sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O TOCO DO TEREBINTO E DO CARVALHO.

O TOCO DO TEREBINTO E DO CARVALHO.

 

Nestes últimos dias fiquei, mais uma vez, estupefato ao ler notícias sobre escritos e idéias de Ricardo Gondim:

(http://noticias.gospelmais.com.br/ricardo-gondim-nao-faz-parte-movimento-evangelico-30641.html)....

 

e sobre Ed René Kivitz:

(http://outroladodacabana.blogspot.com/2012/02/rene-kivitz-pastor-da-igreja-batista-da.html)

René Kivitz - pastor da Igreja Batista da Água Branca - Entre o Teísmo Aberto e o “Teísmo Obtuso” por Mary Schultze Entre o TeísmoAberto e o“TeísmoObtuso”-MarySchultze –

Acabei de ler um texto do escritor RenéKivitz - “Os Pastores Feiticeiros e seu Evangelho Pagão” e devo admitir que ele tenha, pelo menos, 50% de razão no que escreveu......
Confesso conhecer muitíssimo pouco esses personagens do nosso cenário evangélico nacional. Não tive a oportunidade de gozar da intimidade de nenhum dos dois. Apenas os vi e os ouvi em vezes espaçadas em congressos por aí. Espero que eles não fiquem tristes comigo por me referir a eles assim – “cenário evangélico nacional” – já que eles estão repudiando essa nomenclatura – “evangélicoS”. E não sem motivo.

Ligue sua televisão ou o seu aparelho de rádio, principalmente na freqüência FM. É de dar náuseas. Na televisão você fica boquiaberto ao ver e ouvir Edir Macedo, sua cria, o Cowboy de Cristo com seu chapelão fazendo o estilo rural de evangelizador (jogada de marketing pessoal) o Valdomiro Santiago, com seu suor milagreiro, R.R. Soares com seu estilo despachado, o “missionário” Davi Miranda, aquele que fala errado e mistura o espanhol com o português, Sonia e Estevam Hernandez com sua teoria baseada na Confissão Positiva e Prosperidade, Silas Malafaia com seu estilo combativo, as vezes útil, outras vezes inútil, principalmente quando se aliou a Michael Dean Murdock, mais conhecido como Mike Murdoch,  e tantos outros, populistas e marqueteiros de plantão.

No aparelho de rádio, com mais presença nas emissoras de FM, o desfile não deixa por menos. É “apóstolo” que não acaba mais. É a glossolalia, demonstração de destempero e de êxtase, e porque não dizer, de ilusionismo verbal, que me causa espanto ao ver a ousadia daqueles que assim se pronunciam. Além disso, temos o programa super antropocêntrico com direito até a um jingle, (vinheta) do pastor Samuel Ferreira no qual ele é rotulado como o pastor de São Paulo. Eu me pergunto: Quem é que o nomeou assim? 

Há “programas evangélicos” nos quais o tal “locutor” gasta 90% de sua verborréia tentando arrancar ofertas para manter o programa no ar, ao invés de pregar o evangelho puro e simples da Bíblia. Veja, não quero cometer o pecado da generalização. Mas que a grande e massacrante maioria dos programas “evangélicos”, não são evangélicos, disso eu tenho a mais absoluta certeza.

Gente, não dá para ficar impassível diante de toda essa nojeira e show de absurdos. Não dá para engolir esse sincretismo religioso onde o que interessa é enricar, e não instruir, onde o que interessa é abocanhar a maior parte da mídia televisiva e radiofônica do que aproveitar o espaço para colocar o pecador diante do seu pecado e dos resultados que isso implica. Não dá para ficar sem se escandalizar ao ver coisas do tipo “ligue e venha ao culto que seus problemas serão resolvidos”. Não dá mais para engolir as “novenas” evangélicas, o fetichismo evangélico. NÃO DÁ MAIS PARA AGUENTAR VER E OUVIR TANTAS ABERRAÇÕES DE OUTRO EVANGELHO QUE NÃO TEM NADA, ABSOLUTAMENTE NADA A VER, COM O EVANGELHO DE DEUS CONTIDO NA BÍBLIA.

Quanto a isso eu faço coro com os dois citados pastores, Ricardo Gondim e Ed René. Mas vamos devagar que o andor é de barro. Não vamos cometer o desplante de afirmar que o termo evangélico deva ser execrado e que todos que se autointitulam evangélicos são mercenários, charlatões, desonestos e ilusionistas.

A questão é que não podemos tomar a parte pelo todo. Também não podemos cometer o pecado de rotular os personagens acima (R.R. Soares, Edir Maecedo, etc...) referidos no terceiro parágrafo de minhas considerações como evangélicos. Ora, uma análise, que não carece nem de profundidade teológica, irá mostrar que não são, no sentido lídimo do termo, evangélicos. Na verdade não encontro no vocabulário de nossa língua, um termo que os defina. Talvez seria o caso de buscar no Código Penal alguma caracterização para esses senhores. Sim, não se escandalizem comigo. Esses senhores cometem o crime de estelionato. Eles prometem em nome de Deus o que Deus nunca prometeu. Eles ilusionam e fazem verdadeiros malabarismos com a multidão. Eles, na verdade preferem a multidão porque a multidão (o que Jesus sempre evitou, mas a quem serviu e não foi servido por ela, vide a multiplicação dos pães e dos peixes), uma vez manipulada, pode ser conduzida em sua emocionalidade e êxtases. A multidão é impessoal. A multidão se auto-sugestiona. A multidão tem uma personalidade própria que é a somatória das personalidades de todos que a compõem. Um sujeito cede sua personalidade para compor a personalidade da multidão. Veja as tais marchas para Jesus. Não passam de um movimento populista que busca nos seus slogans, irreais e ufanistas (tipo – São Paulo é de Jesus) com gritaria, sua auto-afirmação. Mas o grito é o sussurro de quem não tem razão e nem razoabilidade. Não se ganha nada no grito.

O que Ed René e Ricardo Gondim deveriam fazer, em meu entendimento, é continuar pregando o santo evangelho. Quando uma pessoa é convertida todo o seu mundo sofre radicais mudanças para melhor. Não precisamos de nenhum mantra entorpecedor, não precisamos de mercantilismo porque a salvação custou muito á Cristo, mas ela é de graça, não precisamos de nenhum sistema alienante e prisionante como era o sistema fariseu dentro do judaísmo, tampouco precisamos de liberais como os saduceus, ou radicais como os essênios ou ainda violentos como os zelotes. Precisamos viver e pregar o verdadeiro evangelho. Como escrevi me enojo ao ver outro evangelho, mas sempre foi assim, desde os dias de Paulo. O gnoticismo foi outro tipo de evangelho e assim o tempo vai passando e muitos vão oferecendo “gato por lebre”. Mas há, graças a Deus, sempre, um remanescente fiel que insiste em lutar a guerra contra o engano e a mentira. É isso que precisamos continuar fazendo. Sim, denunciar de nossos púlpitos os falsos profetas, mas primordialmente pregar o santo evangelho. Uma ovelha de Cristo jamais ouvirá o chamado do mercenário que lhe quer espoliar, que lhe quer tosquiar.

Eu também me enojo de todo esse tipo de “cristianismo” aquoso, pueril, sem fundamentação bibliológica, oferecido por esses “evangélicos”. E isso já faz alguns anos. Quase fui linchado quando me postei contrário àquele movimento tolo da mudança da coloração das amálgamas das obturações, o fenômeno que ficou conhecido como “Dentes de Ouro”

Mas eu continuo tentando pregar o verdadeiro evangelho. Pode ser que eu não tenha uma multidão a me ouvir. Não me iludo com a popularidade. A popularidade nem sempre tem a ver com a verdade e com a excelência. A voz do povo não é a voz de Deus. Eu sempre me lembro das palavras de Deus a Isaías quando do seu vocacionamento: 

“Então, disse ele (Deus): Vai e dize a este povo: Ouvi, ouvi e não entendais; vede, vede, mas não percebais. Torna insensível o coração deste povo, endurece-lhes os ouvidos e fecha-lhes os olhos, para que não venha ele a ver com os olhos, a ouvir com os ouvidos e a entender com o coração, e se converta e seja salvo. Então, disse eu (Isaías): até quando, Senhor? Ele respondeu: Até que sejam desoladas as cidades e fiquem sem habitantes, as casas fiquem sem moradores, e a terra seja de toda assolada, e o Senhor afaste dela os homens, e no meio da terra seja grande o desamparo. Mas se ainda ficar a décima parte dela, tornará a ser destruída. Como terebinto e como carvalho, dos quais, depois de derribados, ainda fica o toco, assim a santa semente é o seu toco”. (Isaías 6.9-13)
Não é fácil ser profeta, simplesmente porque o profeta é “O Boca de Deus”. Ele não fala o que ele sente e nem o que ele pensa, mas fala com base naquilo que Deus sente e pensa. Não é fácil ser profeta porque quando Deus fala por meio dele, as palavras nem sempre são de conforto e de consolo, mas muitas vezes de séria advertência e apelo ao arrependimento (ex. Isaías 1) que exige confrontação com o pecado. Não é fácil ser profeta porque o verdadeiro profeta não se imiscui da mensagem que chama ao arrependimento (Ex. Neemias 1). O profeta não deve conjugar os verbos de estado e de ação na segunda pessoa do plural (vós), mas sim na terceira pessoa do plural (nós). Não é fácil ser profeta porque o verdadeiro profeta não emite juízos de valores seus, mas sim aqueles juízos baseados na Santa Palavra de Deus. A Bíblia é seu livro texto. Notável a postura dos que redigiram a Confissão de Fé de Westminster ao começá-la por abordar a suficiência das Escrituras Sagradas assim como foi notável o movimento da Reforma quando trouxe à tona o princípio do Sola Scripturae. Somente quando a Escritura é livro texto e determina nosso modus vivendum é que podemos afirmar o Soli Deo Gloria. 

Eu, assim como Ricardo Gondim, Edne René (falo pastoralmente) e todos que se dizem chamados para o exercício do Pastoreio do Rebanho de Deus (I Pedro 5.1-4), precisamos pensar em servir e não sermos servidos, precisamos recarregar nossas baterias com nossa atitude devocional diária que passa pelo exercício sério da leitura e meditação na Palavra de Deus (crendo que ela é inspirada, inerrante e infalível) que nos ensina sobre um Deus incompreensível, mas ao mesmo tempo revelado em Cristo como Salvador e Senhor, por uma atitude de constante e ininterrupta oração, de compromisso com o Rebanho que não é nosso, sob a tutela e poderosa manifestação do Espírito Santo conforme Atos 1.8. Não iremos agradar a todos, com certeza. Jesus teve como seus piores algozes os religiosos do judaísmo. O cristianismo foi, primeiramente, perseguido por esses mesmos religiosos (Atos 4). 

É provável que em minhas considerações eu tenha me equivocado aqui ou ali. Bem, não sou inspirado. Não tenho a pretensão de ser a última palavra e nem de ser entendido como canônico. Eu sou apenas um Pastor que ama o evangelho de Deus que está na Bíblia e que insisto sem desistir de pregá-lo, ainda que eu seja um pequeno toco do carvalho ou do terebinto.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

QUANDO TUDO NÃO É SUFICIENTE

Elvis Presley, Elis Regina, Amy Winehouse, Janis Joplin, Jimi Henrix, Michael Jackson entre outros e agora Witheny Houston....O que será que eles têm em comum? Sim, porque todos eles morreram de forma prematura mesmo tendo todos os recursos que lhes garantiriam uma sobrevida. Boa alimentação, mansões, dinheiro, fama, fortuna, enfim, recursos é que não lhes faltaram. Todavia, partiram precocemente, jovens. 

De Amy Winhehoue, Michael Jackson e agora W. Houston há no ar aquele senso da dúvida já que todos sabiam que eles se drogavam, de uma ou de outra maneira. Esse senso de desconfiança é aguçado pelo fato das autoridades dizerem que eles morreram, simplesmente, de forma "inexplicável". Acabei de ler que o laudo técnico sobre as razões da morte de Houston só sai daqui um mês, ou seja, suponho eu, quando ninguém mais estiver linkado, ligado ou interessado pelo assunto.

Há algum tempo tenho acompanhado as notícias, com enorme tristeza, (justamente eu que amo música e admiro os belos intérpretes, lista da qual ela fazia parte e ocupava o topo), sobre o envolvimento de W. Houston com drogas. Os outros citados por mim no início desse artigo também foram notórios consumidores de drogas sem as quais parece que eles não viveriam e pensando assim morreram. Paradoxal, não?

Parece-me que o que liga esses personagens da música, é mesmo esse denominador comum - drogas. Todos eles se tornaram vítimas dessa nojenta e asquerosa coisa chamada droga que é oferecida em várias versões - maconha, cocaína, lsd, perventin, crack, ecstasy...etc...etc.... 

A droga dá barato (mas é cara e cobra a própria vida). 

A droga alucina, ilusiona, faz o indivíduo covarde e tímido ser "corajoso", ou para assaltar, ou subir em um palco e enfrentar a audiência, encarar os fãs que os adoram e a quem eles não querem dececpionar (e com suas mortes estúpidas só não decepcionam os tolos iguais a eles), ou conquistar essa ou aquela ficante numa noite em uma "rave" qualquer onde o barato é "azarar" o maior número possível de "minas".

A droga faz o cara ser o que não é. Ela despernosaliza, ou cria uma outra personalidade, uma outra pessoa. 

A droga aliena porque faz as pessoas viverem sem levar em conta que o melhor é enfrentar os problemas que naturalmente, ou mesmo sob nossa responsabilidade, surgem, mas preferem correr dos problemas e se afundar nas drogas.

A droga ocupa um espaço indevido na alma e no coração humano. Tenho visto jovens que são criados sem amor e disciplina e por isso são seduzidos pelos "amores dos traficantes". Por outro lado tenho conhecido jovens desprezados que encontraram em Cristo o amor de suas vidas e o sentido para sua existência.

Se alguém possui um pouquinho de juízo esse pouquinho se esvai quando a droga entra.

Perdi amigos amados, talentosos, tanto no futebol quanto na música, vítimas desta pestilência chamada droga. Lembro-me de alguns deles com ternura e tristeza.

Mas pensando nesses personagens da música, que se foram vitimados pelas drogas eu sou obrigado a me lembrar das palavras de Jesus quando o mestre disse: "...que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma. Ou que dará o homem em troca de sua alma?". (Mateus 16.26) A impressão que tenho, a respeito desse notáveis que morreram, e como morreram, é que "tudo" para eles não foi o suficiente.

O artista começa ralando, viajando, disciplinado. Então a fama abre as portas e ele entra. Holofotes, aplausos, gritos frenéticos, prêmios, festas, dinheiro, muito dinheiro, um patrimônio que se agiganta, agenda superlotada, tapinhas nas costas, massagem no ego, mansões, carrões, conquistas amorosas aos montões, e por aí vai...... Mas por trás de tudo isso, há uma tristeza, um vazio na alma, um constante questionamento, e madrugadas vazias que se multiplicam, um senso de despropósito possui seu coração e as drogas entram nessa hora para dar sentido, entorpecer, alienar, "alegrar", "animar"...... A trilogia, dinheiro, sexo e fama (poder) faz suas vítimas quando tudo que se tem não é colocado no altar de Deus, quando tudo que se faz se torna apenas um meio de entretenimento, prazer e satisfação carnal.

Quando não há nenhum traço de espiritualidade o tal "cantor", como fez W. Houston, pode cantar "Jesus Loves Me", mas é só mais uma performance, mais uma linda música, só isso. Não há realidade dentro disso, não há conteúdo, é só mais uma droga. Só mais uma, desde que o público goste e  aplauda.

De fato ter tudo não significa absolutamente nada se você perdeu o senso do propósito de sua existência e vida. 

De fato o tudo é nada se você perdeu de vista a razão de ser e existir. 

De fato o tudo se torna nada, quando você começa a se deixar adorar e cultuar como se fosse um deus. 

De fato o tudo não é suficiente quando você não sabe porque o obteve. Quanto o tudo não é suficiente a pessoa morre e os jornais dizem não achar explicação para tal falecimento tão precoce......Porque quando o tudo é nada, não há nada que satisfaça.

Calvino também morreu jovem, como jovem morreu nosso missionário A. G. Simonton.....Eles não lutaram por fama, glória humana, e o seu legado jamais se apagará. Dizem que são palavras de Calvino: "Por Cristo deixei tudo. O que encontrei? Ora, em Jesus encontrei tudo". Valeu ter vivido pouco, pois não deixou a nítida impressão de que morreu precocemente, pois quem vive para Deus não se importa com a quantidade de existência, mas com a qualidade com que se vive. Quem vive para Deus sabe a razão de sua existência e se satisfaz com aquilo que aparentemente é pouco.

De fato; há no coração do homem um vazio que tem o formato exato de Deus. Nada, absolutamente nada pode ocupar esse espaço. Nem o tudo que o mundo oferece e dá, porque para quem vive sem Deus nem o "tudo é suficiente".

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

FALANDO COMO CIDADAO

 Eu sou um homem de 57 anos de idade, casado, pai e avô (já e com muita alegria). Sou Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil há 22 anos e agora em 04.03.2012 eu completo 23 anos de Ministério Sagrado em tempo integral e total, sem nenhum momento de interrupção. Sou adepto da Teologia Reformada (da segunda reforma, principalmente) e Calvinista de quatro costados. Amo a Igreja de Cristo e por ela estou disposto a me consumir e disponibilizar todos meus dons, talentos, potencialidades e energias.

Sinto enorme prazer em servir a Deus na Igreja que ele comprou com o precioso sangue de Seu Filho Jesus. Sou alguém que almeja a pátria celestial, aguarda com alegria o novo céu e a nova terra. Ora, se amo esse céu e essa terra que estão aí, porque não amaria aqueles que estão por vir e que são incomparavelmente melhores? Gosto de cantar o hino que diz: "Oh! Pensai nesse lar lá do céu". Amo cantar e espero gravar a linda canção intitulada "Há Um País" cuja música original é "Danny Boy" de Frederic E. Weatherly, e outros hinos que falam do Céu e da Nova Terra, nossos lares eternos, mas sinceramente, não posso fazer vistas grossas ao que acontece em meu mundo, em meu país, em minha pátria terrena....Sou um cidadão de duas pátrias; a Temporal e a Eterna. Não posso cometer o pecado de fechar os olhos, meus ouvidos e como Profeta, meus lábios. Sou responsável pelo meu mundo de hoje.

Estou vendo o que está acontecendo na Bahia e no Rio de Janeiro. Refiro-me à greve dos Bombeiros e dos Policiais Militares. Como cidadão quero opinar. Não tenho poderes para agir de outra maneira, assim uso esse espaço democrático na Internet para expor minha opinião num tom de desabafo e ao mesmo tempo nutrindo no peito a idéia de que quem sabe alguém me leia e encontre um pouco de luz nessa escuridão.

Ora, reconheço que nossos Policiais Militares, Bombeiros, Forças Armadas e Policias Civis Estaduais e Federais não recebem uma justa retribuição por seu trabalho tão perigoso. Hoje mesmo, pela manhã, fiquei entristecido em saber da morte de um Policial no cumprimento do seu dever. Mas senhores Policiais, vocês não foram arrastados à força para o trabalho e profissão que abraçaram. Se a remuneração não é lá grande coisa (e não é mesmo), lembrem-se de quantos brasileiros (inclusive seus próprios parentes) precisam de que vocês cumpram com denodo e responsabilidade sua função. Aproveitar um momento desse em que o país recebe milhares de turistas para essa festa da carne chamada Carnaval é agir com dolo. Agir assim me faz ficar receoso do caráter de quem lidera tal movimento de greve. Expor os brasileiros e os turistas ao opróbrio de ficar a mercê dos facínoras enquanto vocês se aquartelam gritando slogans e clamando por uma justa remuneração me faz crer que vocês não têm o siso que a função de vocês cobra possuírem. Não é hora de alardes e de greves....Aliás serviços públicos essencias como saúde, educação e segurança não deveriam ter direito a nenhum tipo de greve, muito menos a do tipo em que vocês se envolveram.

Não é hora de agito queridos brasileiros. Não é hora de ameaças. Não é hora de piquetes e violências do tipo "queimar carreta na Rio/Bahia". Isso é banditismo. Isso é puerilidade. Isso é ato de quem não sabe dialogar, negociar. 

Agora sou obrigado a admitir que isso só se tornou possível pelo descaso de nossos "políticos". Político é um termo que identifica, "aquele que se dedica à polis (cidade)". Mas a grande e massacrante maioria dos nossos políticos não está preocupada com a cidade. Eles estão preocupados com seus ganhos fenomenais, bem longe do que ganham professores, médicos, enfermeiros, policiais em qualquer área. Veja o salário do 'tiririca" de quem se dizia ser analfabeto. Eu particularmente acredito que aquela história dele saber ler e escrever foi muito mal contada. O paulistano é que não teve juízo em votar nele. Agora compare o salário dele com o salário de um professor, médico ou policial. Veja as contribuições que os professores, médicos e policiais dão em comparação a que o "tiririca" e outros do seu jaez têm dado. Eu diria como o Boris Casoy: - É uma vergonha! E põe vergonha nisso senhores.

Foi terrível ver como os políticos votaram seu aumento de "salário". Eu uso aspas porque o que eles ganham é "mordomia". Salário é o que os policiais, médicos, professores e tantos outros trabalhadores nesse país ganham. Salário vem de sal. Você já viu quanto custa um quilo de sal no supermercado ou mercearia? Pois é....bem pouquinho, não é verdade? Por isso eu digo que o que os políticos ganham e outra coisa e não salário. Salário ganham esse policiais grevistas e outros.

Não generalizo em nenhum dos lados. Não generalizo quando falo dos políticos e nem quando falo dos grevistas, mas que estão com falta de juízo estão. Agora mesmo li na página da UOL que os políticos querem apressar a votação do aumento do salário dos policias (http://click.uol.com.br/?rf=home2011-topo-A2&u=http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/02/09/deputados-aprovam-antecipacao-de-reajuste-salarial-para-policias-do-rio-ameaca-de-greve-continua.htm).

Por que só agora? Por que agora? Esse é um mau sinal, senhores. Ele aponta para o fato tão notório em nós brasileiros, ou seja, colocamos fechadura depois que o ladrão entrou e nos subtraiu valores.

Eu peço a Deus que levante homens com juízo nessa nação. Pessoas que olhem para o país, para sua pátria e não para seu latifúndio, para seu patrimônio, muitas vezes originado nos conchavos e negociatas, nos desvios de recursos públicos e outras ilicitudes vergonhosas que me causam náuseas.

Eu peço a Deus que levante, principalmente em sua Igreja, homens e mulheres que amem a pátria porvir, mas que saibam votar com responsabilidade, na pátria aqui, porque eu estou enojado de ver as mesmas figuras danosas na política nacional, gente do tipo Deputado Federal João Alves,  da Bahia, um dos anões do Orçamento e que tripudiou de uma nação toda ao declarar que a sua fortuna era o resultado das centenas de vezes em que ele havia ganhado na loteria.

Eu peço que os crentes nesse país se dediquem à política, pelo menos se tornem conscientizados, porque a pregação alienante de que política não é para crente é que faz com que os ímpios assumam e se são ímpios não têm o temor de Deus e se não têm o temor de Deus irão temer o quê, ou quem?

Como cidadão eu peço a Deus que os políticos que se dizem evangélicos sejam realmente discípulos de Jesus que fez opção por uma vida simples. Ele mesmo disse que aquele que desejasse segui-lo deveria se lembrar que "as raposas têm os seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar sua cabeça". (Mateus 8.20) 

Estou orando para que nenhuma circunstância agrave essa situação e que os Policiais recebam salários justos e não tenham, nem que fazer greve, e tampouco se deixem seduzir pela corrupção ou por bicos que todos nós sabemos que fazem para complementar seu ganho.

Como cidadão eu escrevo aqui e oro como cristão para que haja maturidade e sabedoria no trato dessa questão para que o remendo não fique pior do que o rasgo.


SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS