segunda-feira, 29 de julho de 2013

EU E A IGREJA DE CRISTO

John F. Kennedy em seu discurso de posse como Presidente dos USA, disse: "Não pergunte o que tua nação pode fazer por você, mas sim o que você pode fazer por tua nação". 

Quero parafrasear essa fala de Kennedy nos seguintes termos: "Não pergunte o que tua Igreja pode por fazer por você, mas sim o que você pode fazer por tua Igreja"

É óbvio que eu estou pensando na Igreja de Cristo Universal bem como penso na Igreja de Cristo local onde você O serve. A Igreja é, juntamente com a família, uma instituição Divina. Jesus morreu para resgatar sua Igreja. Ela é de origem Divina, mas é feita por mãos humanas. Por isso falível. Assim, não vale criticá-la acidamente, aguçadamente. Você não pode falar mal da noiva de Cristo. Você tem que fazer tudo que estiver ao teu alcance para ela seja sempre melhor. 

Então eu quero questionar você nos seguintes termos: O que você tem feito, qual tem sido sua contribuição para que, na Igreja local da qual você é membro, a adoração seja verdadeira e espiritual? O quanto você tem trabalhado evangelisticamente para que ela cresça qualitativa e numericamente falando? 

Lembre-se de que Jesus morreu pela Igreja, ele morreu por ti. O que fazes tu por Ele e por sua noiva. Pare de dar desculpas, de culpar os erros dos outros por tua falta de compromisso. Pare de ver os defeitos na Igreja procurando justificar, assim, a sua inércia, inoperância, falta de compromisso e envolvimento com ela. Eu sou, por várias razões e circunstâncias, uma pessoa que já viveu enormes desilusões na e com a Igreja de Cristo. Confesso que tive, por várias vezes, o desejo de chutar o balde, dar um tapa na mesa, enfiar a viola no saco e sair de cena. Ora, sou humano como qualquer outro, mas os anos de vida eclesiástica me ensinaram que a Igreja é feita de gente como eu e, portanto, não pode ser um céu prematuro mesmo.

Algumas pessoas nutrem a impressão de que podem desenvolver sua espiritualidade e o seu cristianismo fora da Igreja, fora da comunidade. Isso é impossível! Um peixe não vive fora da água. Quando Cristo nos resgatou Ele nos tirou da sociedade chamada mundo (falando apenas eufemisticamente, porque continuamos no mundo) e nos colocou dentro de uma nova sociedade chamada Eclessia, Igreja. Igreja é comunidade. É bem verdade que nem toda comunidade é Igreja, mas toda Igreja Cristã deve primar por ser comunitária, comunidade. É comunidade por que nela todos devem primar por ter tudo em comum. Não basta estarmos juntos, é preciso que estejamos juntos e procuremos ter tudo em comum. Isso que dizer que devemos ser humildes para aceitarmos os outros como eles são e esperarmos reciprocidade. Não deve existir, na Igreja, nenhum traço de discriminação, preconceito ou diferenças de classes. Em Cristo somos todos um. Paulo escreve a esse respeito quando na carta aos Efésios ele vai falar do relacionamento do Judeu convertido ao Cristianismo e do Gentio que também se tornava cristã. (Efésios 2.1-11)

Tenho visto com enorme tristeza algumas pessoas que se ausentam com a maior facilidade das atividades de sua Igreja Local. Alguns têm filhos em fase de formação da personalidade, de assentamento do conhecimento, de aprendizado para a vida, mas tudo isso acontece fora do ambiente eclesiástico. Vejo com enorme tristeza filhos de crentes que são educados nos play grounds dos prédios, dos condomínios, vivem a dimensão social dos seus pais que negligenciam a formação educacional cristã de seus filhos na Igreja. Qual o resultado que os pais de hoje colhem com esse tipo de postura? Bem, o melhor seria falar em resultados. Mas um deles e funesto, é que quando um jovem que foi criado assim, ingressa na Faculdade logo se deixa seduzir pelos encantos acadêmicos desse ou daquele mestre evolucionista, ou pelo mestre que é um ateu existencialista e a fé cristã vai, literalmente escorrendo pelo ralo. O filho se perde. Daí para as raves, as baladas, as drogas, a prostituição, a vida inócua e sem sentido é apenas subir mais um degrau. Afinal de contas vivemos o pós modernismo que nega a existência de uma verdade absoluta, deixando tudo ao deus dará, nas mãos de um relativismo imbecil.  Em Israel uma criança era obrigada a entrar na escola aos 06 anos e aos 10 anos já deveria ter decorado o Pentateuco, (os primeiros cinco livros da Bíblia), cumprindo assim o ciclo chamado Beit Sefer.

Se você tem negligenciado sua vida eclesiástica, saiba que você é o maior prejudicado. Assuma que há algo de errado em sua vida e por isso você não sente prazer em estar no Ajuntamento Solene dos Santos e prefere as festas sociais de tua cidade, do teu condomínio, da tua família. E saiba de uma coisa, mesmo que você critique severamente a Igreja, mesmo que você cruze seus braços, ela continuará por aqui por muito tempo depois de você ter partido. Triste será notar que você se equivocou e viveu de desculpas e críticas em vez de trabalho e compromisso. Faça pela Igreja de Cristo o melhor, pois haverá tempo para tudo o mais na sua vida. Dê o melhor dos teus anos e potencialidades, também, para o Senhor da Igreja e para o Senhor na Igreja. 

Que tua família seja abençoada e seja uma benção às demais famílias ao teu derredor. Que teu comprometimento com a Igreja de Cristo se assemelhe ao soldado sempre preparado e de prontidão para os embates da vida cristã. Que você seja uma benção em seu relacionamento com a Igreja de Cristo, porque certamente ela já foi benção para você ao te fazer conhecer Jesus como Salvador e Senhor.

terça-feira, 23 de julho de 2013

EM TUDO DAI GRAÇAS.....(Crônica comemorativa do Aniversário de Clarice Navajas)


Se fossemos contar os dias certamente teríamos uma enorme tarefa, pois são muitos.

Muitos dias e cheios de ventura e aventura, pois a vida é bela, por suas nuances tão variadas.

Temos muitas manhãs, entardeceres e anoiteceres para serem lembrados. Quantas festas comemoradas. Quantas alegrias vividas, quantas tristezas sentidas, quantas chegadas e partidas, quanta saudade que é a presença do ausente no coração da gente.

Quanto mais vivemos, mais lembranças temos. Quanto mais vivemos mais saudades sentimos dos tempos que se foram e ficaram para trás. Quanto mais vivemos mais responsabilidade temos de mostrar que a experiência pode nos fazer mais sábios e quem sabe deixamos, assim, de hastear algumas bandeiras, de lutar algumas batalhas, de sofrer por coisas tão efêmeras e banais. Afinal de contas o tempo deve ser um aliado da gente em nos permitir ver e sentir a vida, cada vez de forma mais sóbria.

Um dia após o outro, diria o filósofo. - Um dia após o outro.

E é assim que a vida se apresenta, exatamente assim, segundo após segundo, minuto após minuto, hora após hora, dia após dia, semanas após semanas, meses após meses, anos após anos, com sua forma desafiadora, multicolorida e emocionante. E a vida continua como se fosse uma estrada a ser percorrida, um caminho a ser trilhado.

Não podemos nos esquecer, todavia, daquele que faz o segundo, o minuto, enfim os dias, meses e anos acontecerem com sua variedade de emoções e razões. Não podemos nos esquecer daquele que faz tudo de acordo com um perfeito propósito. Não podemos comer, beber, celebrar, festejar, sem pensar naquele que é Senhor tanto da vida, quanto da morte – DEUS.

Comer, beber, celebrar, festejar, sem incluir Deus é uma afronta contra a própria vida. Esquecer de Deus em um momento no qual celebramos o dia em que viemos ao mundo é mesmo uma vileza. O Deus eterno já nos concebia na eternidade quando de repente, num momento do tempo, passamos a viver nessa dimensão planetária e terrena. Assim é porque Ele quis que fosse e assim será enquanto Ele nos mantiver respirando, pensando, sentindo. Quando Ele resolver nos chamar à eternidade, de onde viemos, Ele o fará sem que o saibamos como não sabíamos quando Ele nos chamou à existência para o mundo tangível e concreto.

Assim ao comemorarmos mais um aniversário de Clarice, nos abrimos para Deus e permitimos que nossa mente e coração sejam inundados de gratidão por tudo.

O bom cristão reconhece primeiramente que antes de tudo vem Deus para que depois possamos gozar tudo o mais na dose certa, mas sempre depois dEle, porque se na matemática a soma como operação define que a ordem dos fatores não altera o produto na matemática e economia divinas, Deus deve ser o primeiro pensamento em cada manhã, a preocupação e o fator mediador de nossas decisões no transcorrer de cada dia, o conteúdo de nossa prece quando formos deitar e repousar para simplesmente atravessar a ponte que nos leva ao amanhã.

Parabéns Clarice.

A Deus nossa gratidão por tua preciosa vida.


Rev. Mauro Sergio Aiello em 22.07.2013.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

DEUS É A MINHA (SALVAÇÃO) CURA


Eu tenho amigos ateus. E também alguns amigos atoas. Bem, nem sempre o ateu é atoa e nem sempre o atoa é ateu. E para ser sincero conheço alguns ateus que são menos atoas do que alguns que se dizem teístas e cristãos. Eu entendo!

Com meus amigos ateus, (que são poucos) eu tenho um acordo: não fico falando de Deus para eles, e eles não tentam me convencer de que a existência de Deus é uma tolice. Falamos sobre futebol, política, história, filosofia, família, mas nunca sobre religião. Na verdade não temos muito papo mesmo porque quando falo a respeito desses assuntos eu não consigo me ver livre de minha ideologia. Para falar mais francamente, o que existe é respeito mútuo. 

Mas eu gostaria de dizer que crer em Deus para mim é uma cura, uma terapia, um bálsamo para minha vida e existência. E o Deus no qual eu creio é o Deus que se revela na natureza como criador e na Bíblia como Salvador na pessoa de Jesus o Verbo encarnado. Não creio como o deísta que afirma que Deus criou tudo, instituiu as leis e depois se ausentou não tendo mais nada a ver com a sua criação (um Deus totalmente transcendente). Não vejo sentido num Deus assim. Não creio como o panteísta que vê Deus em tudo (totalmente imanente). Creio em um Deus que criou tudo o que há, que fez tudo de acordo com o conselho de sua vontade, um Deus perfeito que conduzirá tudo para um fim glorioso, cheio de graça e amor, um Deus perdoador, mas que não compactua com o pecado.

"Para mim, o Deus que eu encontro na Bíblia, ainda que eu não O compreenda totalmente, ainda que eu não encontre explicações para muitos questionamentos, e nem tenha respostas para todas as perguntas, é o deleite da minha alma, é a esperança que não me deixa sucumbir diante dos sofrimentos da vida, é a canção que eu mais gosto de cantar, é o motivo de minhas orações, é a fonte de toda gratidão e de todo bem, é a certeza de que sempre haverá amanhã, é o sol no verão, o frio no inverno, o céu cinzento em cada outono, é o campo e o jardim floridos na primavera, é o conforto que sinto quando minha esposa me abraça e que, ainda, e apesar de tudo, continua ao meu lado, é o som delicioso na fonética das palavras quando meus filhos me dizem que me amam, é o delicioso e melodioso som que brota nos lábios dos meus netos quando dizem - vovô - é o sorriso no rosto de algumas ovelhas que sinceramente demonstram me amar como seu pastor, é o motivo e a razão do meu viver".

Quando eu sinto que me dão as costas eu lembro do que disse Deus por boca do profeta Isaías: "Pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda amamenta, a ponto de não se compadecer do filho do seu ventre? Mas ainda que ela se esquecesse, eu não me esquecerei de ti". (Isaías 49.15) Eu sei que desejo ser uma boa lembrança na mente e coração das pessoas. Nem sempre é possível! Eu confesso que gostaria de ser sempre citado com um bom exemplo de cristão, mas mesmo que isso não ocorra, o Deus em que eu creio, jamais se esquecerá de mim. Ele firmou uma aliança comigo e Ele não falha. Ele é totalmente gracioso em sua aliança para comigo.

Quando eu olho ao meu redor e sinto desejo de ter mais do que já possuo sou levado ao Salmo 23 no qual o Salmista, Davi, que antes de ser rei havia sido um pastor de ovelhas do rebanho de seu pai, Jessé escreveu: "O Senhor é o meu Pastor; nada me faltará. Ele me faz deitar em pastos verdejantes, guia-me para as águas tranquilas. Renova a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do Seu nome. Quando eu tiver que andar pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; tua vara e teu cajado me tranquilizam. Preparas-me para mim uma mesa diante dos meus inimigos; unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor para todo o sempre". 

Quando eu me sinto preterido, desprezado, quando eu laboro e me esforço, mas mesmo assim não sou reconhecido, eu olho para a cruz e vejo um Deus que se humilhou ao ponto de se tornar como um de nós, fez o bem, amou como ninguém, falou verdades que têm suportado os rigores do tempo, dos céticos, dos incrédulos, dos debochados e blasfemos, em cujo rosto lançaram cusparadas, em cuja cabeça cravaram uma coroa de espinhos, cujo corpo sofreu o flagelo dos açoites, foi traído e negado, mas mesmo assim amou e continua amando aqueles pelos quais veio viver, sofrer, morrer e ressuscitar vencendo a morte, eu me encho de ânimo e sinto que não importa quantos anos eu tenha de vida desde que Ele seja a minha vida e eu viva nele e Ele viva em mim (II Cor. 5.17, Gálatas 2.19,20; 6.14-16)

A cada dia que passa o homem se embrutece mais e mais e uma das razões desse embrutecimento é acreditar que ele pode por seus próprios esforços e por sua própria mão alcançar a felicidade. O homem se embrutece não porque sofre, mas porque não quer sofrer e cria todo tipo de droga para fugir da realidade. Do fundo do meu coração eu creio que o melhor que podemos fazer é nos aquietarmos e anuirmos com a verdade de que só em Deus podemos encontrar sentido para a vida, paz para a alma e alegria para o coração. Como bem disse Agostinho: "Nos fizeste para Ti e nosso coração só descansa quando repousa em Ti".

Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai se não por Mim" (João 14.6) Não pegue atalhos, nem acredite ser possível chegar a Deus por outro meio a não ser Jesus. Qualquer outro meio te levará ainda para mais longe de Deus e se revelará caminho de morte em todos os sentidos (morte emocional, morte espiritual, morte social, morte dos sonhos, morte dos projetos, morte da verdadeira alegria e da paz, morte física, etc.). Ouse crer em Jesus! Abra teu coração e aceite o convite que ele mesmo te faz: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo leve". (Mateus 11.28-30)

Deus o abençoe com sua salvação em Cristo seu Filho amado.

terça-feira, 9 de julho de 2013

CHEIOS DO QUÊ?

Paulo não está proibindo o uso do vinho quando ao escrever para os Efésios se expressa nos seguintes termos: "E não vos embriagueis com vinho, que leva à devassidão, mas enchei-vos do Espírito,..". Efésios 5.18 É óbvio que, assim como hoje, nos dias em que Paulo vivia, o consumo do vinho era bastante apreciado e muitos exageravam. É possível, e bem provável, que os primeiros cristãos precisassem mesmo de uma orientação a esse respeito, mas o que Paulo está aqui expondo é o contraste notável entre alguém que está embriagado com o vinho de alguém que está "embriagado" com o Espírito Santo.

Uma pessoa cheia de vinho perde o equilíbrio, encontra dificuldades para falar, tem dificuldades para exercer a mais notável faculdade que distingue os humanos dos demais animais, que é a capacidade de pensar, raciocinar. É notável que uma pessoa cheia de vinho, bêbada, revela confusão mental, dificuldade para falar e perde o equilíbrio podendo até cair e se machucar. 

Paulo contrasta essa pessoa cheia do vinho com alguém cheio do Espírito e diz que a pessoa cheia do Espírito é equilibrada, fala com propriedade revelando um linguajar eivado de adoração a Deus, uma adoração sincera, profunda, coração agradecido e um sentimento de humildade e serviço. Paulo mostra que uma pessoa cheia do Espírito Santo é sóbria, coisa bem diferente de uma pessoa cheia de vinho. O que Paulo quer ensinar é exatamente isso, ou seja, ser cheio do Espírito é o inverso de ser cheio do vinho.

Mas aí eu me deparo com isso:


Com certeza ela não está cheia de vinho, ou seja, ela não está embriagada. Também não ousaria dizer que ela está possessa de um demônio. Mas eu posso dizer, ainda que isso soe bastante duro, que ela não está no Espírito Santo. Ela revela estar cheia de si mesmo. E uma pessoa cheia de si mesmo é vazia de Deus, isso é indiscutível.

Uma pessoa entregue a si mesmo, é caminho de perdição. É isso que eu vejo nesse vídeo com muita, enorme tristeza. Essa falta de equilíbrio, de juízo, de bom senso, de ordem, de critério, de moderação, de Bíblia é notável em pessoas que, mesmo não estando cheias de vinho, se deixam embriagar pelo sucesso. Pessoas que se deixam possuir pelo sucesso são assim, ou seja, elas têm a ousadia de fazer do que é eterno algo temporal, daquilo que é glorioso em algo banal, daquilo que é divino em uma demonstração de humanidade medíocre.

Vivemos dias muito difíceis. Já não basta termos de enfrentar aqueles que alegam que a Bíblia é um dentre tantos outros livros de religião e ainda temos que ver pessoas que trocaram a Bíblia pelas partituras musicais, gente que adquiriu fama não simplesmente pela vida de testemunho real e verdadeiro no cotidiano, mas sim nos palcos com seus shows cheios de pirotecnia psicológica. Atentem para o fato de que não estou afirmando nada contra a moralidade dessa moça. Tenho informações de que se trata de uma moça de excelente conduta e padrão moral. Mas assim também é com muitos ateus que eu conheço. Conheço ateus que são de uma correção moral que deixaria muitos cristãos envergonhados.

Eu sei que é possível que muitos dos seus admiradores estejam dispostos a me apedrejar. Outros tantos poderão me rotular de tagarela. Mas quanto a isso eu sigo seguro ao me lembrar que Paulo também foi apedrejado e chamado de tagarela. Mas eu peço apenas que tenhamos um pouco mais de juízo. O Espírito Santo de Deus não é Espírito de gritaria, confusão, de sons ininteligíveis e não codificáveis. O Espírito Santo, pelo contrário, traz ordem ao caos, paz ao coração, coloca as emoções em um nível no qual temos plena consciência do que e quem somos.

Uma pessoa cheia de vinho não tem equilíbrio, mas uma pessoa cheia de si mesmo, também perde a razão ao se sentir senhora de suas ações e motivações. Uma pessoa cheia de si mesmo é orgulhosa a ponto de se sentir um deus ao ouvir os apupos, ao se deixar seduzir pelas pessoas ávidas por receber o seu autógrafo, ao ouvir os elogios rasgados a respeito de sua notável performance (e não nego que no caso dessa moça apesar da voz um pouco estridente ela é um fenômeno musical), se deixa possuir por um sentimento de impunidade e onipotência a ponto de ousar tentar invadir o céu e se sentar no trono.

Cheio do quê? Bem, eu creio que devamos ser cheios do Espírito Santo. 

Portanto, sejamos cheios do Espírito Santo e o nosso silêncio haverá de ser o mais eloquente de todos os discursos, a mais linda de todas as canções, o brilho inconfundível da presença Daquele que evitou as multidões sabendo quão perigosas e instáveis elas são.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO

Se você é um daqueles que não vê graça na vida cristã é porque, com a mais absoluta certeza, você ainda não foi alcançado pela maravilhosa graça de Deus em Cristo Jesus, que te faz um cristão. É ela que te salva de uma existência medíocre, da cegueira espiritual que te faz viver nas trevas pensando habitar em plena luz, que te faz pensar e buscar as coisas do alto onde Deus está, que te faz viver por Cristo tendo a mais nítida certeza de que na morte você encontrará a plena satisfação que, na verdade, a alma deseja encontrar aqui na terra.

Falo de bate pronto. Não tenho nenhum livro sobre Pneumatologia aqui diante de mim. Faço isso como se estivesse conversando com alguém a respeito do Espírito Santo na vida de alguém. Imagino ter diante de mim alguém que pensa que cair em gargalhada, vomitar, desmaiar e ficar estirado no chão, falar em sons ininteligíveis e não decodificáveis, chorar, se deixar possuir por um êxtase, são manifestações legítimas e que denotam a presença do Espírito Santo. Imagino ter diante de mim alguém que nutre no seu coração a ideia de que uma pessoa convertida precisa urgentemente entrar em um processo de autoflagelação para que possa, em um determinado momento receber o batismo do Espírito Santo e então prove essa realidade falando em línguas "estranhas".

Desde a minha conversão sempre tive por líquido e certo que eu havia me tornado a habitação do Espírito Santo. Na verdade eu não teria condições que compreender algumas verdades se essas verdades não tivessem sido reveladas e descortinadas para mim pelo Espírito Santo de Deus. Então vem à minha mente, (e agora abro a Bíblia) e me apoio em João 16.8 que diz: "E quando Ele vier (o Espirito Santo), convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo". Não tenho a menor duvida de que a regeneração, a conversão, o novo nascimento é obra Divina perpetrada pelo Espírito Santo. Jesus disse isso em seu diálogo com Nicodemos. E nesse diálogo Jesus mostra a total passividade humana na ação do Espírito Santo quando disse: "O vento sopra onde quer, e ouves o seu som; mas não sabes de onde ele vem e nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito". (João 3.8) Quando alguém é convertido isso só é possível porque o Espírito Santo já o regenerou por habitar nele. Jesus disse aos seus discípulos: "Se me amardes, obedecereis aos meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique para sempre convosco, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós conheceis pois ele habita convosco e estará em vós". (João 14.15-17) E veja como Paulo se expressa: "Nele (Cristo), também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e nele também tendo crido, fostes selados com o Espirito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança para a redenção da propriedade de Deus, para o louvor da sua glória". (Efésios 1.13,14)

Eu digo a esse meu imaginário interlocutor, que o Espírito Santo já nos é concedido no momento de nossa conversão e não como uma segunda benção. Como é possível alguém se dizer convertido sem que o Espírito de Deus o habite? Paulo disse: "Vós, porém, não estais sob o domínio da carne, mas do Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo". (Romanos 8.9)

Por isso a primeira questão que devemos ter por certa é que o Espírito Santo não deve ser evocado como uma segunda benção. Não existe essa questão de batismo no Espírito Santo depois de nossa conversão simplesmente porque se houve real conversão, é porque o Espírito Santo já está presente e tornou real a regeneração, o novo nascimento. Nossos irmãos em Atos 2, não tiveram uma segunda benção, mas o simples cumprimento da promessa de que o Espírito Santo, após Jesus ser tirado do contexto de seu ministério terreno e ter adentrado à Majestade e se assentado à direita de Deus o Pai, seria enviado e habitaria o cristão para fazer desse cristão um verdadeiro discípulo de Jesus. Lucas escreveu: "Enquanto participava de uma refeição com eles, ordenou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo dentro de poucos dias”. (Atos 1.4,5)

O que aconteceu em Atos 2 não foi uma segunda benção que deva ser a experiência permanente na vida do cristão. O que aconteceu ali foi o simples cumprimento da agenda divina na qual depois de Jesus ter sido retirado do seu ministério terreno, o Espírito Santo, a terceira pessoa da trindade viria e daria continuidade à obra de resgate dos eleitos de Deus.

É claro que no livro de Atos podemos encontrar outras manifestações do fenômeno das línguas (Atos8, 10 e 19), mas em cada um desses episódios o que se aprende não é que o derramar do Espírito Santo é um ato como uma segunda benção. A leitura cuidadosa desses textos irá mostrar que são situações pontuais com objetivos específicos.

Outra questão envolvendo a pessoa do Espírito Santo é que quando ele nos converte, inaugura-se em nós uma batalha contra o pecado em sua multiforme apresentação. Paulo disse que "a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne. Eles se opõem um ao outro, de modo que não conseguis fazer o que quereis". (Gálatas 5.17). Com o Espírito Santo habitando em nós dá-se início a um processo chamado Santificação. Nesse processo o Espírito Santo vai imprimindo paulatina e gradativamente a imagem de Jesus o filho de Deus. Paulo escreveu aos Tessalonicenses: "A vontade de Deus para vós é esta; a vossa santificação; por isso afastai-vos da imoralidade sexual. Cada um de vós saiba manter o próprio corpo em  santidade e honra, não na paixão dos desejos, à semelhança dos gentios que não conhecem a Deus. Nesse assunto ninguém iluda ou engane seu irmão, pois o Senhor é vingador de todas essas coisas, como já vos dissemos e testemunhamos. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santificação. Portanto, quem rejeita isso não rejeita o homem, mas Deus, que vos dá o seu Espírito Santo". (I Tess. 4.3-8) 

Podemos dizer que o ministério do Espírito Santo se resume em tres: Conversão, Santificação e Testemunho. Na Conversão o convertido é convencido do seu pecado, da justiça  e juízo de Deus e então, tendo caído as escamas de seus olhos e podendo ver o fulgor da santidade de Deus, contrastando com sua pecaminosidade a alma clama por socorro e pelo Salvador. É o Espírito Santo que revela a nós quem somos realmente e ele o faz pela instrumentalidade do Evangelho. 

Na Santificação há uma colaboração do convertido. Ele faz uso dos meios da graça para poder experimentar uma vida que realmente agrade a Deus em primeiro lugar. Nas cartas de Jesus às sete Igrejas da Ásia Menor, Jesus no final de cada uma usa a seguinte expressão: "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas). (Apocalipse 2.7a, 11a, 17a, 29, 3.6, 13, 22). Os meios da graça são a Leitura das Escrituras Sagradas, a Oração e a observância dos Sacramentos. Eu incluo nessa lista, a Comunhão dos Santos (da Igreja, a família de Deus). 

Na sua mais eclesiológica epístola Paulo mostra os resultados de uma pessoa cheia do Espírito Santo e deixa claro que a sobriedade, o equilíbrio, a moderação é um desses resultados (Efésios 5.18-21). Ele contrasta uma pessoa cheia de vinho (embriagada com vinho) e outra cheia do Espírito Santo e mostra que esta ao contrário daquela é uma pessoa sóbria, equilibrada.

O Espírito Santo nos foi dado para que pudéssemos ter poder (Dínamos) ao testemunharmos de Jesus como Salvador e Senhor de nossas vidas. Jesus disse: "Mas recebereis poder quando o Espírito Santo descer sobre vós; e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda Judeia e Samaria e até os confins da terra"(Atos 1.8) Veja os Sermões de Pedro em Atos dos Apóstolos. Ele pregou cheio do Espírito Santo! Uma Igreja pode ter boa música, uma liturgia bem organizada, um bom escopo doutrinário e confessional, mas se o Espírito Santo não a habitar, não há poder para testemunhar de Jesus como Salvador e Senhor. E o mais grave é que quando isso ocorre, a tendência é o homem se tornar o centro das atenções. Parece-nos que é isso lamentavelmente que está acontecendo com o evangelicalismo nacional. Eu me entristeço em ver alguns dos meus parentes frequentando Igrejas onde o Evangelho da Graça de Deus, o Evangelho da Bíblia não é pregado, onde se vive um mundo de magia e de ilusão, onde se fala em nome de Deus, mas seus corações estão longe de Deus. Não é porque alguém fala sobre Deus que temos que acreditar no que ele está dizendo. Falar sobre Deus não é o mesmo que falar em nome de Deus. Houve um tempo em que o povo de Deus se aproximava de Deus, mas isso era apenas uma ação mecânica e não legítima do ponto de vista espiritual: "Por isso o Senhor disse: Este povo se aproxima de mim e me honra com os lábios e com a boca, mas o coração deles está longe de mim; o meu temor para comigo consiste em mandamentos de homens, aprendidos de forma mecânica”. (Isaías 29.13)

Portanto, se você pensa que o Espírito Santo foi dado como segunda benção, provavelmente você ainda não recebeu a primeira.

Se você acredita que cair no chão e ficar estirado ali é coisa do Espírito, creio que você se equivocou porque o Espírito Santo é aquele que nos mantém em pé, equilibrado, sóbrio.

Se você pensa que alguém que vomita o faz pela ação do Espírito Santo, creio que se equivocou também. Na verdade se essa pessoa vomitou é porque ela comeu algo que não lhe fez bem e o corpo está expulsando ou por outras razões, mas com certeza o Espírito Santo não nos faz vomitar. Ele é saúde em todos os sentidos. Ele é ordem em todos os sentidos.

Se você ouvir alguém balbuciando sons ininteligíveis, digo a você que essa pessoa está com um sério problema espiritual e não com o Espírito Santo de Deus. O Espírito Santo de Deus não é um Espírito de confusão. Sua voz é entendida e acolhida no coração do eleito. Jesus não falou em línguas uma vez sequer aos seus ouvintes e quando usou outro dialeto todos entenderam. 

Se você vir alguém rindo para valer, não acredite que isso seja uma obra do Espírito Santo. Vai ver contaram alguma história engraçada para ele.  O Espírito Santo é um Espírito de seriedade e não de devaneios e êxtases que anulam a razão, de emoções sem sentido e que desembocam em licenciosidades.

Se você encontrar uma Igreja lotada onde o verdadeiro e bíblico Evangelho não é pregado, lembre-se que os estádios e os clubes também lotam. Jesus foi seguido por multidões, mas ele sempre se esquivou delas. Jesus conhece a psique das massas e sabe o quão instáveis elas são.

Ó Santo Espírito de Deus: Habita potencialmente em cada um daqueles que leem esse artigo e arregimenta-os como instrumentos do teu Santo Evangelho. Enche-nos, Espírito Santo, até que dentro de nós só ache a ti mesmo e possamos evitar os caminhos do egocentrismo. Faz com que nossa vida seja santificada e que Deus o Pai tenha prazer em nos contemplar de seu Alto e Majestoso trono. Prepara-nos dia-a-dia para nosso encontro com nosso Salvador, ou pela morte, ou pela volta de Jesus. Que sejamos encontrados fiéis ainda que perseguidos e excluídos, ainda que tidos como loucos, como lixo, para o mundo. Que a Glória de Deus Pai resplandeça em nossos rostos assim como foi com Estevão. Em nome de Jesus. Amém.

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS