quinta-feira, 4 de julho de 2013

A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO

Se você é um daqueles que não vê graça na vida cristã é porque, com a mais absoluta certeza, você ainda não foi alcançado pela maravilhosa graça de Deus em Cristo Jesus, que te faz um cristão. É ela que te salva de uma existência medíocre, da cegueira espiritual que te faz viver nas trevas pensando habitar em plena luz, que te faz pensar e buscar as coisas do alto onde Deus está, que te faz viver por Cristo tendo a mais nítida certeza de que na morte você encontrará a plena satisfação que, na verdade, a alma deseja encontrar aqui na terra.

Falo de bate pronto. Não tenho nenhum livro sobre Pneumatologia aqui diante de mim. Faço isso como se estivesse conversando com alguém a respeito do Espírito Santo na vida de alguém. Imagino ter diante de mim alguém que pensa que cair em gargalhada, vomitar, desmaiar e ficar estirado no chão, falar em sons ininteligíveis e não decodificáveis, chorar, se deixar possuir por um êxtase, são manifestações legítimas e que denotam a presença do Espírito Santo. Imagino ter diante de mim alguém que nutre no seu coração a ideia de que uma pessoa convertida precisa urgentemente entrar em um processo de autoflagelação para que possa, em um determinado momento receber o batismo do Espírito Santo e então prove essa realidade falando em línguas "estranhas".

Desde a minha conversão sempre tive por líquido e certo que eu havia me tornado a habitação do Espírito Santo. Na verdade eu não teria condições que compreender algumas verdades se essas verdades não tivessem sido reveladas e descortinadas para mim pelo Espírito Santo de Deus. Então vem à minha mente, (e agora abro a Bíblia) e me apoio em João 16.8 que diz: "E quando Ele vier (o Espirito Santo), convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo". Não tenho a menor duvida de que a regeneração, a conversão, o novo nascimento é obra Divina perpetrada pelo Espírito Santo. Jesus disse isso em seu diálogo com Nicodemos. E nesse diálogo Jesus mostra a total passividade humana na ação do Espírito Santo quando disse: "O vento sopra onde quer, e ouves o seu som; mas não sabes de onde ele vem e nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito". (João 3.8) Quando alguém é convertido isso só é possível porque o Espírito Santo já o regenerou por habitar nele. Jesus disse aos seus discípulos: "Se me amardes, obedecereis aos meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique para sempre convosco, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós conheceis pois ele habita convosco e estará em vós". (João 14.15-17) E veja como Paulo se expressa: "Nele (Cristo), também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e nele também tendo crido, fostes selados com o Espirito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança para a redenção da propriedade de Deus, para o louvor da sua glória". (Efésios 1.13,14)

Eu digo a esse meu imaginário interlocutor, que o Espírito Santo já nos é concedido no momento de nossa conversão e não como uma segunda benção. Como é possível alguém se dizer convertido sem que o Espírito de Deus o habite? Paulo disse: "Vós, porém, não estais sob o domínio da carne, mas do Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo". (Romanos 8.9)

Por isso a primeira questão que devemos ter por certa é que o Espírito Santo não deve ser evocado como uma segunda benção. Não existe essa questão de batismo no Espírito Santo depois de nossa conversão simplesmente porque se houve real conversão, é porque o Espírito Santo já está presente e tornou real a regeneração, o novo nascimento. Nossos irmãos em Atos 2, não tiveram uma segunda benção, mas o simples cumprimento da promessa de que o Espírito Santo, após Jesus ser tirado do contexto de seu ministério terreno e ter adentrado à Majestade e se assentado à direita de Deus o Pai, seria enviado e habitaria o cristão para fazer desse cristão um verdadeiro discípulo de Jesus. Lucas escreveu: "Enquanto participava de uma refeição com eles, ordenou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo dentro de poucos dias”. (Atos 1.4,5)

O que aconteceu em Atos 2 não foi uma segunda benção que deva ser a experiência permanente na vida do cristão. O que aconteceu ali foi o simples cumprimento da agenda divina na qual depois de Jesus ter sido retirado do seu ministério terreno, o Espírito Santo, a terceira pessoa da trindade viria e daria continuidade à obra de resgate dos eleitos de Deus.

É claro que no livro de Atos podemos encontrar outras manifestações do fenômeno das línguas (Atos8, 10 e 19), mas em cada um desses episódios o que se aprende não é que o derramar do Espírito Santo é um ato como uma segunda benção. A leitura cuidadosa desses textos irá mostrar que são situações pontuais com objetivos específicos.

Outra questão envolvendo a pessoa do Espírito Santo é que quando ele nos converte, inaugura-se em nós uma batalha contra o pecado em sua multiforme apresentação. Paulo disse que "a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne. Eles se opõem um ao outro, de modo que não conseguis fazer o que quereis". (Gálatas 5.17). Com o Espírito Santo habitando em nós dá-se início a um processo chamado Santificação. Nesse processo o Espírito Santo vai imprimindo paulatina e gradativamente a imagem de Jesus o filho de Deus. Paulo escreveu aos Tessalonicenses: "A vontade de Deus para vós é esta; a vossa santificação; por isso afastai-vos da imoralidade sexual. Cada um de vós saiba manter o próprio corpo em  santidade e honra, não na paixão dos desejos, à semelhança dos gentios que não conhecem a Deus. Nesse assunto ninguém iluda ou engane seu irmão, pois o Senhor é vingador de todas essas coisas, como já vos dissemos e testemunhamos. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santificação. Portanto, quem rejeita isso não rejeita o homem, mas Deus, que vos dá o seu Espírito Santo". (I Tess. 4.3-8) 

Podemos dizer que o ministério do Espírito Santo se resume em tres: Conversão, Santificação e Testemunho. Na Conversão o convertido é convencido do seu pecado, da justiça  e juízo de Deus e então, tendo caído as escamas de seus olhos e podendo ver o fulgor da santidade de Deus, contrastando com sua pecaminosidade a alma clama por socorro e pelo Salvador. É o Espírito Santo que revela a nós quem somos realmente e ele o faz pela instrumentalidade do Evangelho. 

Na Santificação há uma colaboração do convertido. Ele faz uso dos meios da graça para poder experimentar uma vida que realmente agrade a Deus em primeiro lugar. Nas cartas de Jesus às sete Igrejas da Ásia Menor, Jesus no final de cada uma usa a seguinte expressão: "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas). (Apocalipse 2.7a, 11a, 17a, 29, 3.6, 13, 22). Os meios da graça são a Leitura das Escrituras Sagradas, a Oração e a observância dos Sacramentos. Eu incluo nessa lista, a Comunhão dos Santos (da Igreja, a família de Deus). 

Na sua mais eclesiológica epístola Paulo mostra os resultados de uma pessoa cheia do Espírito Santo e deixa claro que a sobriedade, o equilíbrio, a moderação é um desses resultados (Efésios 5.18-21). Ele contrasta uma pessoa cheia de vinho (embriagada com vinho) e outra cheia do Espírito Santo e mostra que esta ao contrário daquela é uma pessoa sóbria, equilibrada.

O Espírito Santo nos foi dado para que pudéssemos ter poder (Dínamos) ao testemunharmos de Jesus como Salvador e Senhor de nossas vidas. Jesus disse: "Mas recebereis poder quando o Espírito Santo descer sobre vós; e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda Judeia e Samaria e até os confins da terra"(Atos 1.8) Veja os Sermões de Pedro em Atos dos Apóstolos. Ele pregou cheio do Espírito Santo! Uma Igreja pode ter boa música, uma liturgia bem organizada, um bom escopo doutrinário e confessional, mas se o Espírito Santo não a habitar, não há poder para testemunhar de Jesus como Salvador e Senhor. E o mais grave é que quando isso ocorre, a tendência é o homem se tornar o centro das atenções. Parece-nos que é isso lamentavelmente que está acontecendo com o evangelicalismo nacional. Eu me entristeço em ver alguns dos meus parentes frequentando Igrejas onde o Evangelho da Graça de Deus, o Evangelho da Bíblia não é pregado, onde se vive um mundo de magia e de ilusão, onde se fala em nome de Deus, mas seus corações estão longe de Deus. Não é porque alguém fala sobre Deus que temos que acreditar no que ele está dizendo. Falar sobre Deus não é o mesmo que falar em nome de Deus. Houve um tempo em que o povo de Deus se aproximava de Deus, mas isso era apenas uma ação mecânica e não legítima do ponto de vista espiritual: "Por isso o Senhor disse: Este povo se aproxima de mim e me honra com os lábios e com a boca, mas o coração deles está longe de mim; o meu temor para comigo consiste em mandamentos de homens, aprendidos de forma mecânica”. (Isaías 29.13)

Portanto, se você pensa que o Espírito Santo foi dado como segunda benção, provavelmente você ainda não recebeu a primeira.

Se você acredita que cair no chão e ficar estirado ali é coisa do Espírito, creio que você se equivocou porque o Espírito Santo é aquele que nos mantém em pé, equilibrado, sóbrio.

Se você pensa que alguém que vomita o faz pela ação do Espírito Santo, creio que se equivocou também. Na verdade se essa pessoa vomitou é porque ela comeu algo que não lhe fez bem e o corpo está expulsando ou por outras razões, mas com certeza o Espírito Santo não nos faz vomitar. Ele é saúde em todos os sentidos. Ele é ordem em todos os sentidos.

Se você ouvir alguém balbuciando sons ininteligíveis, digo a você que essa pessoa está com um sério problema espiritual e não com o Espírito Santo de Deus. O Espírito Santo de Deus não é um Espírito de confusão. Sua voz é entendida e acolhida no coração do eleito. Jesus não falou em línguas uma vez sequer aos seus ouvintes e quando usou outro dialeto todos entenderam. 

Se você vir alguém rindo para valer, não acredite que isso seja uma obra do Espírito Santo. Vai ver contaram alguma história engraçada para ele.  O Espírito Santo é um Espírito de seriedade e não de devaneios e êxtases que anulam a razão, de emoções sem sentido e que desembocam em licenciosidades.

Se você encontrar uma Igreja lotada onde o verdadeiro e bíblico Evangelho não é pregado, lembre-se que os estádios e os clubes também lotam. Jesus foi seguido por multidões, mas ele sempre se esquivou delas. Jesus conhece a psique das massas e sabe o quão instáveis elas são.

Ó Santo Espírito de Deus: Habita potencialmente em cada um daqueles que leem esse artigo e arregimenta-os como instrumentos do teu Santo Evangelho. Enche-nos, Espírito Santo, até que dentro de nós só ache a ti mesmo e possamos evitar os caminhos do egocentrismo. Faz com que nossa vida seja santificada e que Deus o Pai tenha prazer em nos contemplar de seu Alto e Majestoso trono. Prepara-nos dia-a-dia para nosso encontro com nosso Salvador, ou pela morte, ou pela volta de Jesus. Que sejamos encontrados fiéis ainda que perseguidos e excluídos, ainda que tidos como loucos, como lixo, para o mundo. Que a Glória de Deus Pai resplandeça em nossos rostos assim como foi com Estevão. Em nome de Jesus. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS