quarta-feira, 17 de outubro de 2012

CONFLITOS E CONTENDAS




Todos sabem como os conflitos e as confusões começam. O que não sabemos, ao certo, é como eles terminam.  Uma palavra que não devia ter sido dita, ou um silêncio covarde no momento em que se deveria dizer alguma coisa. Uma atitude intempestiva. Uma reação desproporcional a uma ação simples. Um grito ao invés de um diálogo pacífico. Um depoimento injusto, ou mesmo justo, mas que não deveria ser feito. Um ato de violência verbal, coação moral, humilhação velada ou mesmo pública. Enfim, são multiformes as ações que provocam o surgimento de conflitos nos relacionamentos causando distanciamento entre as pessoas.

Jesus ensinou como esses casos devem ser tratados. Encontramos esses ensinamentos no texto de Mateus 18.15-35. Em primeiro lugar Jesus ensinou que o ofendido, ou mesmo aquele que se sentiu ofendido, deve procurar o seu ofensor e acertar tudo, visando a restauração da paz e do relacionamento. Jesus disse que se o caso for acertado entre ambos, o ofendido ganhou o irmão.

Em primeiro lugar ele deve estar plenamente cônscio se houve mesmo ofensa, quer seja dolosa ou acidental. É preciso que se tenha a mais absoluta certeza disso porque se não houve realmente uma ofensa, não há necessidade de retratação. O julgamento precipitado é sempre temerário. A questão aqui é saber discernir o que realmente aconteceu.

Após o ofendido ter absoluta certeza da ofensa, deve perguntar a si mesmo qual a motivação que o levará procurar o ofensor. O senso de auto-justiça? Ele quer vingança ou deseja que a comunhão entre ele e seu irmão ofensor retorne ao que era antes da ofensa? O ofendido precisa questionar a si mesmo qual a motivação que o leva a procurar o ofensor. Se não houver honra nessa sua atitude, é melhor se manter à distância e em oração. A questão aqui é saber as razões que levam o ofendido a buscar o seu ofensor.

Outra observação tem a ver com a metodologia. Nessa questão não é bom que deixemos muito para frente as tratativas assim como não é bom que sejamos rápidos demais. “O apressado come cru” e “o lento come queimado", são ditados que se aplicam aqui. Nem tão lento e nem tão rápido. O ideal e orar e esperar uma oportunidade em que o ofendido procure o ofensor em um momento no qual haja condições de reconciliação. Em Provérbios 25.11 lemos: “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo”. A questão aqui é saber qual é o melhor momento para o diálogo em busca da reconciliação.

Outra questão importante tem a ver com a forma como acontece o diálogo entre ofendido e ofensor. Não basta ter razão é preciso saber mostrar que se tem razão. Provérbios 15.1,2 diz: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. A língua dos sábios adorna o conhecimento, mas a boca dos insensatos derrama a estultícia”. Não basta termos razão, nem sabermos escolher o melhor momento para buscarmos a reconciliação, a retratação; é preciso também saber fazer bom uso das palavras. “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza, come do seu fruto”. Provérbios 18,21

Que Deus nos ajude a termos sabedoria em momentos nos quais nos sentimos ofendidos. Que nossa reação jamais seja como a de Pedro que sacou da espada, mas sim como a atitude serena de Jesus que curou aquele que o prendeu injustamente.

A VISÃO É IMPORTANTE.

"Erguei os olhos e vêde os campos, pois já branquejam para a ceifa".
João 4.35b        
       
               Alguém já se expressou nos seguintes termos: “Se tu te vês como Deus te vê, então estás pronto a receber aquilo que Ele te dá, a saber: seu Cristo”.   E isso deve fazer diferença na forma como você vê as pessoas ao teu redor. Missão sem visão é ativismo, visão sem missão é comodismo.

     Quando Jesus veio até nós ele reunia em si tanto a visão quanto a missão. Ele olhou as multidões e se compadeceu delas. Andavam errantes e precisavam de orientação. Ele mesmo disse apontando para si mesmo: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai se não por mim”. (João 14.6)

                O olhar do mestre era sempre carregado de sentido. Ele não olhava simplesmente por olhar, mas ele viu o homem de mão ressequida e o curou, mesmo sendo sábado e aparentemente escandalizando os fariseus; seu olhar foi diferente ao ver a multidão que não tinha o que comer e isso o levou a multiplicar pães e peixes; ele olhou Jerusalém com a dor da rejeição; ele olhou da cruz, a multidão que era conduzida pelos religiosos e orou por ela; ele olhou a multidão pronta para apedrejar uma mulher apanhada em flagrante adultério e a perdoou, dando uma lição naqueles que a queriam matar.

     Como é que você olha o mundo ao seu redor? Como você vê seus vizinhos, parentes e amigos? Como você interpreta aquilo que acontece no seu mundo, no seu tempo? Como você vê os corações à sua volta? O desespero e o universo em desencanto não te incomodam? As notícias de violência, conflitos e tragédias na televisão, rádio, jornais, não ti atingem?  Se ti perguntarem a respeito do mundo de hoje, como você o vê e interpreta, qual será a tua resposta?

                O que precisamos como cristãos é olhar o mundo ao nosso redor, da mesma forma como Jesus o fez. Somente esse olhar, somente essa visão de um mundo carente de Deus poderá despertar em nós uma atitude, mais do que uma mera contemplação. Somente quando olhamos o mundo sob a ótica divina é que nos sentimos impulsionados à ação.

                Precisamos pedir a Deus que nos dê a visão do mundo ao nosso redor da mesma forma como o bom samaritano viu o judeu jogado naquela estrada, semi-morto. O sacerdote e o levita o viram, mas se acomodaram, preocupados com os aspectos éticos de sua religião que proibia que eles tocassem em uma pessoa morta. Já o samaritano olhou com compaixão e misericórdia e essa forma de olhar fez uma grande diferença para aquele homem moribundo, jogado à beira da estrada.

                Missão com visão nos leva à termos uma mensagem relevante e visão com missão nos tira de uma existência cheia de folhas como a figueira estéril nos fazendo frutificar, tirando-nos da nossa zona de conforto, do nosso mundo pequeno e abrindo enormes possibilidades de alcançarmos outras pessoas de realidades tão diferentes, mas pecadores que precisam do salvador.   

      Com certeza você não irá salvar todas as pessoas do mundo. Nem Jesus o pode fazer, mas certamente se você olhar as pessoas ao teu redor e amá-las como Deus em Cristo te amou, então para essas pessoas você fará uma enorme diferença.

                Com certeza não temos condições de salvar todas as pessoas do mundo, mas temos o compromisso de olhar o mundo e amar a todos indiscriminadamente alertando-os para o que os espera do outro lado se não tiverem Jesus como seu Salvador e Senhor. O fato de não podermos salvar a todos não pode nos impedir de sermos instrumentos para a salvação daqueles que vivem ao nosso redor e também aqueles até onde a nossa vista pode alcançar.

                 

PROVERBIOS PARA A VIDA

Não basta ter razão teológica. Isso é intelectualidade mera, se o que você diz crer, não for transformado em vida. Saber e viver são duas coisas distinhas.
 
Orar não vai mudar o coração de Deus, mas com certeza se você orar Deus vai mudar o teu coração.
 
É bem provável que eu não faça tudo exatamente como esperam de mim, mas podem ter a mais absoluta certeza de que eu farei o melhor que puder ser feito.
 
Estou convencido, que se há uma experiência terrível em nossas vidas essa é olhar para trás e ver que perdemos tempo com temas tão banais, que gastamos nosso dinheiro com tantas futilidades, que hasteamos algumas bandeiras cujos ventos jamais fizeram tremular, que perdemos o trem porque dormimos na estação, que deixamos a oportunidade cair pelo chão porque resistimos em não tentar. É melhor errar tentando do que cometer o erro de nunca tentar. Se há tempo e condições de retomar de onde paramos, para dar a volta por cima e sacudir a poeira, façamos isso. Pode ser que tenhamos pouco tempo pela frente, mas como vida é uma questão de qualidade, vivamos com dignidade o tempo que nos resta.
. levar em conta que é melhor errar tentando do que cometer o erro de nunca tentar. Se há tempo e condições para retomar de onde paramos, para dar a volta por cima e sacudir a poeira, façamos isso. Pode ser que tenhamos pouco tempo pela frente, mas como vida é uma questão de qualidade vale a pena viver com dignidade o tempo que nos resta
Orgulho e presunção. Irmãos gêmeos que tem sua morada no coração daquele que não conhece Jesus. Ele disse: Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração e achareis descanso para vossas almas.
 
Quem te ama, o faz apesar de teus defeitos. Quem não te ama, o faz apesar de tuas virtudes. Se você diz que ama, esteja pronto a assumir as implicações dessa declaração.
 
O ódio e a inveja não colocam armas apenas nas mãos das pessoas, mas também em seus lábios.
 
Tão perto ainda não é o céu.- Ah! Ele (a) ouviu tanto sobre Jesus. Inclusive dizia que não tinha nada contra Ele, só não gostava da Igreja. Até ia à Igreja vez em quando e até lia a Bíblia, vez em quando. Ele procurava ser uma boa pessoa. Mas é preciso que saibamos que o batente do lado de fora da porta do céu, ainda nao é o céu.
 
A maldade adoece, enfermiza. O caminho para a cura é a santidade. Para ser santo é preciso obedecer o que a Bíblia preceitua. Pratique a Palavra e tenha saúde.
 
Pense a respeito. Reflita!   

DO POÇO PARA AS ALTURAS.


NO FUNDO DO POÇO.

É certo que cada um de nós vive tentando contornar montanhas ao invés de escalá-las. Quando digo isso estou me referindo aos problemas dessa vida aqui. Vivemos tentando, a todo custo, evitar os problemas, mas a verdade é que eles se aproximam e nos perturbam. Há momentos em que parece que estamos no fundo do poço, no meio da escuridão, e que, por mais que tentemos, por nossos próprios meios, não conseguimos chegar no topo, não conseguimos deixar a escuridão e sair para a claridade.

Na casa em que eu morava, em minha infância e parte de minha adolescência, havia um poço de água com 15 metros de profundidade. Houve um ano em que não choveu por vários meses, e era maravilhoso ver que aquele poço da família de crentes supriu de água a maioria das casas em sua proximidade.

Isaque abriu poços, mas os vizinhos invejosos os entulharam. Tornou Isaque a abrir poços, mas os invejosos contenderam com ele. Deixando os poços, abriu outros. Sua disposição para evitar o confronto é notável. Até que definitivamente seus servos lhe deram a boa notícia de que haviam aberto mais um poço.

José do Egito foi deixado em um poço até ser vendido a uma caravana de midianitas que se dirigia para o Egito. Na verdade seus irmãos queriam matá-lo, por pura inveja, mas Ruben, o mais velho, mais ajuizado, influenciou-os a não fazerem isso e a solução foi vender José.

Nos casos dos poços citados eles representam vida. Para aqueles nossos vizinhos, para a família de Isaque e para José do Egito, poços representaram a continuidade da vida, a sobrevivência.

Nem sempre a experiência espiritual que nos faz sentir como se estivéssemos no fundo do poço é tão ruim assim. Alguém já disse com muita sobriedade que quando estamos dentro do poço nossa única saída é olhar para cima para pedirmos socorro. A questão toda é que olhar para cima significa que devemos olhar para Deus e não para baixo ou para os lados. E olhar para Deus implica em muito mais do que podemos imaginar.

Olhar para cima, quando estamos dentro do poço, significa uma atitude de profunda humilhação. Sim, humilhação, porque isso implica em que deixamos de crer nos nossos próprios recursos. Crer em nossos recursos quando estamos dentro do poço é o mesmo que cavar mais para baixo, fazendo o poço ser mais profundo ainda.

Olhar para cima, quando estamos dentro do poço significa que estamos dispostos a ouvir a voz de Deus e obedecer. Ora se estivermos dentro de um poço e alguém surgir ordenando que seguremos na corda que nos é lançada e deixarmos de fazer isso só porque não confiamos que a pessoa que nos jogou a corda irá nos içar até o alto, é tolice. Olhar para Deus implica em ouvir suas ordens, seus imperativos, e nos agarrarmos a eles. De que adianta olharmos para cima, se não acreditarmos que de cima vem o socorro?

Jonas, o profeta desobediente, viveu a experiência abismal. Desceu para o porto de Jope, dali para o navio, no navio foi para o porão e do porão, foi jogado no mar, dali foi parar no estômago de um animal marinho e desceu às profundezas do oceano. Foi lá, no fundo do “poço” existencial que ele “olhou” para cima e orou e Deus agiu, fazendo-o ir parar na praia para cumprir sua missão.

Se você está no fundo do poço, busque a Deus humildemente. Ouça a voz de Deus em sua Palavra. Não permita que a ira te domine e te embruteça. Não creia em seus próprios recursos, pois nosso coração é enganoso e desesperadamente corrupto.

Quando a emoção grita,
a razão não pode ser ouvida.


Desse poço em que estás não sairás sem que Deus te estenda a mão e te guie até o alto. Tentar chegar no alto, por nossos próprios recursos, implicará em quedas e quiçá em morte eterna, pura e simplesmente porque a obstinação humana não pode ser comparada à fé genuína que nos faz crer nas forças dos braços do Deus Eterno e bom que nos estende a mão e nos conduz até às alturas.

 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

QUEM SÃO OS AMIGOS DO TEU FILHO?


UM ALERTA AOS PAIS
NO DIA DAS CRIANÇAS

Você sabe quem são os amigos do teu filho ou filha? Olhe as fotografias deles e você verá quem eles consideram seus amigos de verdade. Olhe as agendas dos celulares deles. Olhe o perfil no facebook, por exemplo. Aliás, olhe muito mais do que isso porque olhar para os filhos é obrigação dos pais. Pais que não olham, não veem, e pais que não veem, se surpreendem. Dê atenção ao seu filho ou filha porque essa afetividade é insubstituível.

Se os amigos do teu filho ou filha são somente aqueles da escola, do clube, do condomínio, e não os da Igreja; é preocupante. Se os amigos do teu filho ou filha são aqueles que nunca vêm à Igreja a convite deles, e quando vêm não interagem, ficam de soslaio mostrando preconceito, então é preocupante. Se os amigos do teu filho ou filha determinam o tipo de lugar que eles irão frequentar é preocupante. Se os amigos do teu filho ou filha determinam o tipo de música que eles irão cantar é preocupante. Se os amigos do teu filho ou filha determinam o tipo de roupa que eles irão usar é preocupante. Eu gosto de fazer uma distinção entre colega e amigo. Colegas são amizades fugazes, mas amigos participam de nossa intimidade e com eles compartilhamos nosso mundo. Pais, com quem seus filhos têm compartilhado o mundo deles, seus sentimentos, valores morais e éticos?

Hook – A Volta do Capitão Gancho é, aparentemente, mais um filme despretencioso de Hollywood, dirigido pelo fenomenal Steven Spielberg e estrelado por feras da dramaturgia como Robin Willians e Dustin Hoffman, mas retrata com maestria a situação de um pai que mais se preocupa com seus negócios do que com seus filhos e quase os perde para o vilão (Capitão Gancho).

Pois é, há muitos “capitães ganchos” nas fotos e nas agendas dos celulares dos nossos filhos, nas escolas, no clube e no condomínio onde você mora. São eles que ensinam nossos filhos que “ficar” não é pecado, é só uma amizade colorida. São eles que ensinam nossos filhos que sexo antes do casamento não é pecado se praticado com “responsabilidade”, ou seja; é só usar camisinha. Afinal das contas sexo não é pecado, desde que se evite a gravidez. São eles que ensinam que beber coca-cola com vodka, não é pecado, é apenas uma bebida mais forte que deixa soltinho, alegre. E são eles que vão ensinar que “dar uma pegadinha” no baseado é apenas um barato a mais e que isso não é tão grave assim. Afinal das contas tem até político defendendo a liberação do uso dessas coisas.

Ah! Já sei, você vai dizer que muitos amigos dos teus filhos ou filhas são filhos de gente boa. Sim, e é possível mesmo que seja. Mas vale a pena lembrar que aqueles jovens que atearam fogo no índio Galdino da tribo Pataxós em Brasília, há dez anos, eram filhinhos de gente boa.

No livro dos Provérbios de Salomão encontramos a seguinte parênese: “Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe, porque serão diadema de graça para a tua cabeça e colares para o teu pescoço. Filho meu, se os pecadores querem seduzir-te, não o consintas. Se disserem: - Vem conosco, embosquemo-nos para derramar sangue, espreitemos, ainda que sem motivo, os inocentes; traguemo-los vivos, como o abismo, e inteiros, como os que descem à cova; acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos de despojo a nossa casa; lança a tua sorte entre nós; teremos todos uma só bolsa. Filho meu, não te ponhas a caminho com eles, guarda das suas veredas os pés, porque os seus pés correm para o mal e se apressam a derramar sangue”. (Provérbios 1.8-17)

Pais, estejam atentos aos seus filhos e às amizades que eles cultivam. Sejam bons exemplos de vida piedosa e de amor a Deus e à sua Igreja porque é na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais, como disse Coelho Neto, pois afinal das contas a autoridade sem sabedoria é como o machado pesado sem corte, que esmaga em vez de cortar.

 

sábado, 13 de outubro de 2012

A VIDA É UMA EXISTÊNCIA PARA OS OUTROS




A VIDA É UMA EXISTÊNCIA PARA OS OUTROS

 "O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância". João 10.10

Somos mais tentados a pensar na vida quando alguém próximo morre. Somos levados a pensar nessa vida aqui, com maior rigor e seriedade, quando nos despedimos de alguém a quem amamos e nos é muito próxima.

Nesses momentos nossa mente viaja e pensa nos valores, nos sonhos sonhados e tornados realidade ou não, nos amores vividos, nas estações do ano, nas viagens que fizemos ou que só foram planejadas, no perdão pedido e recebido, ou no perdão que nunca demos ou nunca recebemos e o quanto isso dói, no pouco valor que o dinheiro tem, nas palavras que dissemos ou que jamais deveríamos ter dito, na dor que causamos ao outro ou que sofremos por causa do outro, na lágrima que caiu ou que sufocamos por conta da dureza do nosso coração, do amor vivido e perdido, dos natais e viradas de ano como se a vida jamais fosse acabar.......como se fossemos indestrutíveis. Pensamos em tudo isso em fração de segundos. Como é pródiga a nossa mente!

Mas é quando morre alguém que amamos que descobrimos que nossa existência aqui é fugaz e tão rápida quanto uma nuvem que passa. Como diz a música popular – somos nuvem passageira. Tiago, irmão de Jesus escreveu: “Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa”. (Tiago 4.14)

É quando vivo essa experiência do adeus, de ver alguém que eu amo partir, atravessar para o outro lado do rio de nossa existência que eu sinto que não vivemos para nós mesmos, mas sim para os outros. Nenhuma alegria é tão grande quanto o fato de saber que fomos úteis, que de uma ou de outra forma tocamos o coração de alguém, que de uma ou de outra forma nossas palavras serviram para erguer alguém que caiu, que nossas canções embalaram corações apaixonados fazendo-os mais apaixonados ainda, que aquele abraço que demos acalmou a alma aflita, que nossa forma de ver e viver a vida inspirou outros a continuar vivendo.

A vida só tem sentido se for vivida olhando para o outro, e não para nós mesmos.

Nossa arte, nossas manhãs e noites, o horizonte que temos diante de nós e que parece inalcançável, nossos sonhos, projetos e ideais, as canções que cantamos, ou somente ouvimos, o beijo que demos, o toque carinhoso que aqueceu a alma, o olhar profundo dentro dos olhos do outro, o sorriso que aproxima corações, um outro começo com outras perspectivas, as oportunidades de recomeços, a esperança que nunca findou...tudo isso e muito mais, só tem sentido por causa do outro e não de mim mesmo.

Então é aí que eu penso em Jesus. Foi Ele, sim Ele, aquele único homem que pisou esse planeta e viveu essa verdade, ou seja, ele viveu para o outro.  Com Jesus aprendemos grandiosas lições e essa também, ou seja, a vida só tem sentido se for vivida para o outro, pois ele deu sua própria vida por mim.

Não há na história da humanidade alguém que se compare a Jesus. Suas palavras, seus atos, sua morte e ressurreição continuam sendo obras para alcançar corações porque ele nasceu, viveu, morreu e ressuscitou para que nossa existência tivesse sentido.

Jesus disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde coração e achareis descanso para vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. (Mateus 11.28-30)

Querido leitor, pare e pense em Jesus. Não houve e nem haverá alguém que se compare a Ele. Ele foi totalmente verdadeiro em sua forma de viver e em suas palavras. Por isso Ele merece todo nosso crédito.

Creia nEle e viva por Ele. Descanse nEle, imite-o seja Seu discípulo. Se você reconhecê-lo em sua vida ele o acolherá em sua morte e abrirá para você os portais da eternidade.

Essas palavras eu dedico às minhas ovelhas Deise, Robson e Ana Luiza, pela perda de Maria de Fátima Dias dos Santos que partiu ontem (11.10.2012) e que, com sua morte, dá a todos nós, hoje, a oportunidade de pensar como viveremos o tempo que nos resta.

Rev. Mauro Sergio Aiello

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS