domingo, 25 de agosto de 2013

ESPERO VER VOCÊ LÁ....






Howard Andrew Williams, conhecido como Andy Williams (Wall Lake3 de dezembro de 1927 - Branson25 de setembro de 2012) foi um cantor estadunidense famoso por sucessos como a canção-tema do filme Bonequinha de Luxo, "Moon River". 

Começou cantando na Igreja Presbiteriana local, depois formou um quarteto com seus irmãos e se apresentou no show de Bing Crosby, em 1944.1 2 Começou sua carreira-solo em 1952e emplacou diversos sucessos3 , até se tornar um dos mais populares cantores do país na década de 1960. Ganhou dezoito discos de ouro e três de platina, atrás apenas de Frank Sinatra, Elvis Presley e Johnny Mathis. Combinando bom gosto, técnica vocal e carisma, chegou várias vezes ao topo da lista da revista Billboard.

Teve seu próprio show de televisão, o The Andy Williams Show, o mais popular da época e que venceu três prêmios Emmy, entre 1962 e 1971, tendo cantado ao lado de Julie Andrews,Ella FitzgeraldBobby DarinJerry LewisBing CrosbyJudy GarlandRobert GouletSammy Davis Jr., os irmãos Karen e Richard CarpenterTony BennettDorival Caymmi (de quem gravou Roses, Roses, Roses) e Tom Jobim, que o considerava o melhor cantor americano de bossa nova. Nos anos 90 fundou seu próprio teatro, chamado Moon River Theatre, emBransonMissouri. Gravou oito álbuns de músicas natalinas, o que lhe valeu o título de Mr. Christmas, e apresentou por sete anos seguidos a cerimônia do Grammy.

Em 1961 casou-se com Claudine Longet, com quem teve três filhos, separando-se dela em 1969. Casou-se pela segunda vez em 1991 com Debbie Haas. Williams e Debbie moravam em BransonMissouri e La Quinta, na Califórnia, numa casa de arquitetura notável pela sua arte moderna. Williams era golfista amador e manteve-se em plena atividade mesmo em idade avançada.

Faleceu em 25 de setembro de 2012, aos 84 anos, devido a complicações ocasionadas por um câncer de bexiga. (Wikpédia)


Em que e em quem repousa nossa esperança? O que pensamos sobre a vida vindoura? Será que há vida depois dessa aqui?  Se há como será essa existência? O que diz e pensa meu coração? O que podemos encontrar na religião a esse respeito? 

Fui criado com a Bíblia ao meu lado, com a visão de uma mulher que orava à semelhança de Ana, minha mãe. Meu pai partiu cedo para a estimativa de vida dos brasileiros. Ele morreu com somente 59 anos de idade, exatamente a idade que tenho hoje. Meu querido pai enfrentou sua enfermidade como um verdadeiro homem. Lembro-me do dia em que me chamou ao seu quarto e me pediu que eu cuidasse de meus irmãos mais novos e de minha mãe. Ele sabia que o seu tempo estava terminando aqui nessa terra e que iria partir em breve. Isso aconteceu no dia 15.02.1974, mais precisamente às 13H00, no Hospital Brigadeiro. Recordo-me de vê-lo, pela última vez deitado sobre aquela pedra com seus lindos cabelos que embranqueceram por conta da dor que ele suportou até o último suspiro.

Não me importo com o que me dizem a respeito da minha fé. Eu hoje estou convencido mais do que tudo que ela é mesmo um milagre. Eu sei que ela é um tesouro depositado em meu coração, por Deus. Paulo escreveu de forma notável: "Combati o bom combate, completei a carreia, guardei a fé". Guardar aqui não é acondicionar a fé no coração como guardamos um tesouro em um baú, mas o sentido aqui é "pratiquei" a fé. É como se ele dissesse: "Combati o bom combate, completei a carreira e fiz isso observando em todos os momentos a fé". Essa fé é um dom de Deus e por isso é eterna como eterno é o Deus que a doou. Eu tento observá-la e é nela que eu coloco minha esperança, é com ela em meu coração que eu penso e canto a esperança da vinda vindoura. Oh! Meu coração se alegra profusamente ao ver que se essa vida aqui é maravilhosa, a vida por vir, como esperamos em Cristo, é infinitamente superior.

Eu gosto de cantar uma música que tem como título original Danny Boy que eu posto abaixo interpretada por Andy Williams um dos meus intérpretes prediletos. Na versão que eu canto o título é Há Um País. É interessante como Danny Williams, como era conhecido também, se parecia fisicamente com meu pai. Meu pai era um exímio músico e foi ele quem me fez amar a música como uma expressão artística que eu uso como instrumento para louvor de Deus, para testemunho dessa fé, para compartilhar minha vida com Deus a todos que me circundam, Essa poesia abaixo é a letra composta para essa melodia. Talvez a música mais linda que meus ouvidos já ouviram.


Há um país além do grande rio
Cheio de flores de prazer e luz
Que é destinado as almas resgatadas
Lá não terão nem morte, nem mais cruz
Lá é aonde a morte não mais entrará
Nem mais pecado o riso tirará
Jesus o Rei, nessas mansões tão lindas
Os salvos todos com prazer abraçara.

Lindo país eu vejo a brisa mansa
Acariciar campinas e jardins
E a embalar, as palmas prateada
Dos vales perfumados por jasmins
Enquanto o sol se põe no horizonte
Eu julgo ver em sonho esse lar
Vejo amigos já ressuscitados
E todos nós ao nosso bom Jesus louvar
E todos nós ao nosso bom Jesus louvar.



Em que repousa sua esperança? Ah! Que bom sua esperança está em Cristo. Então espero ver você lá....

Amém.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

AO MESTRE COM CARINHO (IVAN G.G.ROSS)

Dizem que quem não sonha é louco. Não sei se há ciência que comprove isso, mas de uma coisa eu sei; há sonhos que sonhamos e que parecem loucura. O sonho que eu tive na madrugada de hoje (15.08.2013) foi um desse tipo. Não é preciso contar os detalhes desse sonho. Em resumo o sonho tratava de um homem que queria receber o título de mestre (Pós Graduação Estrito Senso) e eu o estava ajudando nisso. O sonho, como disse, não importa, mas sim quem era o personagem desse sonho. Eu sonhei com um senhor chamado Ivan G.G. Ross. Esse homem que marcou minha vida de forma simples, mas profunda, foi meu primeiro Diretor quando cursei o Seminário Teológico Presbiteriano Reverendo José Manoel da Conceição, no bairro do Campo Belo, São Paulo. Como já expus, os detalhes do sonho que eu sonhei com ele não importam, mas para mim, o que importa e me pareceu estranho foi vê-lo no meu sonho. Sim, afinal das contas já faz 28 anos que o episódio que passo a relatar aconteceu. O Rev. Ivan G.G. Ross deixou a Diretoria do Seminário no ano seguinte, 1986. Nunca mais o vi! 

Eu estava no primeiro ano no curso de Bacharel em Teologia. Já tinha 30 anos de idade, casado, e pai de Felipe e Juliana. A Fernanda iria nascer no ano seguinte,1986. Eu dividia minha vida em quatro: família, seminário, os cuidados com uma Congregação no bairro da Ponte Rasa, zona leste de São Paulo e meu trabalho secular como representante farmacêutico na Laborterápica Bristol/Mead Johnson, uma empresa multinacional do Grupo Bristol Myers. Era responsável pelo setor 101 em minha equipe de vendas que ira até o setor 110. Todas as sextas-feiras nos reunimos por volta das 17H00 para entregarmos nossos relatórios de visitas a médicos, das vendas e cobranças feitas naquela semana. Eu era um PVC, ou seja, um Propagandista, Vendedor e Cobrador. O curso de Teologia estava no seu início. Era ali por volta do mês de Abril. Nós, os seminaristas, estávamos nos conhecendo, assim como também tendo os primeiros contatos com nossos mestres.

Naquela sexta-feira, cheguei no horário de costume na empresa, com todos os relatórios prontos para serem entregues ao meu supervisor. Normalmente eu seria o primeiro a fazer isso, pois meu setor era, como já escrevi o de número 101 e o último era o 110. Todas as sextas-feiras, era assim. Eu era o primeiro a ser atendido e depois que meus relatórios eram entregues, eu podia sair, encerrando assim o expediente naquele dia e na semana. Nas outras tantas sextas-ferias tinha desenvolvido o hábito de passar na cooperativa da empresa e fazer algumas compras para minha casa. Esse hábito foi mudado quando comecei o Curso de Bacharel de Teologia, pois depois do expediente eu tinha aulas no Seminário, indo para casa bem tarde da noite. As aulas começavam, se não estou equivocado, às 19H30.

Naquela sexta-feira, algo aconteceu que me deixou bastante perturbado. Eu que era costumeiramente, como já escrevi, o primeiro a ser atendido, fui surpreendido pela mudança dessa regra sendo informado que seria o último. O primeiro a ser atendido seria o PVC do setor 110. Todas as vezes que meu Supervisor encerrava a análise de um setor, ele olhava para mim, sorria de forma sagaz e perguntava se eu estava com pressa. E era óbvio que eu estava. Pelos meu cálculos eu iria chegar atrasado para a aula de certa disciplina, a primeira aula das sextas-feiras. E assim, foi. Do setor 110 até o 102 eu sofri um ato de constrangimento, e gozação do meu Supervisor. Só depois é que vim saber a razão desse tipo de atitude, pela qual eu já o perdoei, algo de que ele não tem conhecimento. Nem sei se ele se importaria com isso. Fui então atendido e dispensado. Sai às pressas, voando. Peguei meu carro no estacionamento e fui para o Seminário, chegando, é óbvio com mais de quinze minutos de atraso.

Estacionei meu carro, me dirigi à sala de aula. A porta estava fechada. Bati e pedi permissão para entrar. Assim que entrei, com a permissão do meu professor, e enquanto me dirigia à minha carteira no fundo da sala de aula, o professor, se já não bastasse as gozações do meu Supervisor na empresa, me disse: - Chegou cedo para a próxima aula. Eu acharia engraçado, em outro contexto, mas não nesse, tanto pelo que sofri na empresa, quanto pelas gargalhadas dos meus companheiros de sala de aula. Sofri um tremendo choque com aquela atitude do meu professor. Tentei justificar, mas ele não permitiu que eu fizesse isso. Não esperava isso dele! Fiquei decepcionado e magoado. 

Passei por todos meus colegas de classe e me sentei no fundo da sala de aula. Não me contive e comecei a chorar. Não compulsivamente, mas chorei. Confesso que era raiva, ira, tanto do meu Supervisor quanto da atitude do meu professor. Enxugava minhas lágrimas com o lenço. Naquele dia, estava ali, sentado também no fundo da sala de aula o Diretor a quem me referi acima, o personagem do meu sonho; Rev. Ivan G.G. Ross. Ele viu tudo, ouviu o motejo e me viu sentar e chorar. Passados alguns minutos ele se levantou, se despediu e saiu da sala. Eu estava me recompondo, quando a Secretária do Seminário bateu à porta e disse ao professor: - O Diretor que conversar com o Seminarista Mauro Sergio Aiello. Ela pediu ao professor que permitisse que eu me retirasse da sala de aula. Permissão dada, lá fui eu, pensando com meus botões: "Será que ainda vou tomar uma bronca do Diretor? Só me faltava isso". Aquele dia parecia não terminar muito bem. Mas lá fui eu.

Entrei na sala do Diretor e ele me pediu que eu me sentasse. Ordenou à Secretária que me trouxesse um copo com água, olhou para mim com carinho e pediu que eu contasse a ele a razão do meu atraso. Eu então fiz o relato do que havia acontecido. Ele ouviu com atenção com um semblante solidário. Depois disso ele pediu à Secretária que chamasse o professor à sua sala. Ela foi e depois de algum tempo o professor entrou e o Diretor pediu que eu repetisse a história que era o relato do motivo do meu atraso, o que fiz. Após o relato o Diretor disse ao meu professor que ele deveria me pedir perdão. O professor com humildade me pediu perdão, e eu com sinceridade o perdoei apenas acrescentando que gostaria que ele esclarecesse à classe o que havia acontecido e a razão do meu atraso. O Diretor disse, também, que apesar do meu atraso ser maior do que quinze minutos ele iria abonar a minha falta. Ele orou comigo e com o meu professor. Depois que o professor saiu o Diretor me abraçou e disse que eu não deveria me abater e deveria continuar firme nos meus estudos. Hoje, eu e esse professor, gozamos de uma amizade abençoada e temos enorme carinho um pelo outro. O episódio foi cristãmente superado. Aleluia!

Pode parecer para você que lê esse relato, esse episódio, algo sem muita importância, para não dizer banal, mas para mim que o vivi, não é. Jamais me esquecerei da forma carinhosa, graciosa e amorosa com que o personagem do meu sonho dessa madrugada, o Rev. Ivan G.G. Ross me tratou naquele dia. Senti-me amparado, estimulado e vi naquele homem uma preocupação cristã com a justiça. Ele poderia ter simplesmente deixado para lá, mas ele demonstrou me amar sem me conhecer. Na verdade não nos conhecíamos, pois como disse, estava no começo dos meus estudos naquele Seminário, onde me formei no ano de 1988. Mas ele demonstrou se importar comigo. Ele viu as minha lágrimas. Ele viu um homem de 30 anos chorando depois de uma brincadeira infeliz de um professor. Ele não conhecia o contexto, mas se sensibilizou com meu sofrimento. E agiu de forma justa e cristã. Não posso me esquecer disso e eu escrevo porque se a mente falhar os registros desse acontecimento podem inspirar outros a demonstrar que em um mundo onde a indiferença é marca tão distintiva, alguém que se importa com a dor do outro faz uma grande diferença. 

No sonho que tive nessa madrugada, o personagem Ivan G.G. Ross corria para poder obter o seu título de mestre. No final do sonho eu e ele nos encontramos com um outro personagem que lhe disse que ele não precisava cumprir com as exigências acadêmicas porque ele já era reconhecido como Mestre e que uma Certidão de seu Título de Mestre já havia sido expedida. Foi nesse momento do sonho que eu acordei. E confesso que chorei como naquele dia no Seminário. Levantei-me, vim escrever isso aqui para dizer que de fato Ivan G.G. Ross é Mestre e com ele eu tenho uma enorme dívida de gratidão o que espero poder diminuir ao escrever isso aqui. 

"O método mais eficiente em fazer com que se importem com você é, primordialmente, demonstrar interesse verdadeiro pelas pessoas".

Querido Ivan G.G. Ross: Muito obrigado, de todo o meu coração, meu Diretor e Mestre. Muito obrigado!

terça-feira, 13 de agosto de 2013

MINHAS MÁXIMAS NO FACEBOOK

Tenho participado das redes sociais e o Facebook é a principal delas. Eu uso o Facebook para contar minhas experiências, para compartilhar meus escritos, para testemunhar da minha fé em Jesus como meu Salvador, Senhor e Mestre, para expor minhas impressões sobre diversos aspectos da  vida, para fazer contato com gente que vive longe e com quem não podemos desfrutar de uma comunhão mais pessoal, para aconselhar gente que me procura no afã de receber uma palavra de incentivo, apoio e orientação, para repartir minhas emoções variadas, em nível de família, ministério ou na esfera esportiva. Abro-me no Facebook, me exponho, apesar de saber dos ricos que corro, da possibilidade de ser interpretado de forma equivocada porque esse é um ambiente frio onde dialogamos sem olhar nos olhos um do outro ou perceber a intensidade das emoções na variação da voz. 

Outro dia eu disse no púlpito da Igreja que o Facebook não é coisa do diabo como alguns que têm fobia por internet alegam. O Facebook, como muitas outras coisas na Internet, pode ser usado para o bem e também para o mal. A diferença está não no recurso, mas sim na pessoa. Se pessoa é má na essência tudo o que ela, faz, onde ela põe a mão, certamente será usado para o mal. O Facebook não é do diabo, mas às vezes muitos que o usam, são.

Compartilho com você algumas máximas que tenho publicado no Facebook. Elas são partes de sermões, estudos bíblicos, palestras, percepções de algumas falas, reportagens, opiniões, posts publicados no próprio Facebook e por aí vaí. Não são imperativos categóricos. São apenas opiniões e idéias com as quais você pode concordar ou não, mas se ela te fizer pensar já terá sido algo bom, em meu entendimento. Vamos a algumas delas:

FAMÍLIA
Família não se define pelo sangue, mas sim por aqueles que estão dispostos a derramar o próprio sangue em favor dos outros. Assim começa a família divina, exatamente quando Jesus derramou seu sangue para nos fazer irmãos uns dos outros e filhos do mesmo Pai". Lindo não? Nada há de tão maravilhoso que se compare a isso.

EVANGELIZAÇÃO E DOUTRINAMENTO
Não vejo muito sentido em falarmos sobre Doutrinas (Calvinismo X Arminianismo, Escatologia, Pneumatologia, etc....) se não evangelizarmos. Veja, não é uma questão piegas essa. A questão toda é que não faz sentido doutrinar ímpios. Eles não enxergam o que só um regenerado vê, e para termos regenerados, a quem doutrinar é preciso evangelizar. O centurião Cornélio não ouviu doutrinas, ele ouviu o evangelho da paz (Atos 10). Você pode ser doutor em doutrinas, mas se não tiver discípulos sua classe vai sempre estar vazia.

DEUS ESTÁ FALANDO. SIM, MAS COM QUEM
Algumas pessoas vão à Igreja e ouvem algumas coisas que batem de frente com o tipo de vida que levam. Dentre essas pessoas algumas pensam: "Deus está falando isso para mim". Outras pensam: "Deus está falando isso contra mim". Outras pensam: “Deus está falando isso para outra pessoa, não para mim”. Qual das três você é? Qual dessas três pessoas tem mais probabilidade de mudar? Pense nisso.

CRESCIMENTO
Deus nos fez renascer, e assim como crianças precisamos crescer e alcançar a maturidade. Olhe para trás e veja com sinceridade, desde o dia de tua conversão, quanto você cresceu e amadureceu, porque definitivamente, a maior prova de nossa regeneração, a mais inquestionável evidência de que somos novas criaturas não é o fato de falarmos que somos crentes mas o quanto do velho homem ficou, e vai ficando para trás. (II Cor. 5.17)

MOTIVAÇÃO
A motivação.....Vasculhe, perscrute, analise racionalmente. Se não for para a Glória de Deus e a Honra do seu nome, sinceramente? Melhor se omitir.

O LIVRO PARA O CORAÇÃO (EU)
Sem que percebamos, corremos o sério risco de agirmos como hipócritas que conhecem a Bíblia intelectualmente, se deleitam em lê-la, perscrutá-la, discuti la, deixando de lado a ciência de que ela não é um livro apenas, mas sim a Palavra de Deus dirigida aos nossos corações e não simplesmente às nossas mentes.

CONHECER O AUTOR FAZ A DIFERENÇA
Já li Tolstoi, Machado de Assis, Leon Uris, Sidney Shelton, Raul Pompéia, Monteiro Lobato e por aí vai. Não conheci pessoalmente nenhum deles. Tudo bem! Já li a Bíblia algumas vezes, mas nesse caso, é preciso conhecer o autor dessa obra. Esse conhecimento faz toda a diferença na leitura.

EU DEVO FAZER A MINHA PARTE
O milagre acontece, mas é preciso tocar as águas com o cajado, é preciso ter peixes e pães, é preciso lavar os olhos na fonte. Tem gente que quer o sucesso sem os degraus do sacrifício, quer a sabedoria e o conhecimento sem leitura, quer ganhar guerras sem vencer batalhas, quer o êxito sem suor, quer riqueza sem responsabilidade quer Deus sem compromisso.

PERDÃO OU VINGANÇA?
Quando alguém não perdoa, ele confunde justiça com vingança. Somente o perdão poderá nos levar pelos campos aplanados da justiça. A ira do homem não produz a justiça divina e por outro lado, a misericórdia triunfa sobre o juízo (Tiago 1.20; 2.13).

PERDÃO - O BALSAMO
Quando somos ofendidos, ficamos feridos. O único unguento que pode curar a ferida que se abre, é o perdão. Enquanto você não perdoar, mais enfermo vai ficar.

PARA MINHA AMADA ANGELA
Antes de dormir quero dizer a você querida Angela...Você é o sonho que sonhei, a esperança que esperei, você é o tempo que passa, cheio de graça, você é o ar que eu respiro, você é a primavera cheia de flor, você é o lugar para onde sempre volto em segurança, você é o meu amor. Meu coração vive encantado por tê-la ao meu lado. Você é o perfume que me seduz, você é um dia cheio de luz e uma noite apaixonada, você é a inspiração de uma noite enluarada...Só você conquistou meu coração e ele te pertence.

A VIDA NOVA
Sei que não é a lição central, mas na Parábola do Filho Pródigo, o Pai trocou as vestes do filho perdido, colocou um anel em seu dedo e sandálias em seus pés. O que é isto se não o indício de que uma vida nova estava começando para um filho que estava perdido e foi achado, para alguém que havia morrido e foi ressuscitado?

A CREDENDA E A VIVENDA
Crer e viver devem ser os dois lados da moeda chamada Vida Cristã. Em alguns casos, a esse respeito, eu encontro ateus bem mais coerentes, o que me entristece em demasia.

MÚSICA - QUEM NÃO GOSTA?
Eu amo música. A boa música evangélica então, eu sou capaz de passar horas ouvindo. A mais linda de todas as histórias só poderia mesmo inspirar as mais lindas cancões.

O CIDADÃO DO CÉU
Ir para o céu, qualquer um quer. Viver como pessoas dignas dele é outra coisa. Não nos esqueçamos que as dez virgens queriam encontrar o noivo, mas somente cinco delas estavam preparadas.

PARA CALVINISTAS, APENAS
Não basta apenas termos consciência de que fomos escolhidos antes da fundação do mundo. O que importa mesmo é vivermos para a Glória daquele que nos escolheu sem que merecêssemos tamanho privilégio e honra. O conhecimento do privilégio apenas, está longe de ser o privilégio, se não for encarnado na vida". - Senhor obrigado por me escolher. Me ajuda a viver de acordo com essa escolha que fizeste de tal maneira que não haja dúvidas em meu coração. Em nome de Jesus, amém.

O INTERNETÊS....
Cuidado gente...."O uso do cachimbo deixa a boca torta". É verdade! De tanto ver na internet "vc" em vez de "você", "blz", em vez de "beleza", "abç" em vez de "abraço", "flw" em vez de "falou" e assim por diante, passei a escrever assim. Pego-me escrevendo um importante artigo, que me foi solicitado, e toda vez que ia escrever "você", meus dedos digitavam "vc". Cuidado....

A IGNORÂNCIA
Paulo escreveu..."A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes". Lá em Corinto devia existir um bocado de gente que fazia o discurso: "Deixa essas coisa para lá gente...vamos pregar o evangelho. Deixe esse negócio de doutrina de lado". Sabe de uma coisa....tanto lá quanto cá...os que falam isso nem evangelizam, nem doutrinam, com raras e felizes exceções. Podem estar certos disso.

Publicarei mais algumas no próximo artigo. Obrigado por me ler.


SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS