma palavra de profecia de que sua mulher o trairia. O resultado foi exatamente o contrário, ou seja, ele traiu sua esposa. Eles se separaram e até hoje (já se passaram mais de trinta anos) a esposa traída continua sozinha. A família foi esfacelada por causa de uma profetada.

Certo dia minha filha me disse que uma pessoa lhe procurou dizendo que Deus havia revelado a ela algo a seu respeito. E disse que era algo muito bom. Parou nisso. A conversa, felizmente, não progrediu. Minha filha então ligou para mim e perguntou como ela deveria agir. Eu disse a ela que se a pessoa a procurasse que ela deveria dizer: - Irmã: essa revelação está na Bíblia? Se a mulher lhe respondesse que não, então ela deveria dizer: - Então querida, não precisa me dizer. Se essa revelação vem mesmo de Deus não será por você não me dizer que não se cumprirá, não é verdade? Afinal, como diz a Bíblia, Deus não é homem para mentir e nem filho de homem para se arrepender.

O que ocorre, tristemente, é que esse tipo de atividade tem como objetivo angariar notoriedade, proeminência. Quando uma pessoa diz que Deus revelou algo a ela que não está na Bíblia, ela está dizendo que Deus lhe deu foro privilegiado, mas o Deus da Bíblia não age assim. O que a pessoa que age assim deseja é que vejam nela um ser especial, um “guru”, uma “referência espiritual”. O objetivo é receber glória humana, é ter admiradores. Tudo isso gira em torno do próprio homem. Isso não tem nada a ver com Deus.

Jesus, no final do Sermão do Monte, diz que muitos se apresentariam como profetas, mas estes tais são lobos travestidos de cordeiro. Jesus os chama de lobos roubadores. Jesus dá uma dica de como podemos identificar se são ovelhas de fato, ou lobos disfarçados de ovelhas: “Pelos frutos os conhecereis”. Jesus até aventa a hipótese de que eles fizeram vaticínios que se cumpriram, outros até milagres fizeram, outros até exorcizaram, mas Jesus diz algo a eles de extrema relevância: “Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”. (Mateus 7.15-23). Jesus diz: Vocês são lobos roubadores. Vocês são ovelhas fakes (falsas).
 
Não existe mais revelação como aconteceu até João, o último apóstolo. Não há mais profetas no sentido em que existiu Profetas em Israel, mormente no período Vétero-Testamentário. Hoje profetizamos quando interpretamos e expomos corretamente a Bíblia, a Palavra de Deus, a Revelação Especial de Deus. Jesus foi a derradeira e completa revelação de Deus Pai (Hebreus 1.1-4).Quando anunciamos a Palavra de Deus correta e fielmente, Deus usa nossa boca, fala por nossos lábios. Assim, se advertirmos o pecador de que ele deve se arrepender dos seus pecados e crer em Jesus, única e exclusivamente, é necessário que ele o faça com a maior urgência possível, pois se morrer sem ter se arrependido e crido em Cristo como seu Senhor e Salvador, ele irá viver a eternidade no inferno, em um lugar onde Deus não manifestará sua presença abençoadora. O homem viverá no inferno como deseja viver – senhor do seu próprio caminho, fazendo suas escolhas e tomando suas decisões sem ter que dar satisfação a qualquer ser superior. O homem então será mesmo a medida de todas as coisas. O resultado será terrível!

Se nesse final de ano alguém tentar lhe dizer sobre o que acontecerá em 2019, ou mesmo se um irmão disser que tem uma profecia baseada em qualquer revelação que Deus “privilegiadamente” lhe deu, recuse-se a dar ouvidos, e nem divulgue tais coisas. Essa é uma armadilha humana de origem maligna, nascida no Éden, quando a serpente disse a Eva: “É certo que não morrereis”. (Gênesis 3.4b)

Rev. Mauro Sergio Aiello
Primavera de 2018 / Mogi das Cruzes
06H00 do dia 16.12.2018


quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

DEZEMBRO CHEGOU! É NATAL!!!


Chegamos a mais um final de ano. 

Chegamos ao mês de dezembro, o mês mais encantador do ano por causa do Natal. 

A cidade fica mais iluminada, as pessoas se tornam mais gentis, as expectativas das famílias se reunirem e se confraternizarem amolecem nossos corações.

Chegamos ao mês em que as lojas ficam super-lotadas de pessoas ávidas por gastar uma parte do seu décimo terceiro salário. Vemos as pessoas com sacolas saindo dos supermercados, os frezzeres  com seus perus e chester congelados mais procurados, as bancas com as frutas próprias do final de ano (pêssego, ameixas vermelhas, melancias, mexericas, mangas, abacaxis, etc....) competitivas, os carrinhos cheios de panetones, chocotones e outros “tones”, fazendo o mês de dezembro ser um mês de esperança para os comerciantes.

Não vejo nada de errado em tudo isso se entendermos que isso faz parte do Natal, mas que o Natal vai além disso; muito além disso. Natal é a época em que nos lembramos de uma forma mais específica que Deus se vestiu de homem, assumiu a forma humana, nasceu em um lugar muito simples, como filho simplesmente de Maria & José, em uma cidade sem importância econômica, geográfica na região da Judéia. E Deus veio habitar entre nós como Emanuel (Deus Conosco), para levar a bom termo o plano de nossa redenção. Ele veio para cumprir seu plano de resgate daqueles que o Deus Pai escolheu antes da fundação do mundo para serem mais do que criaturas e passarem a gozar o status de Filhos de Deus.

O cristianismo se distingue de todas as demais religiões porque o seu fundador foi pré-anunciado, preconizado, profetizado e tudo se cumpriu como fora dito. Jesus não nasceu em um palácio, mas é o Rei dos Reis. Jesus nasceu em um berço de ouro, mas é o Senhor dos Senhores.

Que pobre mundo seria esse o nosso se Jesus não tivesse nascido. Que mundo sem esperança e sem brilho seria o nosso se Jesus não tivesse nascido. O mês de Dezembro seria como qualquer outro, mas ele é o mais encantador de todos porque nele comemoramos o nascimento do Salvador, do maior de todos os heróis da história aquele que venceu o mais poderoso inimigo do homem – a morte. Então coma, beba, dê e receba presentes, ilumine tua casa, confraternize,  mas não te esqueças que isso só é possível porque Jesus nasceu. Feliz Natal!

Rev. Mauro Sergio Aiello & Família

terça-feira, 30 de outubro de 2018

UMA RESPOSTA A ANTONIO CARLOS COSTA







Tire suas conclusões.

BOLSONARO - HITLER DO SÉCULO XXI?



Eu acompanhei as opiniões de muitas pessoas nesse período de eleição para Presidência da República. Li, ouvi, observei com muita atenção.

Eu já havia me decidido votar em candidatos que jamais tivessem sido eleitos para qualquer cargo político (Deputado Federal, Estadual, Senador, Governador e Presidente). Eu defendo a tese de que a embocadura dos nossos políticos é muito ruim e que eles se corrompem e corrompem com enorme facilidade.

Assim que surgiram os nomes dos 13 candidatos à Presidência, dentre aqueles que se encaixavam nesse perfil, ou seja, nunca tinham sido eleitos e cumprido mandato político,  o que mais me chamou a atenção foi Amoedo.

Então eu deixei rolar e comecei prestar a atenção em nomes para os outros cargos.

Entretanto a coisa pegou quando percebi o estratagema utilizado pelo partido dos trabalhadores. Eles sabiam, e todos sabiam de cor e salteado, que Luiz Inácio Lula da Silva não poderia ter o seu nome homologado como candidato à Presidência por ter sido condenado em primeira e segunda instância e ter, assim, sua candidatura impedida pelo TSE.

Já se ouvia a “boca pequena” aqui em São Paulo que se isso acontecesse (e todos sabiam que iria acontecer), o outro nome mais viável, dentro do partido, era o de Fernando Haddad. Ouvimos falar em Jacques Vagner, mas o governador baiano declinou.

E quando o nome de Fernando Haddad foi homologado pelo PT como candidato à Presidência, eu tive que mudar meu voto. Eu tive que escolher dentre Alckmin, Álvaro Dias e Meirelles.

Fiquei atento por um tempo e quando os debates começaram, eu abri meus olhos e ouvidos.

Então eu vi um Alckmin fraco, em meu entendimento, acovardado, meio que entregando os pontos para o PT. O mesmo que fizera quando perdeu em segundo turno para Lula na reeleição deste em 2006.

Vi também um Meirelles sem aquele traquejo de líder. Enfim; não me “encantei”.

Vi Álvaro Dias indo bem nos debates, mas parece que lhe faltava algo mais. Talvez mais apoio do seu próprio Estado.

Não vou nem falar de Marina e tampouco de Ciro Gomes. Esses eram cartas fora do baralho com a mais absoluta certeza, bem como é claro, Haddad. A questão com esses três candidatos é: ideológica, moral, e ética. Mas o pior deles mesmo é Haddad.

Como passaram para o segundo turno, Bolsonaro e Haddad, eu que já tinha votado em Bolsonaro no primeiro turno por uma questão de análise do quadro, e querendo me ver livre do perigo imenso que era continuar com PT, PSDB, PMDB, PC do B no poder, optei por votar também no segundo turno em Bolsonaro.

Como vocês podem ver, meu voto foi voto útil, político. Bolsonaro não era minha primeira opção, mas votar em um candidato sem nenhuma chance de chegar ao segundo turno com Haddad seria o mesmo que manter o PT no poder.

O que eu tinha contra o Bolsonaro para não o ter como meu candidato logo de cara? Ora; não me simpatizo com o jeito despachado dele falar, se pronunciar. Eu aprecio mais pessoas menos debochadas, mais cavalheiras, mais educadas. Para mim Bolsonaro deixava a desejar nesse sentido. E eu ainda acho que ele deixa a desejar. Como Presidente eleito, terá que mudar muito de atitude. Espero que seus assessores o ajudem nesse sentido. Percebi que durante a campanha ele deu uma maneirada.

Mas daí dizer que Bolsonaro incita a violência é proferir mau testemunho contra o próximo.

Debati com uma moça na internet que alegou justamente isso a respeito de Bolsonaro. Pedi a ela que me mandasse vídeos nos quais ele demonstrava estar incitando a violência. E, para minha surpresa, ela mandou alguns vídeos. E eu fui à luta. Ora, chamei para a discussão, agora tinha que arcar com os danos, raciocinei. Procurei os vídeos na íntegra e descobri que algumas falas de Bolsonaro foram tiradas dos contextos e dai parecia que realmente ele demonstrava uma certa misoginia, homofobia, intolerância. Entretanto, quando analisadas dentro do contexto com que essas falas aparecem, dá para perceber que se tratava de um truque no qual se buscava pintar o personagem (Bolsonaro) com outras cores e tons que não as cores e tons que realmente deveriam prevalecer se analisadas no contexto completo.

O tempo foi passando e eu observando tudo ao meu redor. Vi que palavras como – homofobia, fascismo, misoginia, racismo, tortura, violência, intolerância, ódio, foram sendo usadas de sobejo por seus adversários políticos e foram acentuadas no segundo turno. Em outras palavras – foi com essas cores que pintaram esse personagem chamado Jair Messias Bolsonaro. Cores fortes e patentes. E sinceramente, se esse personagem fizesse jus a esses adjetivos, ele seria um dos piores candidatos que o Brasil já teve para a Presidência da República.

Quando esses adjetivos começaram a ser usados para se referir ao adversário político, eu me pus a lembrar do impeachment de Dilma em que, de repente, apareceu o adjetivo - GOLPE! GOLPE!, para se referir ao processo no qual em Agosto de 2016 Dilma foi obrigada a deixar a Presidência.

Bem, na verdade o golpe mesmo foi dado pelo Senado presidido pelo Ministro do STF, Ricardo Lewandowski que acabou por fatiar o artigo que penalizava Dilma com o impeachment, com inelegibilidade e a perda de outros benefícios, Ela foi impedida de continuar na Presidência, mas continuou a desfrutar dos benefícios e ainda manteve a condição de poder se candidatar a cargos públicos. E ela o fez tendo recebido do povo mineiro a justa retribuição por ter vilipendiado economicamente esse país. Ela foi rejeitada nas urnas quando se candidatou ao Senado pelo Estado de Minas Gerais.

Mas voltemos às vacas frias. Voltemos aos adjetivos utilizados para definir o candidato Bolsonaro. Com a mais absoluta certeza se formos analisar a trajetória política desse Deputado Federal, já em seu sétimo mandato, podemos acusa-lo como já fiz aqui de, debochado, de não ter travas na língua, de ser descuidadamente legítimo em seus pronunciamentos, intempestivo as vezes em suas opiniões, mas pelo amor de Deus: homofóbico, fascista, misógino, racista, apoiador da tortura, incitador da violência, intolerante, e inspirador do ódio, NÃO.

Atentem para o fato de que se ele fosse tudo isso mesmo, ele não estaria no seu sétimo mandato como Deputado Federal de um Estado importante da União – Rio de Janeiro.

Se ele fosse tudo isso haveria mais provas contundentes a esse respeito do que pedaços de vídeos tirados do seu contexto maior como, por exemplo, aquele no qual ele se refere ao Coronel Ustra, chefe do DOI-CODI e torturador confesso.

Qualquer pessoa justa, honesta e equilibrada deveria se perguntar por que Bolsonaro fez, em um plenário do Congresso Nacional, uma referência a esse Coronel.

Não, Bolsonaro tem seus defeitos, mas esses defeitos que assacam contra ele é apenas uma jogada de marketing.

Dizer que ele incita violência só porque é a favor da liberação do porte de arma e que cada brasileiro tenha a sua, é mesmo um exagero que beira a idiotice. Não há consenso sobre isso nas mentes mais brilhantes. Tenho amigos doutores em ciências humanas que são a favor e outros contra. Eu mesmo não sou a favor e se alguma lei for aprovada nesse sentido (e isso não depende de um decreto pelo que sei), eu não terei arma em casa.

Já que analisamos, mesmo que tangencialmente, a figura de Bolsonaro, por uma questão de justiça, analisemos então a figura do seu adversário político e, principalmente o partido que ele representa.

Sim, meu prezado leitor. Um candidato do PT só faz o que o seu partido lhe ordena e lhe orienta fazer. Eu fui assessor parlamentar e vi isso diante dos meus olhos e ouvidos. Em uma Câmara de Vereadores, se houver dois ou três vereadores do PT, eles sempre opinam na mesma direção e votam do mesmo jeito, ainda que pessoal e individualmente pensem diferente um do outro.

Fernando Haddad se tornou candidato à Presidência da República atendendo uma convocação do seu partido, não tenham a menor dúvida a esse respeito. E como eu disse, ele é um candidato de “segunda mão” porque o grande sonho do PT era Lula como candidato e por isso lutou com unhas e dentes. Não nos esqueçamos das inúmeras viagens e caravanas que Lula fez pelo Brasil que na verdade não eram senão campanha eleitoral.

O que podemos dizer de Haddad e do PT?

Ora, a despeito dos “prêmios” (dois ao que parece) que ele ganhou esses prêmios têm um jeitão de jogada política.

Todos nós paulistanos sabemos que ele foi um péssimo Prefeito da cidade de São Paulo. Aliás, um dos piores! A fama é de que ele é “ruim de serviço”. Não é preciso falar muito a esse respeito. Ele não agradou a ninguém. Ele perdeu a Prefeitura tendo o percentual de 16,7% em sua candidatura à reeleição. Você pode imaginar uma coisa dessa? Foram quatro anos de confusão, de decisões equivocadas, de conflitos e trapalhadas. Há pelo menos 32 processos correndo na Justiça contra Fernando Haddad. Vamos parar por aqui. Eu acho que chega. Você não contrataria uma pessoa para trabalhar em tua empresa em um cargo de confiança sabendo que ela responde a 32 processos na última empresa em que trabalhou.

Analisemos os seis anos nos quais esse moço foi Ministro da Educação. Não falemos ainda do famigerado Kit Gay. Perguntemos a nós mesmos com sinceridade: como está a educação no Brasil? Não estou falando de Enem, de cotas a negros, de financiamento para estudantes universitários.  Eu falo da qualidade do ensino a começar da base. Como é o currículo? Ora, todos nós que militamos na área do ensino sabemos que há mais doutrinamento do que ensino democrático em nossas escolas. A educação é uma lástima! Foram seis anos de esterilidade, de inércia a não ser, (falemos agora) do maldito Kit Gay. Você quer coisa mais horrenda do que aquela? E teve gente defendendo! Haddad, hoje, nega a paternidade de tal aberração, mas as provas são muitas e contundentes, no Youtube, na Internet.

Falemos do PT, o partido do referido candidato.

O PT deu ao Brasil o presente de 13.000.000 de desempregados nesses 13 anos de governo. Um milhão por ano. Quer maior desastre do que esse? Desemprego! Bolsa Família se torna um paliativo, somente.

Acontecem aproximadamente 70.000 mil mortes (homicídios em várias qualificações no Código Penal), por ano no Brasil. Quer maior tristeza do que essa? Pais choram seus filhos mortos estupidamente por causa de drogas e celulares. Onde está a segurança e a punição? O jovem de 17 anos que assassinou com três facadas um turista no Rio de Janeiro ficou preso três meses e foi solto. Depois disso cometeu mais dois assassinatos. É isso que chamam de justiça?

O PT destinou 42.000.000.000 (quarenta e dois bilhões) para serem utilizados em obras em países alinhados com a ideologia comunista – Cuba, Nicarágua, Venezuela, etc...., desviados do BNDES, dinheiro do contribuinte brasileiro que esperava que os impostos que paga fossem revertidos em benefício no Estado Brasileiro. Quanto desse dinheiro usado de forma irresponsável poderia ser destinado para a educação e a saúde? Então o PT brinda seus aliados e alinhados ideológicos enquanto o contribuinte brasileiro sangra? Que nome podemos dar a uma atitude como essa? Prevaricação? Hipocrisia? Sim!

Mensalão! Petrolão! Vários políticos do PT presos, julgados e condenados. Não adianta fazer como Lula que em uma entrevista no exterior afirmou que no Brasil não havia esquema como Mensalão. As provas são contundentes. Petrolão? Bem estão ai as provas fornecidas com as delações premiadas. Uma vergonha!

O aumento no número de Ministérios, a criação de estatais que viraram parasitas. Um aparelhamento da máquina estatal fornecendo empregos e assim garantindo cabos eleitorais em nível Brasil. O que é isso se não uma forma de sedução.

A existência e persistência do MST levando um tipo de terror ao campo, e do MTST levando terror à cidade. Com treze anos e meio de governo do PT e ainda não aconteceu a propalada Reforma do Campo? Manteve-se o MST, permitiu-se o nascimento do MTST, para quê? Que contribuições esses movimentos trouxeram ao Brasil? Uma vergonha!

Falemos do Triplex de Luxo do Sr. Luiz Inácio Lula da Silva no Guarujá, do Sítio de Atibaia, da sanha em adquirir um terreno para a construção do seu modelo de culto a personalidade chamado Instituto Lula. Ora; para que esse instituto? Para expor aquilo que Lula tirou de Brasília com onze caminhões de objetos que ele ganhou na condição de Chefe do Estado Brasileiro? É um desejo desenfreado de ser cultuado, adorado. Outra vergonha!

Por que não falar dos casos ainda insolúveis das mortes dos Prefeitos Toninho de Campinas e Celso Daniel de Santo André? Há muitas suspeitas a esse respeito. Não afirmo peremptoriamente que mandaram matar esses dois personagens, mas não seria de se estranhar se o tivessem feito.

E os políticos presos do PT? Joelmir Betting, de saudosa memória, teve enorme presença de espírito e foi muito feliz ao dizer que o PT começou com presos políticos e estava se tornando um partido de políticos presos. É só ver a lista.

Interessante que homens como Delcídio do Amaral e Pallocci, que eram da cúpula mais alta e que atuavam no cerne do PT, foram transformados em párias, achincalhados e receberam a pecha de mentirosos depois que resolveram “abrir o bico”. Todos que depuseram contra o PT e Lula, são mentirosos, fantasiosos? Ora, quem é que mente?

Cansei de ouvir, saído da boca de correligionários do PT, PC do B, PCB, PDT, PSOL, PSTU, PCO e outros alinhados cujas siglas não me lembro agora, que Bolsonaro é homofóbico, fascista, misógino, racista, defende a tortura, violento, intolerante, incitador do ódio.

Vasculhei a vida de Bolsonaro, e não encontrei respaldo em seu jeito de viver algo que dê margem para comprovar essas acusações.

Disseram que Bolsonaro é adúltero e que está no seu terceiro casamento. Parece ser verdade, mas Lula também não é nenhum santo. E pelo que eu entendo não estamos escolhendo um marido para nossa filha e sim um presidente da República cuja vida privada, desde que não interfira nas questões do Estado não devem ser consideradas. Parece-me que Davi também não foi nenhum santo nessa questão e conquanto sua vida nesse aspecto tenha sido um desastre ele foi o melhor rei da história de Israel. Mas eu também não sei por que tanto pudor de gente que é a favor do abordo, da homossexualidade, dos movimentos LGBT. Não sei por que tantos artistas cuja vida sexual é para lá de reprovável, de repente desandam um movimento #ELENÃO contra Bolsonaro. Tremendo ato de covardia e de hipocrisia!

Passadas as eleições, me pus em meu dia de folga em gastar um bom tempo para poder escrever algo que possa ficar para a posteridade como um registro histórico dessa eleição para Presidente do Brasil que se tornou a mais acirrada, a mais polarizada, a mais violenta e desprezível que já testemunhei.

Veja a acusação que assacam contra Bolsonaro na questão do uso da Bíblia e, mormente o uso que ele fez de uma passagem Bíblica em que Jesus diz a alguns judeus que havia crido nele. “...e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. (João 8.32)

Eu achei interessante observar na internet que algumas pessoas que um dia confessaram Jesus como seu Senhor e Salvador, mas que hoje vivem uma vida totalmente Laíse Faire, ou seja, entregue aos devaneios, às noitadas em barezinhos enchendo a cara de álcool, cuja vida sexual é para lá de reprovável, que nunca na verdade honraram seus pais quebrando de forma vergonhosa o quinto mandamento, que vivem buscando nos prazeres da vida preencher o terrível vazio que têm em seus corações, que vivem malhando os evangélicos e rotulando-os de estúpidos, retrógrados, imbecis, ignorantes, incultos, e burros (ouvi e li isso de sobejo na internet, sem contar que lançaram em meu rosto esses adjetivos), criticarem o candidato do PSL pelo uso do versículo bíblico. Que lamentável paradoxo!

Aí então quase eu tive uma síncope. Quase surtei. Eu me pus a perguntar a mim mesmo: Ora: essa gente vive dizendo que a Bíblia é ultrapassada, que ela é um livro como qualquer outro, questionam e negam a fé cristã, de repente tem um rompante inesperado e inexplicável de zelo com a Sagrada Escritura? Agora se tornaram paladinos do conservadorismo e se colocaram como  os Templários, não do Santo Graal, mas da Santa Palavra de Deus?

Ora inquiridores onde está tanto zelo pela Palavra em suas vidas, em sua moral e ética? Já viram o tamanho do rabo que vocês têm e estão sentados sobre ele? Retirem a trava enorme dos seus olhos se querem ajudar alguém a remover o cisco nos olhos deles.

Jesus disse que se os que passaram a crer nele permanecessem na Palavra dele, então aí seriam realmente seus discípulos e que então conheceriam a verdade e essa verdade os libertaria.

O que e quem é essa verdade? Ora essa verdade é Jesus e ela é encontrada na Bíblia. Essa descoberta liberta o descobridor de uma vida sem esperança, sem paz, sem alegria, sem sentido, sem realização que valha a pena, sem esperança para a eternidade, sem poesia, sem encanto, sem magia. Essa descoberta dá ao descobridor uma nova Cosmovisão centrada em Cristo e em toda a sua excelência moral e ética.

Com certeza Bolsonaro não pensava nisso quando usou esse versículo na Bíblia. Posso supor que ele não pensou teologicamente, mas pensou com acerto, sociologicamente. E sabe por quê? Porque quem conhece Jesus, conhece intima e salvificamente, os mais elevados princípios da ética e da moral ilibadas.

Assim, quem conhece Jesus e conhece esses princípios não se coaduna e nem se deixa seduzir pelo ganho fácil e ímprobo, não corrompe ou se deixa corromper, não desvia dinheiro público para mitigar sua sanha de poder e de domínio, não maquina o mal contra o seu próximo, não divide um país em categorias como preto X branco, heterossexuais X homossexuais, elite X pobres, nós X eles, esquerda X direita.

Bolsonaro não podia sequer imaginar o quão feliz foi ao usar esse versículo bíblico e parece que milhões entenderam seu recado e o elegeram Presidente. Eles disseram com o seu voto que querem se ver livres de tudo aquilo que representou o PT, e suas metástases, nesses 38 anos de inserção no ambiente democrático brasileiro.

O PT não tinha como responder às acusações que são evidentes contra ele.

Seu ex-presidente e grande ícone e idealizador está preso. E ainda há outros processos muito mais claros quanto a sua culpabilidade. Ele certamente será condenado e cumprirá bom tempo de cadeia.

Então,  não podendo se defender e sabendo que tinha um adversário à altura, o PT correu em busca de construir no imaginário do eleitor um monstro a lá Hitler, um fascista a lá Mussolini, um ditador como aqueles dos tempos da “ditadura militar” como eles chamam e mentem deslavada e despudoradamente, se referindo ao Governo Contra Revolucionário (1964 a 1985).

Sem poder responder aos que certamente iriam mostrar a violência e a odiosidade impetrada pelo PT nos 13 anos de governo, criaram na mente dos menos avisados e mais tolos a imagem de um racista, um matador de homossexuais, um desprezador de mulheres, um adepto da prática da tortura, um homem violento. O PT e seus apaniguados se dedicaram em construir essa imagem na mente do brasileiro porque não podiam acusa-lo de corrupção. Não havia onde atacar esse homem em sua vida pública de sete mandatos. Tem gente aí que já no primeiro mandato tem uma ficha enorme de processos intentados e alguns já com condenação.

Bem, reflita sobre esse escrito e você não só saberá definir o que é violência (reveja os número do PT) em sua forma multíplice, como irá deduzir logicamente que aquele que deveria assumir seus erros e não o fez e, além disso, procurou destruir a reputação de seu adversário afirmando ser ele um incitador do ódio, na verdade demonstra uma aversão odiosa e contagiante. Daí a facada desferida em Bolsonaro, de forma covarde, em Juiz de Fora.

Por que escrevi isso? Escrevi porque sei que muitos tentarão contar outra versão dessa história, mas essa é a verdade. E quem se despe do preconceito e da paixão, confere os números e o que registrei como fato e não como ficção, se livrará também desse inimigo oculto e travestido de partido que, infelizmente, desonra a classe trabalhadora desse país (o PT).

Os brasileiros querem emprego e não esmola.

Os brasileiros querem educação de qualidade que habilite os jovens a disputarem o mercado de trabalho com igualdade de condições independentemente da cor da pele, de sua origem simples e humilde,  ou da opção sexual.

Os brasileiros querem saúde de qualidade e morrer com dignidade.

Os brasileiros querem sair e voltar para casa com segurança.

Os brasileiros querem justiça social porque somente com a justiça social poderemos gozar a paz social.

Os brasileiros querem manter suas propriedades privadas, querem apoio e incentivo a iniciativa privada.

Os brasileiros querem que os impostos arrecadados sejam revertidos para o bem comum e não para fazer média como outros países que rezam pela mesma cartilha ideológica.

Os brasileiros querem a garantia de ir e vir sem constrangimento dentro do país ou quando quiserem visitar outros países.

Os brasileiros querem liberdade religiosa.

Os brasileiros querem que a família nuclear continue sendo a base dos demais segmentos que compõem a macro sociedade.

Os brasileiros querem que a impunidade acabe e que os infratores da lei respondam pelos crimes cometidos e não vivam à custa dos familiares daqueles a quem eles sórdida, fria e cruelmente tiraram a vida.

O brasileiro quer que a verdade prevaleça, ainda que dolorosa, porque é a verdade o alicerce da moral e da ética.

Viver em um país onde sobeja a mentira, o discurso demagógico e populista é como construir um castelo na areia.

Uma sociedade que se fundamenta na mentira está fadada a ruína diante do primeiro impasse, da primeira crise.

Sim, somente conhecendo a verdade é que seremos libertos da opressão daqueles que se locupletam no poder e subtraem a esperança de um futuro digno e feliz.

Aos cristãos nosso alento e incentivo para que oremos todos os dias por nossas autoridades. Busquemos nos informar e interagir com as decisões tomadas. Não é correto e saudável só nos envolvermos emocional e politicamente em tempos de eleição. É preciso fiscalizar as decisões tomadas, cobrar as promessas feitas.

Que Deus abençoe o Presidente e o Brasil que ele preside.

Mauro Sergio Aiello
Primavera de 2018
29/10/2018 – Um dia depois das Eleições.

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

BOLSONARO X HADDAD


Que Bolsonaro vença por 1% de diferença; mas que vença.

O ideal e urgente nessas eleições é iniciar um ostracismo do PT do cenário político brasileiro.

Primeiro porque se apresentou como um partido, mas virou uma quadrilha. Como disse o saudoso Joelmir Betting: O PT começou com presos políticos e está acabando com políticos presos. E já faz tempo que ele disse isso. Não serviu para nada.

Segundo: Haddad, (é um bon vivant)  não trabalhou, não trabalha, assim com Lula, Dilma, Suplicy e muitos dos que compõem, por exemplo o MST que dizem desejar terras desocupadas para cultivo, mas nenhuma ocupação se tornou em Cultura Padrão, pelo contrário, só vimos destruição e violência. O PT é o partido dos trabalhadores que não trabalham e quem não trabalha, dá trabalho. E como? São sempre do contra. Sempre na oposição.

Ainda dói na alma a cena do tal Maduro comendo uma refeição de $1.000,00 em um restaurante na Turquia enquanto os venezuelanos passam fome em seu país. Isso é o socialismo e o comunismo que essas pessoas cultuam.

Terceiro: O comunismo proposto por eles é populista, produz subserviência (dependência), é um projeto de aparelhamento do estado (como se fosse o Estado um deus providente) mantendo a dominação por esse meio sórdido. Exemplo? O Bolsa Família! Isso é apenas um analgésico que tratou e trata os sintomas de um mal, uma patologia chamada desemprego. Com o PT no poder chegamos à cifra de 13.000.000 de desempregados. O PT só tem discurso, só demagogia.

Quarto: É preciso parar, estancar a hemorragia que a corrupção provocou. Não adianta transfusão de sangue se você não descobrir o que a provoca, sua origem. Com transfusão, o sangue vai entrar por um lado e sair pelo outro lado. É preciso acabar com a corrupção tão perpetrada pelo partido dos trabalhadores nesses últimos 13 anos (e aqui, sejamos justos, não foi só o PT). Como disse o assessor de Bill Clinton - a corrupção no Brasil é endêmica, faz parte do sistema.

Quanto a Bolsonaro? Não sei o quanto Bolsonaro tem de competência, capacidade e cash político para bancar esse momento de desaparelhamento do Estado (o PT criou ministérios, estatais, acolheu um número absurdo de Ongs, criou programas sociais sem um suporte financeiro que sustente esses programas). Muita demagogia e má administração do dinheiro público. Fato: O que se poderia esperar de um beberrão, falastrão e pernóstico? O que se poderia esperar de uma guerrilheira que mal sabe se expressar, não tem capacidade para ser síndica de um prédio de quatro andares, é motivo de chacota até de seus pares? Ambos, Lula e Dilma não tinham as mínimas condições de presidir um país, principalmente um país como o Brasil. Nunca dei voto a PT e só o farei se um dia de fato ele representar a mim que sou trabalhador.

Quanto ao Bolsonaro? Não sei.....tenho muitas dúvidas, receios e temores, mas eu prefiro essa dúvida do que a certeza de que a impunidade, a indecência moral, o laisse faire (vale tudo), a falta de critérios, a demagogia, permeiem nosso país o que certamente irá acontecer se o PT (e suas coligações) continuar no poder.

Sou um conservador quando aos costumes, a moral e a ética. Sou um cristão! Não subscrevo a homossexualidade como um padrão sexual legal. Não apoio qualquer coisa só porque é apresentada em um museu como se fosse arte.

Não aceito a ideia de que negros tenham cotas porque eu admiro o ser humano e sei que ele é capaz seja qual for a cor de sua pele.

Não vejo porque ensinar a criança de que é ela que tem que decidir o seu sexo contrariando, o bom senso, a genética e a fisiologia. Se um humano nasce com os órgãos sexuais femininos e sua hipófise estimula a produção de hormônios femininos, me parece beirar à indecência e loucura deixar a essa criança decidir ser homem.

Sou contra o aborto. Não negocio com ninguém quando a vida humana está em jogo.

O PT apoia tudo isso. Vale tudo pelo voto e pelo poder! E pelo conforto e sensação de impunidade que o poder gera na alma corrupta.
  
PT, nunca mais. PT perdeu o trem da história. Também não voto em seus puxadinhos tipo PCB, PC do B, PSOL, PSTU, PCO, PDT e outros. Não importa a intelectualidade daqueles que estão vinculados a esses partidos - intelectualidade e caráter são coisas distintas. Mas ao olhar para esses partidos, nem intelectualidade encontramos. É um banho de burrice e estupidez. Lula seu grande ícone odeia a leitura. Parece que inspirou a muitos.

Não voto em Bolsonaro porque ele cita João 8.32 e faz oração. Ariovaldo Ramos disse em um vídeo que assisti hoje (26.10.2018) que Bolsonaro cita a Bíblia, e que ele, com isso, ilude as pessoas. Bem, a mim o Bolsonaro não ilude bem como você mesmo nunca me iludiu Ariovaldo.

Ariovaldo: (se me lês) eu sempre tive muito carinho por você e até respeito (apesar de que isso foi se perdendo com o tempo desde o dia em que você em um PAM, meteu a lenha na Marina e ficou escorregando para não declarar explicitamente que apoiava Dilma), mas suas últimas ações me deram a nítida impressão de que você se deixou locupletar. Não sei e nem tenho provas, mas elas um dia surgirão, porque não dá para explicar como uma pessoa como você apoia bandidos travestidos de políticos, quadrilha travestida de partido político.

Não sou um ingênuo como você dá a entender nesse vídeo. Não dou crédito a qualquer um que use a Bíblia. Como você sabe, nunca fui seu discípulo como muitos que polemizavam comigo a teu respeito, mas que agora conhecem quem é o que é você.  

ARIOVALDO RAMOS: NÃO VOTO EM BOLSONARO PORQUE ELE CITA A BÍBLIA E SE DIZ CRISTÃO. VOCÊ TAMBÉM FAZ O MESMO.

Haddad também tem citado a Bíblia, ultimamente. E a impressão que eu tenho é que você o ajudou em um dos seus pronunciamentos. Acho que foi naquele que você apareceu com alguns “evangélicos” querendo dar a impressão de que os evangélicos apoiam essa candidatura espúria, maquiavélica e que tem como títere o próprio Haddad, “o poste do Lula” como disse Ciro Gomes. Ariovaldo: quem é mesmo que mente, quem é mesmo que dissimula, quem é mesmo que se faz passar por uma pessoa, mas na verdade é outra? A letalidade de Haddad é de doer a alma.

Não voto em Bolsonaro porque ele é a favor de que tenhamos armas em casa para nos defendermos. Se um dia houver essa lei eu não farei uso dela. Tenho horror a armas de fogo. Mas isso é discutível e divide mentes brilhantes.

Não voto em Bolsonaro porque ele é "a favor da tortura". Quem afirma isso é mal intencionado. Não há lugar para isso mais em países como o Brasil. Pode ser que isso aconteça em Cuba, Venezuela, Coréia do Norte, mas não aqui. Aliás, esses são países venerados pela esquerda brasileira. E se veneram o regime, veneram toda sua práxis, incluindo a tortura que nesses países são praticadas. Mas no Brasil não há mais espaço para tortura pelo menos não o tipo de tortura que os dois lados (Governo Contra Revolucionário X Guerrilheiros e Terroristas – 1964 - 1985) praticaram. Quem afirma que é mal intencionado.

Não voto em Bolsonaro porque ele é homofóbico e misógino, ou fascista. Esses são rótulos marqueteiros para vender a imagem de um monstro, o que ele não é. E usar a Bíblia com esse intuito é pecado hediondo porque ao fazer isso o Santo Nome de Deus está sendo tomado em vão. Aliás, prática muitíssimo usada por todos os lados nessas eleições.

Voto nele para que tiremos o PT de circulação, para que se possível for, coloquemos esse "partido" no seu devido lugar que é o ostracismo.

Bolsonaro é a Benzaticil que espero, mesmo com seus efeitos laterais, nos cure da infecção causada por essa terrível bactéria chamada PT e petismo.

Que Deus nos livre dos falsos (fake) presidentes e também dos falsos (fake) líderes cristãos, e falsos (fake) partidos. Se Ele usou Ciro e Artaxerxes para abençoar a Igreja do AT Ele poderá fazer o mesmo usando Bolsonaro.

domingo, 14 de outubro de 2018

RECONCILIAÇÃO: UM TRIUNFO DA GRAÇA.



Gênesis 33.1-20
Introdução.

Philip Yancey conta, em seu livro, Maravilhosa Graça uma linda história de perdão.  Ele diz: Nunca me esquecerei de uma cena que testemunhei na União Soviética em outubro de 1991. Na ocasião o império soviético estava desmoronando. Mikhail Gorbachev estava pendurado em seu cargo por um fio e Boris Yeltsin consolidava seu poder dia após dia. Eu acompanhei uma delegação de cristãos que se encontrou com líderes russos em resposta ao pedido deles para ajuda-los a “restaurar a moralidade” no país.

Embora Gorbachev e todos os oficiais do governo que visitamos nos recebessem calorosamente, os antigos do nosso grupo nos advertiram que aguardássemos tratamento diferente na noite em que visitamos o quartel general da KGB. Uma estátua do seu fundador Feliks Dzerzhinsky, podia ter sido derrubada do pedestal pela multidão do lado de fora do edifício, mas sua memória vivia lá dentro. Uma grande fotografia do conhecido líder ainda pendia de uma parede em nossa sala de reuniões. Agentes, com os rostos tão inexpressivos e impassíveis quanto aos estereótipos cinematográficos, estavam de pé junto à porta do auditório forrado de painéis de madeiras enquanto o general Nikolai Stolyarov, o vice-presidente da KGB apresentava-se à nossa delegação. Nós nos preparamos.

“Encontrar-se com o senhores aqui essa noite” começou o General Stolyarov, “é uma mudança no enredo que não poderia ter sido concebida pelo mais louco escritor de ficção”.

Ele tinha razão (diz Philip Yancey). Em seguida nos deixou perplexos dizendo: “Nós aqui na URSS entendemos que com muita frequência fomos negligentes em aceitar os seguidores da fé cristã. Mas questões políticas não podem ser decididas até que haja sincero arrependimento, um retorno do povo à fé. Esta é a cruz que eu tenho que carregar. No estudo do ateísmo eficiente, há a ideia de que a religião divide o povo. Agora vemos o oposto: o amor a Deus apenas pode nos unir”.

Nossas cabeças giravam. Onde ele havia aprendido a frase “carregar a cruz”? E a outra palavra – arrependimento? O tradutor havia acertado? Lancei um olhar para Peter e Anita Deyneka, banidos da Rússia há treze anos por causa de sua obra cristã, agora mastigando biscoitos no quartel general da KGB.
Yodel Nederhood, um homem gentil e educado que fazia programas de rádio e televisão para a Igreja Cristã Reformada, queria fazer uma pergunta a Stolyarov. “General, muitos de nós lemos o relatório de Solzhenitsyn a respeito do Gulag. Alguns de nós até mesmo perdemos parentes e membros da família ali! Seu atrevimento colocou alguns dos seus colegas em guarda, e a tensão na sala aumenta sensivelmente. “Seus agentes, naturalmente, são responsáveis pela fiscalização das prisões, inclusive aquela localizada no porão deste edifício. Como senhor responde a esse passado?’

Stolyarov respondeu cautelosamente: “Eu falei de arrependimento. Este é um passo essencial. Vocês provavelmente conhecem o filme de Abuladze com esse título (ARREPENDIMENTO). Não pode haver perestroika (reconstrução) sem arrependimento. Chegou o momento de nos arrependermos do passado. Nós transgredimos os Dez Mandamentos e por isso estamos pagando”.

Eu havia assistido a Repentance (Arrependimento) (diz Philip Yancey), de Tengiz Abuladze, e a alusão de Stolyarov ao filme foi assombrosa. O filme detalhava falsas denúncias, prisões forçadas, queima de igrejas – os próprios atos que deram à KGB sua reputação de crueldade especialmente contra a religião. Na era de Stalin, cerca de 42.000 sacerdotes perderam suas vidas, e o número total de sacerdotes declinou de 380.000 para 172. Cerca de mil mosteiros, sessenta seminários e 98% das Igrejas Ortodoxas foram fechadas.

Repentance descreve as atrocidades do ponto de vista de uma cidade provinciana. Na cena mais pungente do filme, mulheres da vila rebuscam a lama de um depósito de madeiras inspecionando um carregamento de toras que havia acabado de descer o rio. Elas estão procurando mensagens de seus maridos que cortaram essas toras em um acampamento de prisioneiros. Uma mulher encontra as iniciais gravadas na casca e, chorando, acaricia ternamente a tora seu único fio de conexão com um marido que ela não pode acariciar. O filme termina com uma camponesa pedindo o endereço de uma Igreja. Informada de que está na rua errada, ela responde: - Para que serve uma rua se não leva a uma Igreja?

Abruptamente, a reunião tomou um rumo mais pessoal quando Alex Leonovich levantou-se para falar. Alex tivera sentado na ponta da mesa traduzindo para Stolyarov. Nativo da Bielo Rússia, ele havia escapado do reinado do terror de Stalin e emigrara para os Estados Unidos. Durante quarenta e seis anos, havia transmitido programas de radio cristãos, às vezes com interferências, para a sua própria terra natal. Ele conhecia pessoalmente muito dos cristãos que foram torturados e perseguidos por sua fé. Para ele, estar traduzindo essa mensagem de reconciliação de um alto oficial da KGB era assustador e quase incompreensível.

Alex, um homem corpulento com aparência de vovô, representa a velha guarda de guerreiros que oraram por mais de meio século para que houvesse mudanças na União Soviética – essas mesmas mudanças que estávamos aparentemente testemunhando. Ele falou lentamente e com voz baixa ao general Stolyarov.

“General, muitos membros de minha família sofreram por causa desta organização” disse Alex. “Eu mesmo tive de sair do país que amava. Meu tio, que me era muito caro, foi para um campo de trabalhos forçados na Sibéria e nunca mais voltou. General, o senhor diz que se arrepende. Cristo nos ensinou sobre como responder. Em nome de minha família, em nome do meu tio que morreu no Gulag, eu o perdoo”.

E, então, Alex Leonovich, um evangelista cristão, estendeu os braços para o general Nikolai Stolyarov, vice-presidente da KGB, e lhe deu um abraço de urso russo. Enquanto eles se abraçavam. Stolyarov sussurrou alguma coisa para Alex, e só mais tarde ficamos sabendo o que ele disse. “Apenas duas vezes em minha vida, eu chorei. Uma vez foi quando minha mãe morreu. A outra é hoje a noite”.

O tema de nossa prédica hoje tem a ver com isso, ou SEJA, RECONCILIAÇÃO.

RECONCILIAÇÃO – UM TRIUNFO DA GRAÇA

Jacó havia lutado a noite toda como o Deus/Homem.

O resultado daquela luta foi que Jacó teve seu nome mudado para Israel. Isso vai ser reafirmado no capítulo 35.

Na luta como o Deus/Homem Jacó ele foi ferido e começou a mancar. O Deus/Homem insinua que já é dia e que Jacó deveria deixa-lo ir, mas Jacó disse que não o deixaria ir sem que antes ele fosse abençoado.

Jacó reconheceu no Deus/Homem a fonte da benção que precisava receber. O Deus/Homem, como vimos, mudou seu nome. De Jacó o embusteiro, o trapaceiro e usurpador agora ele passaria a ser chamado por Israel, aquele que lutou com Deus.

Assim que o sol surgiu no horizonte, Jacó pode ver seu irmão se aproximando.

Em sua mente deve ter passado o filme de todos os momentos em que ele enganou seu irmão e seu paí.

Ele faz um arranjo e se coloca a frente de sua comitiva.

Quando Esaú vai se aproximando, Jacó se adianta e começa a se prostrar. Por sete vezes ele se prostra na presença de seu irmão. (Versículo 3)

Então Esaú correu até Jacó, o abraçou, agarrou-se ao pescoço de Jacó e o beijou. Ambos choraram. (Versículo 4)

Aquele que havia tramado matar seu irmão, agora o perdoa se reconcilia com ele.

Nesse episódio, aprendemos que:

1.  A RECONCILIAÇÃO SÓ É POSSÍVEL SE AS PARTES SE COMPROMETEREM.
Ambos; Jacó e Esaú foram ao encontro um do outro.
Jacó se ajoelhou sete vezes.
Esaú – 1) Correu ao encontro do irmão. 2) Esaú abraçou seu irmão. 3) Esaú agarrou-se ao pescoço do seu irmão.
Ambos choraram.

2.  A RECONCILIAÇÃO SÓ É POSSÍVEL QUANDO HOUVER HUMILHAÇÃO.
Jacó foi mancando # Do homem forte que outrora havia sido.
Jacó se cursou sete vezes. Isso era feito pelo servo quando estava diante do seu senhor.
Esaú não proferiu nenhum insulto, não pediu nenhum tipo de retratação, nenhuma palavra de desagravo.

3.  A RECONCILIAÇÃO SÓ É POSSÍVEL QUANDO HOUVER SINCERIDADE.
Sinceridade = Sem cera. Sem fingimento, sem disfarce.
Jacó foi sincero sobre a intensão de levar presentes ao seu irmão. (Versículo 8b)
Esaú foi sincero em dizer que nada daquilo era necessário.

4.  A RECONCILIAÇÃO SÓ É POSSÍVEL QUANDO HOUVER GENUÍNO PERDÃO.
Paul Tillich uma vez definiu o perdão como lembrar o passado para que ele possa ser esquecido.

Embora o perdão nunca seja fácil e possa demorar por gerações o que mais poderia quebrar as cadeias que escravizam as pessoas ao seu passo histórico? Somente, e unicamente o perdão pode.

Se errar é humano, perdoar é divino.

Não há legítima reconciliação se não houver perdão.

4.1.     O PERDÃO É A ÚNICA ALTERNATIVA QUE PODE DETER O CICLO DA CULPA E DA DOR INTERROMPENDO A CADEIA DA AUSÊNCIA DA GRAÇA.

Jacó havia prosperado, se tornado um homem bem sucedido, rico, mas ainda era um homem incompleto. Havia uma pendência a ser resolvida.

Deus criou algo em nós chamado consciência e não importa onde estamos, nem quem nós somos, ela nos acusa, nos fustiga, nos faz olhar para o retrovisor e ver que há situações que precisam ser tratadas para podemos continuar nossa jornada livres e de cabeça erguida.

A vida só terá prazer e graça quando aprendemos a reconhecer nossos erros, pedir perdão e a perdoar aqueles que pecam contra nós.

Não há graça sem perdão, não há perdão sem graça.

4.2. O PERDÃO E SOMENTE ELE PODE ALIVIAR A FORÇA OPRESSORA DA CULPA.

Em 1993, um membro da Klu Klux Klan, chamado Henry Alexander fez uma confissão à sua esposa. Em 1957, ele e diversos outros membros da organização arrancaram um motorista negro da cabine de seu caminhão, levaram-no para uma ponte deserta por cima de um caudaloso rio e o fizeram pular dali, gritando, para que morresse.

Alexandre foi acusado pelo crime em 1976 – levou quase vinte anos para ser julgado – alegou inocência e foi absolvido por um júri de brancos.

Durante trinta e seis anos ele insistiu em sua inocência, até 1993, quando confessou a verdade à esposa. Ele disse: “Nem sei o que Deus planejou para mim. Nem mesmo seu orar por mim mesmo”, disse ele a esposa. Alguns dias depois ele morreu.

A esposa de Alexander escreveu uma carta pedindo perdão á viúva do homem negro, uma carta que foi depois impressa pelo The New York Times. Ela escreveu: “Henry viveu uma mentira toda a sua vida, e me fez vive-la também”. Todos aqueles anos ela acreditado na inocência do marido. Ele não demonstrou nenhum sinal exterior de remorso até os últimos dias de sua vida, tarde demais para tentar uma retratação pública. Mas não conseguiu levar o terrível segredo da culpa para a sepultura. Depois de trinta e seis anos de veementes negativas, ainda precisava de libertação que apenas o perdão poderia conceder.


4.3.     O PERDÃO TRAZ UMA NOVA E GENUÍNA DIMENSÃO AO CULTO QUE OFERECEMOS A DEUS.

Jesus disse:

Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. Mateus 5.23,24

Tanto a adoração individual quanto a adoração comunitária só terá sentido e fará sentido, só será vivenciada sob a nuvem e o manto da graça, quando nós aprendermos o quão imprescindível é perdão pedido e o perdão ofertado.

CONCLUSÃO

Nessa semana faça um exercício. Pegue uma folha de papel. Faça uma lista de pessoas que te ofenderam e com as quais teu relacionamento é meramente administrativo ou o relacionamento já não existe mais.

Pegue uma outra lista e coloque nela os nomes daquelas pessoas que você sabe que ofendeu, mesmo que a pessoa não tenha consciência de sua ofensa, do prejuízo que você lhe causou.

Busque essas pessoas; perdoe e peça perdão. Reconcilia-te com teu irmão. Viva cheio de graça!

Os consultórios de psicólogos e psiquiatras estão cheios de pacientes aos quais os psiquiatras prescrevem alguns medicamentos. É possível que muitos de nós estejam tomando esses medicamentos, mas ainda não se deu conta de que a mágoa, o ressentimento, tem causado teus males e dores, tua falta de graça e alegria na vida. Então a cura está no perdão dado e no perdão recebido, na reconciliação.

Procure a reconciliação e ela irá curar você.

CRISTO

Paulo escrevendo aos coríntios disse: Pois Deus estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo, não levando em conta as transgressões dos seres humanos, e nos encarregou da mensagem da reconciliação”.

Eis  o maior exemplo da graça que traz a reconciliação, e a reconciliação que nos remete a esfera da graça inefável de Deus. Ele deu o paço em nossa direção e nos regenera fazendo com que andemos na direção dele e nos reconciliemos com Ele em Cristo seu filho.

A paz que temos com Deus repousa nessa doce verdade teológica e nessa realidade de nossa reconciliação com Ele. E no caso de nossa reconciliação com Deus, podemos ficar seguros porque tudo partiu dele, unica e exclusivamente dele e isso é para a eternidade.

Que Deus nos abençoe com sua graça.

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS