terça-feira, 30 de novembro de 2010

LANÇAMENTO DE CARPE DIEM IV - 19/12/2010 - 19H00 - IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL EM MOGI DAS CRUZES - AV. HENRIQUE EROLES, 137 - ALTO IPIRANGA - MOGI DAS CRUZES

Prefácio e Depoimento do Rev. Haroldo Reimer

Sinto-me privilegiado em poder escrever um breve prefácio ao Carpe Diem IV. Preciso, porém, confessar algo que nunca compartilhei a ninguém.

Creio que foi no ano de 2007 que o Rev. Mauro me ofereceu uma cópia do primeiro Carpe Diem. Agradeci a gentileza, levei o livro para casa e o acomodei no meio de outros livros que não havia lido ainda. Realmente não estava muito ansioso por ler o livro. O título “Carpe Diem” me desanimou.

Não entendo latim, e o fato do livro ter o título em latim me levou a crer que o conteúdo era mais um tratado intelectual em linguagem que impressiona, mas que poucas pessoas entendem. Torna-se necessário ter um dicionário à mão a fim de saber o que o autor quer dizer, e freqüentemente, se dá para entender algo, chegamos à conclusão que pouco (ou nada) tem contribuído para o nosso crescimento espiritual.

Quando afinal abri o livro, descobri meu engano. O título, sim é latim, mas o miolo é uma mina de ouro, escrito em linguagem do povo, falando o que povo quer, e precisa ouvir.

Carpe Diem IV é mais do mesmo. É alimentação para a alma, seu arroz e feijão, o bife e a salada de cada dia, que sustenta o seguidor de Cristo nesta jornada que chamamos vida, num mundo inimigo de Deus e hostil contra os que desejam ser amigos de Deus. É nutrição que faz crescer o filho de Deus em dedicação e santidade. É um desafio aos que crêem em Jesus para continuar firmes na luta contra as forças do mal e viver em obediência às ordens do nosso Senhor, levando a mensagem de salvação a todos ao nosso alcance.

Com toda sinceridade, recomendo este livro do Rev. Mauro a todos os crentes em Cristo. A leitura de Carpe Diem IV, um capítulo a cada dia, vai enriquecer a sua vida espiritual e ajudá-lo a encontrar vitória sobre as artimanhas do nosso inimigo e sucesso em viver uma vida que agrada o nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo.

Obrigado, Mauro, estarei à espera do número V.

Haroldo Reimer

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

CERTO OU ERRADO? ESTA CADA DIA MAIS DIFÍCIL DECIDIR

Lamentável a atitude de alguns "alunos" e outros que engrossaram o caldo naquela "passeata" contra o Mackenzie na questão da homofobia.

Para começo de conversa eu não tenho fobia de homossexuais. Eu não tenho preconceito contra eles. O que eu tenho é um conceito sobre a prática homossexual. Eu creio que a Bíblia é meu livro único de regra, fé e prática, e se assim é e nela está escrito que a homossexualidade é transgressão da lei de Deus, eu me posiociono ao lado dela. É uma questão de coerência.

Isso está muito longe de ser fobia. Fobia têm os homossexuais contra aqueles que entendem que o que eles praticam é errado. E agem, como no caso do Mackenzie que é uma instituição que prima pela luta contra o preconceito e a discriminação. Esses aí, desavisados, emocionalmente desequilibrados, não sabem (não direi nem que se esquecem porque eles não sabem mesmo, é um grave caso de ignorância) que o Mackenzie nasceu também para assistir israelitas, negros escravos e protestantes em um tempo no qual eles eram discriminados. Menino sentar na mesma sala de aula com menina é uma coisa que começou no Mackenzie é o que ouvi falar. Em termos de Bolsa de Estudo o Mackenzie é pioneiro e um excelente exemplo coisa da qual posso falar com conhecimento de causa já que fui beneficiado como Bolsista assim como todos os meus filhos.

Conheço o Reverendo Augustus Nicodemos Lopes. Não vou aqui gastar nem uma linha sequer para descrever sua intelectualidade que é notória. Seria desnecessário discutir se ele sabe o que escreve e o que fala. É um homem idôneo. Mas no que concerne sua espiritualidade, sua vida cristã e atitudes de humildade isso eu faço questão testemunhar positivamente em qualquer tribunal a que for chamado. Ele não é homofóbico, como eu não sou e nem a Igreja Presbiteriana do Brasil o é. Temos nossas convicções firmadas nas Escrituras e não vamos nos curvar diante de quem quer que seja. Falo por mim, principalmente. Nem o Rev. Augustus e nem a IPB me comissionaram para escrever isso. Gritem o quanto quiserem. Chamem a Bíblia de livro ultrapassado, rotulem nossa religião e nossos valores morais e éticos. Não vou arredar pé.

O que estão fazendo não é uma reinvindicação inteligente e com bases sólidas. O que estão fazendo é terrorismo. Justamente aquilo que os homossexuais dizem sofrer, querem eles aplicar àqueles que não pensam como eles. Apitaço, cornetaço, cartazes, macho vestido de fêmea, gritaria, desmaios simulados, não vão me assustar e nem me fazer recuar um milímetro que for de minhas convicções.

Também não vou sair distribuindo pauladas em ninguém e tampouco vou ofender moralmente quem quer que seja. Violência não resolve problema nenhum. Sou a favor do diálogo franco, sincero e sem passionalidade. Vou mais longe...seria louco qualquer um que tentasse dialogar com aqueles que estavam participando da tal "passeata". Não tenho a menor sombra de dúvida que corria o risco de ser linchado. Teve até quem disse que iria fazer uma passeata dentro do Mackenzie, mostrando sua ignorância quanto a lei.

Não li o pronunciamento que dizem gerou todo esse embróglio. Fui informado, todavia, que esse texto está no site do Mackenzie desde 2007. Pergunto: Qual a razão disso agora? É preciso que se entenda que o Mackenzie, assim como outras Universidades, é lugar de pesquisa, de estudo, de refino da intelectualidade, de intercâmbio de conhecimentos. O Mackenzie não é Motel. No Mackenzie o educando entra para pesquisar e adquirir seu diploma na área que almeja. Assim se os homossexuais querem praticar o sexo do seu jeito, não é no Mackenzie, como não é na USP ou em qualquer outra instituição do gênero que deverão fazê-lo. Para as Universidades o que importa é que o educando encontre um ambiente favorável para o aprendizado.

Podem me rotular como quiserem, mas busco a coerência. Para mim é a Bíblia que determina o que é certo e o que é errado. Não sou pelo relativismo que tem jogado a moralidade da sociedade contemporânea na lata do lixo. O relativismo tem sido responsável por vivermos como um barco sem leme. Para muitos incautos, que não fazem uma leitura correta da história da humanidade, quanto pior melhor. São os abutres de plantão esperando a carniça. São aqueles que têm muita avidez por desconstruir, mas são totalmente inábeis para construir em qualquer sentido que se entenda esse verbo.

A PLC 122/2006 deve ser chamada de A Lei da Mordaça. Interessante a hipocrisia no mundo de hoje. Pode-se fazer piada com o nome do Presidente, mas não podemos dizer, com base nas Escrituras, que homossexualidade é pecado. Durma-se com um barulho como esse.

O Rev. Augustus Nicodemos Lopes tem meu apoio. O Mackenzie tem o meu apoio.

Não os apoio porque tenho dívida de gratidão, mas porque não posso me calar diante daqueles que tentam calar a voz da minha consciência, luta inglória porque Deus criou a consciência e por mais que alguém tente se enconder, ela sempre o encontra. E a consciência de todos, inclusive dos próprios homessuxais os encontra....ainda que tentem se esconder por trás de uma lei tão anti-democrática.

A homossexualidade é um erro. Quem diz isso? A Bíblia. Queimem-na. Já tentaram isso outras vezes.....Ponto final

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

CONTEÚDO: MUITOS DA CIDADE PARA CRISTO

CONTEÚDO: MUITOS DA CIDADE PARA CRISTO: "Olhe para a cidade onde Deus, em sua soberania tem feito você morar. Perceba a dinâmica dela ao seu redor. Olhe as pessoas e pense nelas m..."

MUITOS DA CIDADE PARA CRISTO

Olhe para a cidade onde Deus, em sua soberania tem feito você morar.

Perceba a dinâmica dela ao seu redor.

Olhe as pessoas e pense nelas mais do que nas coisas, porque pessoas são mais importantes que coisas.

Questione: Quantas dessas pessoas são de Cristo, foram eleitas antes da fundação do mundo?

O questionamento é mais perscrutador se pensarmos a respeito das pessoas com as quais temos tido contato todos os dias, como nossos vizinhos, no comércio que freqüentamos e assim por diante. Pode ser gente de nossa própria casa, parentes, esposa, esposo, filhos, noras, genros, netos. Há muitos que precisam ouvir o evangelho porque é ele, o evangelho, que sob a luz do Espírito Santo, produz a regeneração e faz nascer a fé sem a qual não podemos agradar a Deus e nem nos aproximarmos dele.

Atos dos Apóstolos fala do cristianismo em seus primórdios e mostra o quão humanos e limitados eram os homens que Deus usou para a propagação do evangelho. Pedro, aquele que negou a Cristo, foi o que pregou os primeiros sermões que serviram para a conversão de aproximadamente 5000 almas. Encarou os judeus de todas as partes do mundo e disse: - As autoridades da religião judáica foram responsáveis pela morte do Messias, mas Deus, por seu grande poder, O ressuscitou.

Felipe fez a inserção do evangelho para o samaritano e o gentio. Barnabé, Marcos, Lucas, Silas, Paulo, todos homens que Deus usou, mas homens, pura e simplesmente.A leitura de Atos mostra o quanto eles eram como nós, pessoas limitadas, frágeis, simples e em alguns momentos, inseguras.

Em Corinto, Paulo usou o mesmo método que usara nas outras cidades, ou seja, entrava na sinagoga e pregava o evangelho sobre dois assuntos especiais, a saber:

(1) O Messias tinha vindo, a promessa havia sido cumprida, mas ele foi morto por causa da incredulidade das autoridades religiosas.

(2) Todavia, ao terceiro dia, o Messias ressuscitou dentre os mortos. Ele mesmo, Paulo, havia visto o Cristo ressurreto.

E como sempre acontecia, Paulo era mal compreendido e rechaçado. Em Corinto não foi diferente. Nessa cidade muitos que o ouviram na sinagoga o amaldiçoaram. Ele havia vindo de Atenas onde pregara no areópago, sendo também zombado e ignorado justamente quando começava a falar sobre a ressurreição de Jesus. Agora em Corinto acontece esse tipo de violência verbal terrível. Ele teme por sua própria vida e saindo da sinagoga passa a pregar aos gentios. Paulo era homem como eu e você. Foi nesse contexto que Deus falou com ele. “...: Não tenha medo, continue falando e não fique calado, pois estou com você, e ninguém vai lhe fazer mal ou feri-lo, porque tenho muita gente nessa cidade. Assim, Paulo ficou ali durante um ano e meio, ensinando-lhes a palavra de Deus”. (NVI Atos 10.9-11) Aqui nesse texto há lições que servem, indiscutivelmente, para todos nós, ainda que tanto tempo nos separem.

1) A pregação do evangelho sempre encontrará dura resistência em qualquer lugar. Aqui em nossa cidade, não é diferente, em absoluto. A igreja não é só diferente do mundo em seus valores morais e éticos. A Igreja se opõe ao mundo; são antagônicos. Vamos sempre ser confrontados, muitos irão zombar, e outros até perseguir duramente. O evangelho se distingui de tudo o mais ao nosso redor. Ele é diferente no seu conteúdo soteriológico, ou seja, a sua teologia da salvação é fundamentada totalmente na graça de Deus. O que você precisava que fosse feito por tua salvação, Cristo realizou (Romanos 1.16,17). Boas obras não salvam. O evangelho também é ímpar e singular na questão dos valores éticos e morais. O convertido, o regenerado, aquele que nasceu de novo, passa a ter um coração tranformado, com valores diferentes do mundo. Onde antes reinava a carne, o mundo e o diabo agora reina Cristo.

2) Deus está no comando da atividade evangelística seja em que circunstância for. Aconteça o que acontecer conosco em nossa ação evangelística, Deus está no comando. É preciso continuar. A questão mais grave é ocorrer conosco o que aconteceu com Paulo, ou seja, desanimar. Sim, Paulo desanimou! Você acha isso impossível? Eu não! Ele era como eu e você, um ser humano, uma pessoa com emoções. É preciso que entendamos que Deus está no comando. Esse episódio nos ensina isso. Foi preciso uma intervenção divina para que Paulo fosse despertado de sua depressão que nasceu nos embates da lida missionária. Eliseu ficou deprimido, Paulo também, e conosco pode acontecer o mesmo, mas não nos esqueçamos de que Deus está no comando e suprirá nossas necessidades e nos manterá em segurança.

3) Deus tem muitos desta cidade (Mogi das Cruzes). Ao olhar as ruas e a dinâmica de nossa cidade, vejo as pessoas e penso que aqui em Mogi das Cruzes (você aí que me lê coloque aqui o nome da cidade onde você reside, pois ela é de tua responsabilidade), há muitas pessoas que foram eleitas e que esperam que lhe comuniquemos o evangelho.

Então, prezados irmãos lancemos nossas redes, descruzemos os braços.....Há muitos dessa cidade (seja ela qual for) para Cristo.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O PECADO (Você vai ler?)

Nada há de mais danoso, nada há de mais letal do que o pecado. Nossos primeiros pais praticaram-no pela primeira vez e todos nós, seus descendentes, nascemos com essa enfermidade que acomete o coração e a alma. Do ponto de vista genético espiritual, nascemos pecadores e por conta disso pecamos. Por isso Paulo afirma que todos pecaram (Rom. 3.23), e também afirma que o salário do pecado é a morte (Rom. 6.23)

Muitos têm tentado se esquivar dessa questão ao argumentar que não existe pecado, mas que o homem tendo descendido dos animais irracionais ainda vai levar um tempo para se humanizar. Outros tentam relativizar o pecado ao afirmar que há determinadas condutas que são consideradas pecado em uma cultura, mas que são facilmente aceitas em outra cultura como algo normal.

A questão toda é que a doutrina do pecado não é nada popular, você e eu, prezado leitor, sabemos muito bem disso. E nem gostamos muito de tratar dessa questão. Há aqueles que alegam que não é politicamente correto tocar nesse assunto. Outros afirmam que devemos somente falar da graça de Deus e se sua misericórdia e deixar que o Espírito Santo cumpra essa tarefa.

Mas veja você em que situação nos encontramos: Não haverá condições de entender a doutrina da encarnação, nem a doutrina da regeneração, tampouco a doutrina da santificação ou evangelizarmos com eficiência sem um entendimento suficiente da doutrina do pecado. A primeira verdade que precisamos considerar com respeito às nossas vidas é entender que o pecado nos afasta de Deus e impede que tenhamos com Ele, e com todos os demais semelhantes, um relacionamento saudável. O que nos separa de Deus é o pecado e o que nos afasta uns dos outros não são os desníveis sociais e intelectuais, ou políticos partidários, ou qualquer outra coisa; o que nos afasta de Deus e uns dos outros é o pecado. Por isso é preciso que aceitemos que somos pecadores, que temos pecado de várias formas e que precisamos saber como solucionar esse problema.

Paulo disse que o “salário do pecado é a morte”, porém assevera como um hino de louvor ao concluir...”mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Deus condenou toda a humanidade à pena de morte, mas providenciou um caminho de salvação. Jesus é esse caminho de salvação. Aliás, foi ele mesmo quem disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida, ninguém vem ao pai se não por mim”. (João 14.6) Por isso Paulo disse que a vida eterna é em Cristo Jesus.

Assim concluímos: O único que salva é Jesus. A forma ou o modo do batismo cristão, não salva. Guardarmos esse ou aquele dia, não salva. Essa ou qualquer outra pessoa, não salva. Só Jesus salva. Foi ele, e ninguém mais, quem morreu na cruz do calvário, vicariamente, ou seja, no meu e no teu lugar. Quem crê nEle e em sua obra, não será julgado, mas quem não crê, já está condenado. (João 3.18)

Jesus salva, primordialmente, a alma do inferno. Jesus tem poder para curar enfermos, para fazer alguém prosperar financeiramente, se isto estiver de acordo com os propósitos eternos de Deus o Pai. Mas Jesus veio ao mundo, primordialmente, para salvar-nos da condenação eterna, para nos reconciliar com Deus o Pai. (Romanos 510,11)

Jesus assumiu nosso lugar na cruz e pagou a dívida que tínhamos para com Deus.

Em Jesus, Deus manifestou sua justiça com respeito ao pecado, punindo Cristo no lugar do pecador.

Compreender corretamente a questão do pecado nos fará olhar para a cruz com fé, sermos socorridos nela e salvos por Cristo da justa condenação dos nossos pecados.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A LEI DA HETEROFOBIA

Pois é....

Agora vou dar o meu grito.

Não dá mais para aguentar tanta hipocrisia e a intolerância dos "apologetas da tolerância".

Os homossexuais que pratiquem o sexo do jeito como o desejarem fazer, mas empurrar tal prática por minha garganta abaixo, lamento dizer, não posso tolerar, muito menos concordar.

Atacar o Mackenzie já é um ato de terrorismo contra a livre expressão de valores éticos e morais, contra a livre expressão de nossa cosmovisão a partir das Escrituras Sagradas. Nela, a homossexualidade é considerada pecado, é pronto. E se o Mackenzie é uma instituição confessional e se nessa sua confessionalidade ela se fundamenta na Bíblia, nada mais natural do que ter sua posição, suas fronteiras, bem nítidas e demarcadas. Qual é o problema? Não se está fomentando violência contra os homossexuais. Eu estudei no Mackenzie, meu filhos também, minha história se confunde com essa instituição de ensino centenária, responsável. Convivi com homossexuais lá dentro, conversei com eles, tomei cafezinho com eles, entrei na mesma Biblioteca que eles frequentam para estudar (Prédio 3), mas como cristão nunca os destratei e nem os discriminei. Lá entramos para estudar, pesquisar, refinar nossos conhecimentos intelectuais. O Mackenzie nasceu para atender os judeus, os protestantes e os negros escravos em um período no qual essa classe de gente tinha pouca oportunidade em qualquer instituição de ensino. O Mackenzie é o grito contra o preconceito e a discriminação.

Agora vem os homossexuais tentando calar nossa voz quando afirmamos que, de acordo com as Escrituras, a prática dos mesmos é pecado? Não se está insuflando o apedrejamento. Não se está conclamando o povo a isolar os homossexuais como os leprosos o eram nos dias de Jesus. Em absoluto! Agora tentar usar de terrorismo contra o Mackenzie, já é exagero de quem não tem emocionalidade equilibrada. Já é ir longe demais.

Vou então, estudar a possibilidade da criação da Lei Heterofóbica, porque declarar que sou heterossexual será um crime daqui a pouco.

Vivemos mesmo em um mundo hipócrita onde tentam nos convencer de que o certo está errado e de que o errado está certo. Isso é fruto do pós-modernismo que jogou na lata do lixo qualquer conceito sobre verdade absoluta instituindo o relativismo. Hoje, mais do que nunca, se deixarmos a Bíblia de lado, se torna difícil, muito difícil definir o que é certo e o que é errado.

Que a Democracia pedromine. Que a liberdade de expressão seja o suor da democracia e que eu possa expressar o que penso sem ter que me esconder como fazia nos tempos dos porões do Dops.

Lamentável, simplesmente lamentável.

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS