quarta-feira, 30 de abril de 2014

FAMÍLIA - JARDINS DE DEUS NA TERRA DOS HOMENS


Não há família perfeita, por mais que nos esforcemos. E o esforço é sempre válido, o que não é válido é entregar os pontos, desistir de lutar. A família é imperfeita porque todos os que a compõem são imperfeitos. A tarefa de cada membro é tentar se adequar e procurar o bem estar do grupo familiar, ainda que isso represente esforços, sacrifícios pessoais e particulares. O bem estar da família deve estar acima do nosso próprio bem estar pessoal.

Veja você o caso bíblico relatado na chamada Parábola do Filho Pródigo. Era uma família religiosa, mas não era perfeita. Isso fica evidenciado pelas palavras pretendidas pelo filho ingrato que decide voltar para casa – “Pai, pequei contra o céu e diante de ti...” (Lucas 15.18).

Podemos notar aqui que a semente, outrora semeada naquele coração, germinou sob as circunstâncias mais duras que a vida lhe impôs. Parece que a mesma hibernava naquele coração até que as duras provas foram como chuva serôdia sobre a terra seca, fertilizando a semente e a fazendo germinar. Assim como as torrentes do Neguebe fazem germinar as sementes, transformando deserto em jardim, o Espírito que inspirou a Palavra a fez germinar naquele coração transformando um jovem pretensioso em um homem humilhado e arrependido. O que os pais precisam fazer é semear no coração dos filhos. O Pai do Filho Pródigo fez isso!

O Pai do Filho Pródigo é o próprio Deus. Ele semeou a Palavra nos corações dos filhos. O filho mais velho é Israel, o povo alvo de sua revelação multiforme, receptáculo dos seus oráculos, teofanias, profetas e finalmente, o próprio Cristo. Todavia, parece que o filho mais velho insistiu em tentar, por seus próprios esforços, conquistar o coração do pai e o reconhecimento deste. O filho mais moço são os gentios. Aqueles que se afastaram da casa paterna e ficaram longe, abusando da graça comum do Pai celestial. Mas, na sua miséria, a consciência foi fustigada pelas doces lembranças de um dia no qual a casa paterna lhe oferecia segurança, conforto e alimento. Então, arrependido, decidiu voltar ainda que fosse (merecidamente) tratado como servo.

O filho mais velho queria ser filho por seus próprios esforços. Era vã sua imaginação! Tinha por certo que o pai lhe seria simpático. Já o filho mais moço sabia de seu total pecado e se satisfaria em ser tratado como um simples servo. Ambos estavam à mercê da graça, mas apenas o caçula a compreendeu e a acolheu em seu coração. Na verdade o filho ausente foi achado, mas o filho presente parecia perdido em sua vã pretensão. Veja você; não há família perfeita. O que há, são famílias onde os pais devem sempre, constantemente, semear a Palavra na esperança de que Deus, com sua graça faça cair do céu, graciosamente, chuva abundante, e que essa semente germine, floresça e frutifique.

Que Deus abençoe os pais e os filhos, jardins de Deus na terra dos homens.

               Rev. Mauro Sergio Aiello

quarta-feira, 23 de abril de 2014

PARABÉNS À SAF DA IPBMC


SAF – SOCIEDADE AUXILIADORA FEMININA
               Parabéns a todas as irmãs que são sócias da Sociedade Auxiliadora Feminina da IPBMC, assim como reverenciamos a memória de todas aquelas que, um dia, no passado, deram sua notória contribuição para que essa Sociedade permaneça firme até hoje.

               Já fui Conselheiro da UMP e também da UPH. Já fui Secretário Presbiterial e Sinodal de UMPs, mas confesso que tem sido uma grande alegria e também um imenso prazer, ser Conselheiro da SAF. Estou pensando até em me candidatar para a Secretaria Presbiterial dessa Sociedade em um futuro próximo de tão bom que tem sido.

               Eu queria dizer que me alegro em ver que algumas mulheres são um notável exemplo de perseverança. Sim perseverança! Não vou citar nomes, mas sabemos quem são e quantas são as mulheres que passa dia, semana, mês e ano, aí estão, todas as terças-feira as 15H00 para orar, promoverem Bazares da SAF, no Chá da Primavera, as deliciosas Festivas e Departamentais, etc..etc... Muitas vem de longe, pegam o ônibus, com sol, chuva, frio ou calor, mas sempre aí.

               Outra característica além da perseverança é a constância. A agenda dessas mulheres não é variada. Sai ano, entra ano, e as atividades são quase sempre as mesmas. Todavia, incansavelmente, elas permanecem firmes, constantes. Onde muitos desistem, elas persistem, constantes.

               Outra qualidade notável é a comunhão entre elas. São pessoas de diferentes origens, umas têm mais idade que outras, mas apesar das diferenças elas se mantém firmes na comunhão. Podem ser diferentes, mas nunca indiferentes. São sensíveis à dor umas das outras e isso é muito bonito.

               Não falo em tom de desabafo, mas conciente da realidade: muitas jovens mulheres perdem em não se irmanarem a essas irmãs. Perdem porque o tempo que elas estão aqui orando é precioso para a vida espiritual delas mesmas, mas também da Igreja e das famílias que constituem a Igreja. Perdem porque essas mulheres têm experiências na vida que são extraordinárias se forem ensinadas e aprendidas, principalmente no convívio.

               Um dia, em outra Igreja, uma jovem me disse que SAF é coisa de gente velha. Eu disse a ela que SAF é coisa de mulher feminina e ela riu abundantemente. Ela me disse rindo: - O senhor está me dizendo que eu não sou feminina? Eu lhe respondi que não era isso, mas que a sigla SAF quer dizer que para ser membro dessa sociedade a única condição sine qua nom era ser mulher sem se importar com a idade.

               Poucas sociedades têm contribuído para o progresso da IPB quanto a SAF. Fato indiscutível. E nisso elas cumprem de forma extraordinária com o preceito bíblico que as coloca como adjutoras, auxiliares idôneas. Elas assim têm sido ao longo desses 155 de Presbiterianismo no Brasil. A você, que é feminina, nosso convite para que se filie a esse exército onde avançar é sempre palavra de ordem, tenha você a idade que tiver.

               A você que já deu muito pela SAF e hoje parece ter pendurado o avental, que tal voltar? Coloque em sua agenda o horário da 15H00 das terças-feiras para orar. Participe da Tarde É Nossa. Com certeza sua experiência não será desprezada. Venhas nas Festivas tão gostosas onde cantamos, meditamos na Palavra e celebramos o aniversário das irmãs do trimestre. Venha, há muito por fazer e quanto mais mãos tivermos será mais fácil. Deus abençoe a SAF da IPBMC.

Rev. Mauro Sergio Aiello

domingo, 20 de abril de 2014

ELE NÃO ESTÁ AQUI - RESSUSCITOU

A RESSURREIÇÃO DE JESUS 
A COROA DO CRISTIANISMO

1 Coríntios 15

Introdução:

Todas as doutrinas do cristianismo são importantes, mas a doutrina da ressurreição de Jesus é a coroa de toda proclamação do Evangelho. “Nosso evangelho não termina num cadáver, mas num conquistador; não numa tumba, mas numa vitória (sobre a morte)”. Stanley Jones.

Alguém já disse que tirar a doutrina da ressurreição de Cristo seria o mesmo que tirar as pilastras de sustentação de um edifício e que isso iria fazer o edifício desmoronar, ir ao chão.

No livro de Atos dos Apóstolos, que relata os primórdios e os avanços do Cristianismo, encontramos os primeiros sermões de Pedro e de Paulo a respeito da pessoa de Jesus e nesses depoimentos eles destacavam esse maravilhoso milagre da ressurreição.

Durante todos esses séculos de cristianismo muitos têm tentado lançar a doutrina da literalidade da ressurreição de Cristo em descrédito.

·     A TEORIA DO TÚMULO ERRADO.  Essa teoria ensina que as mulheres quando foram ao túmulo de Jesus erraram e acabaram por encontrar outro túmulo vazio, mas um erro desse teria logo sido corrigido.

·    A TEORIA DO ROUBO DO CORPO DE JESUS. Essa teoria ensina que os discípulos roubaram o corpo e inventaram que Jesus havia ressuscitado, mas com a mais absoluta certeza essa fraude teria sido investigada e descoberta principalmente pelas autoridades religiosas do judaísmo em Jerusalém.

·     A TEORIA DO DESMAIO. Essa teoria ensina que Jesus não teria de fato morrido, mas apenas sofrido um desmaio e que, depois de sepultado ele acordou e mesmo ferido conseguiu remover a pedra que pesava aproximadamente 300 quilos, ludibriados os guardas e fugido para a Índia onde iniciou uma nova seita com outros discípulos.

Outras teorias, tentando lançar em descrédito a verdade da ressurreição de Jesus foram criadas logo nos primórdios do cristianismo.

Paulo escreveu esse capítulo na primeira carta aos coríntios porque naquela Igreja Cristã a doutrina da ressurreição já enfrentava dificuldades para se impor.

Havia alguns na igreja de Corinto que afirmavam não haver ressurreição de mortos, e por implicação, negavam a ressurreição de Cristo, 15.12. (..como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição?).

Este falso ensino já estava contaminando alguns da Igreja, 15.33. (...as más conversações corrompem os bons costumes).

Paulo os considera como estando em pecado por não terem o verdadeiro conhecimento de Deus, 15.34.

Vejamos como o apóstolo Paulo trata dessa questão da ressurreição nesses 58 capítulos da primeira carta aos coríntios.
                                                                I
Paulo apresenta o Evangelho total e integral:  (15.1-4)
1.           O Testemunho da Igreja Primitiva (15.1,2)
2.         O Testemunho das Escrituras (15.3,4)
       Jesus morreu.
            
              Jesus foi sepultado.                                              Segundo as Escrituras.
              Jesus ressuscitou ao terceiro dia.
 II
Paulo apresenta as testemunhas oculares da ressurreição de Jesus e defende seu apostolado. (15.5-12)
O Testemunho de testemunhas oculares.
1.           Apareceu a Cefas. (Pedro) (15.5)
2.         Foi visto pelos doze. (15.5)
3.    Apareceu a mais de quinhentos irmãos. (Alguns já morreram, mas outros ainda estavam vivos  quando Paulo escrevia essa carta aos coríntios). (15.6)
4.         Foi visto por Tiago. (15.7)
5.        Foi visto novamente por todos os apóstolos. (15.7)
6.        Foi finalmente visto por Paulo. (15.8)
7.         Paulo apresenta sua defesa em favor do seu apostolado (15.9-12)

III
Paulo apresenta os resultados terríveis sobre não haver ressurreição. (15.13-19)
Se Cristo não ressuscitou. (15.13)....
1.           É vã a pregação dos apóstolos e de todos os cristãos. (15.14)
2.         É vã a fé dos que creram na pregação. (15.14)
3.        Aqueles que pregavam que Jesus havia ressuscitado eram falsas testemunhas. (15.15)
4.         Os pecadores não têm os pecados perdoados. (15.17)
5.        Os que morreram crendo na ressurreição pereceram. (15.18)
6.        Os cristãos são os mais infelizes de todos os homens. (15.19)

IV
Paulo apresenta a defesa  e os resultados da ressurreição de Jesus. (15.20-34)
1.           De fato Cristo ressuscitou. A ressurreição de Jesus é um fato.
2.         Jesus é o primeiro dentre aqueles que morrem e serão ressuscitados.
3.       Jesus morreu e ressuscitou como o segundo Adão, mas sem ter pecado como o fez o primeiro.  Temos aqui (Vers. 21,22) as Doutrinas da Criação (Paulo cria na historicidade de Adão,) da  Encarnação (Jesus foi homem como Adão – sem ter pecado), e da Volta de Jesus (Paulo fala do  fim – Jesus reina, irá destruir todo principado, potestade e poder, subjugará todas as coisas –  com exceção da Pessoa do Pai – dará seu golpe derradeiro sobre o pior inimigo do homem (a  morte) e então entregará tudo a Deus Pai se sujeitando humildemente também a Ele.
4.         Se os mortos não ressuscitam porque as pessoas se batizam?
5.        Se os mortos não ressuscitam porque os cristãos suportam até a própria morte?
6.         Más conversações (companhias) corrompem os bons costumes.
7.     Pecam, terrivelmente, aqueles que abandonam a fé na historicidade literal da ressurreição de Cristo porque revelam não ter o conhecimento de Deus.

V
Paulo responde algumas questões importantes sobre a ressurreição. (15.35-49)
Aqueles que se opunham à Doutrina da Ressurreição, dentre outras questões questionavam nos seguintes termos: “Se é verdade que os mortos ressuscitam, em que corpo vêm os ressuscitados”.

Paulo chama esses que fazem tal questionamento de insensatos e passa a dar uma explicação sobre o corpo ressurreto fazendo uma analogia entre a semente que é semeada e o corpo que é sepultado.

1.           Paulo diz que somos semeados e corrompidos e ressuscitamos incorruptíveis.
2.         Somos semeados em desonra e ressuscitaremos em glória.
3.        Somos semeados em fraqueza, ressuscitamos em poder.
4.         Somos semeados corpo natural e ressuscitaremos corpo espiritual.
5.        Somos semeados corpo da terra, ressuscitaremos corpo do céu.

VI
Paulo fala sobre o que irá acontecer com os vivos na volta de Jesus. (15.50-57)
1.           Paulo diz que os que estiverem vivos serão transformados sem passarem pela morte.
2.         Paulo diz que isso é um mistério. Acontecerá num piscar de olhos.
3.     Essa transformação é necessária para que possamos viver no Novo Céu e na Nova Terra onde iremos viver eternamente.

VII
Paulo apresenta o resultado da nossa aceitação dessa doutrina da ressurreição. (15.58)
1.           Devemos ser firmes (não titubeantes).
2.        Devemos ser inabaláveis. Não podemos nos deixar abalar por ataques que são desferidos contra o  Evangelho.
3.        Devemos ser abundantes (frutíferos e não estéreis).

Lições Práticas Sobre a Ressurreição de Jesus.
Por que Jesus ressuscitou?

1.           Porque Ele não pecou e a morte que morreu não lhe pertencia.
2.      Porque se Jesus não tivesse ressuscitado isso significaria que ele havia falhado em sua missão, que ele havia pecado, já que o salário do pecado é a morte.
3.     Porque Deus, ao olhar a obra do seu filho se deu por satisfeito. De fato, quando Jesus disse no Calvário – Está Consumado (sexta palavra da Cruz)– Ele disse com propriedade, ou seja, a obra redentora estava completa.
4.       Porque Ele se constituiu em o primeiro dentre uma multidão daqueles que, à sua semelhança, irão ressuscitar.
5.     Porque na morte de Cristo temos o golpe da serpente na semente da mulher, mas é exatamente na ressurreição de Cristo que a semente da mulher pisa a cabeça da serpente.
6.   Porque a vitória sobre a morte não é que entramos no céu depois de nossa morte, mas sim a ressurreição com um corpo com propriedades especiais para podermos habitar no novo céu e na nova terra.

Conclusão: Jesus ressuscitou. Por isso Ele pode dizer, eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

CUIDADO COM A RIQUEZA........


Falar em dinheiro é sempre tocar em um assunto polêmico. A Bíblia fala sobre o dinheiro de uma forma pedagógica, mas ao que nos parece a grande maioria das pessoas prefere se furtar aos ensinamentos divinos a respeito do assunto.

Para começo de conversa, a Bíblia não diz que o dinheiro é a raiz de todos os males. O texto onde lemos a expressão parecida com essa conclusão é o da primeira carta de Paulo à Timóteo capitulo seis, versículo 10 onde, na verdade lemos: “Porque o amor ao dinheiro (grego, philaguria – simpatia pela prata, já que as moedas naqueles dias eram feitas desse metal), é a raiz de todos os males....”. Veja; as expressões se parecem, mas não são iguais. A popular diz que o dinheiro é a razão de todos os males, mas a Bíblia diz que o amor ao dinheiro que proporciona isso.

Jesus mesmo disse: “Não podeis servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas”. (Mateus 6.24). Preste bem atenção no que diz Jesus aqui. Vamos analisar. 1) Não podemos servir (ao mesmo tempo) dois senhores. 2) Não podeis servir a Deus e às riquezas. 3) Porque se você servir à Deus, irá desprezar as riquezas, mas se quiser servir às riquezas irá desprezar a Deus. Não há como servir a Deus e às riqueza ao mesmo tempo.



Ai então eu, para minha enorme tristeza, vejo a tal da teologia da prosperidade sendo difundida nos canais de televisão, nas estações de rádio e nos púlpitos das igrejas neopentecostais, e até, com tristeza maior ainda, seduzindo alguns pentecostais e pastores de igrejas históricas. Eles prometem, com todo fervor e dinamismo vernacular, com toda técnica de abordagem, convencimento e persuasão, que basta você crer em Jesus e todos os seus problemas socioeconômicos serão definitivamente resolvidos. Desandam a colocar os famosos “testemunhos” de pessoas que, dá noite para o dia, compraram suas casas, seus carros, revitalizaram suas empresas que estavam a caminho da insolvência. E muitos se deixam seduzir por esse discurso triunfalista e ufanista. Por isso os templos dessas igrejas vivem lotados, das 07H00 às 22H00. Quem não quer ficar rico e se ver livre, de uma vez por todas das dificuldades financeiras a que somos submetidos, principalmente aqueles que vivem em países do terceiro mundo como é o nosso?

Do outro lado eu vejo dentro das Igrejas históricas, pessoas que também correm atrás do vil metal. Só que o caminho que essa gente pega, apesar de ser diferente, é também enganador, sedutor, ilusionista e aprisionante. Eu falo do trabalho que gera riqueza. O camarada começa com seu negócio que logo se mostra promissor. Ele tem uma empresa que toma seu tempo, mas que ainda dá para se dedicar à família, à Igreja, e ao laser saudável. De uma hora para a outra, com o crescimento dos negócios, a família vai para o espaço. E muitos na família não se importam lá muito com isso. Afinal de contas acabaram de adquirir um carro, ou carros, novos, compraram uma nova casa ou apartamento, começaram a fazer algumas viagens para o exterior. Adquirem uma casa no litoral para ser desfrutada no verão e outra em Campos do Jordão onde irão passar o inverno. Com o aumento do patrimônio, as despesas aumentam. Essa família começa a fazer parte de uma camada da sociedade composta de pessoas idênticas a elas com a exceção de que alguns não são membros de Igreja. E os que não são membros de igrejas (não são crentes) têm suas agendas totalmente alienadas de princípios bíblicos. A guarda do Dia do Senhor é algo totalmente estranho para elas. Suas comemorações são na maioria das vezes, nesse dia e os “ricos emergentes” membros de Igrejas Evangélicas, são convidados e para não desagradarem, comparecem. Você percebe o que está acontecendo aqui?

Aqueles que aderem às igrejas que pregam a teologia da prosperidade vivem dentro das igrejas fazendo sua fezinha nas correntes e campanhas desde que o resultado seja o enriquecimento, o lucro monetário e patrimonial. Os que já eram membros de Igreja, e enriquecem como resultado do trabalho exagerado acabam, com raríssimas exceções, deixando o convívio com seus irmãos em Cristo e esfriam na fé. Muitos deles na verdade vão demonstrar que nunca foram verdadeiramente convertidos. Jesus na Parábola do Semeador fala desse tipo de gente cujo coração é como aquele solo cheio de espinhos onde a semente caindo, logo se aprofunda, cria raízes, mas quando o caule vai se formando, é logo sufocado e morre. Esses são aqueles que se deixam fascinar pelas riquezas. Percebe a semelhança? Um está na Igreja, rico opulento. O outro sai da Igreja por causa de riqueza, mas ambos pobres, vazios, enfadonhos, infrutíferos, acreditando que são abençoados assim como aqueles que se deixavam seduzir por Elimas O Mágico em Samaria, (Atos 8) mas quando o verdadeiro evangelho chegou naquela cidade pela instrumentalidade do Diácono Felipe, foi então que a cidade experimentou a verdadeira alegria.

Jesus disse que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico herdar o reino dos céus. Por que Jesus diria algo desse tipo? Ora, porque a riqueza se constitui, para aqueles que se deixam possuir por elas, uma armadilha, um ardil. E muitos se deixam possuir por ela.

Quando falamos dos políticos corruptos que desviam dinheiro público para seus próprios cofres e para seu próprio proveito, não podemos deixar de lamentar, é verdade. Todavia, veja com que desfaçatez suportamos a teologia da prosperidade e com que facilidade admitimos crentes irresponsáveis que ao enriquecerem abandonam a fé, deixam de produzir frutos e se inutilizam. Podemos dizer que são os dois lados da mesma moeda. Tinha razão Jesus em afirmar que não se pode servir a Deus e às riquezas ao mesmo tempo. Impossível!!!!!!!

No começo de minhas considerações eu disse que falar em dinheiro é sempre tocar em um assunto extremamente polêmico. É polêmico porque fechamos nossos olhos e ouvidos à Palavra de Deus. Paulo escreveu: “De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homem na ruina e perdição. Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”. (1 Timóteo 6.6-10)

Há uns dois anos encontrei um amigo de juventude. Precioso amigo com que convivi alguns bons anos de minha juventude; jogamos bola juntos. Hoje ele é um homem rico. E a sua riqueza é proporcional à sua tristeza, preocupação e insatisfação. Disse-me que tem saudades daqueles tempos de “pobreza” quando andávamos de ônibus. Lembramo-nos do dia em que fomos à Rua Direita para comprar a famosa calça Levi Strauss. Não tínhamos todo o dinheiro e voltamos para casa, tristes. Descemos a Rua Carneiro Leão, em direção ao Parque D. Pedro I e paramos em uma pastelaria. Comemos o maior número possível de pastéis com guaraná. Rimos para valer dentro do ônibus que nos levava de volta para o bairro em que morávamos. Ele me dizia. - Maurão, comemos as nossas calças. E eu dizia para ele: - E com guaraná. Quando eu o encontrei ele me olhou e disse que eu estava muito bem, que sentia que eu tinha uma força dentro de mim, uma alegria, um brilho inconfundível, um carisma. Eu apenas sorri e o convidei para comer um Pastel. Ele me disse que já está em seu terceiro casamento, que seus filhos só lhe trazem dissabores, que sua vida é uma tristeza só e que já pensou em suicídio por muitas vezes. Ele disse: Não sei o que daria para poder voltar àqueles dias de nossa adolescência. Falei de Jesus para ele e ele se lembrou de que eu era crente, mas não mostrou nenhum interesse em Jesus. Depois de mais algum tempo de conversa entrou em seu carrão e foi embora.

O que precisamos compreender, de forma definitiva e controladora, é que a mais importante de todas as riquezas não está em nossos bolsos. O homem mais pobre do mundo é aquele que só teve dinheiro. Jay Gould, financista e multimilionário norte-americano – que possuía uma quantia incalculável de dinheiro aplicado nos mais importantes bancos mundiais, e que controlou ainda durante muitos anos o mercado de ações – afirmou, desolado, momentos antes de sua morte: “Considero-me o homem mais miserável da terra!”.

Certa vez um turista decidiu visitar um famoso sábio na cidade do Cairo. Ao entrar na casa do ancião não viu nenhuma mobília, quadros na parede e a casa era muito simples. Curioso o turista perguntou ao sábio: - Senhor; onde estão teus pertences? O homem redarguiu com uma pergunta ao turista: - E os teus pertences onde estão? O turista lépido respondeu: - Mas eu estou de passagem por aqui. O sábio então arrematou: - Pois eu também, meu filho; eu também.

Pare.....já! Reflita! Faça as contas. É tempo de mudar e investir no reino de Deus para que você possa viver uma vida que valha a pena ser vivida. Lembre-se que a glória que nos está reservada é muito maior do que todo sofrimento que pudermos encarar nessa vida aqui e a pobreza pode ser uma delas. E nunca se esqueça de que se por um lado as riquezas aqui da terra são passageiras, a glória que nos está reservada será usufruída pela eternidade.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

O CORAÇÃO TEM SEU PONTO DE VISTA

“Silvio Santos”, que não é Silvio e muito menos Santos, corintiano confesso, gravou uma marchinha de carnaval que lhe rendeu mais popularidade e dinheiro. A letra tinha um refrão que dizia: “Doutor, eu não me engano, meu coração é corintiano”. Isso porque o corintiano leva a fama de sofrer por seu time de coração.
             
O coração é assim; ele é determinante para nossa interpretação do mundo ao nosso redor. Se amamos uma pessoa, os defeitos dessa pessoa são sempre atenuados e, em alguns casos, tidos como virtudes, mas se não a amamos até as virtudes se tornam defeitos. Se amamos de verdade, alguém, sempre iremos duvidar quando alguém nos disser algo de indigno a respeito dela, porém, se não a amarmos teremos uma enorme facilidade até em dizer: - Eu imaginava que fosse assim.

               Nesses dias que passaram perdi um pastor amigo, Paulo França, vitimado por um infarte fulminante. No outro dia morreu José Wilker, ator cearence do circo global vitimado, igualmente, por uma parada cardíaca. Nos assustamos com esse tipo de morte. Por que será que o coração deles parou de funcionar assim? O primeiro só tinha 53 anos e o segundo apenas 66. O coração está programado para bater mais e nos fazer viver mais. A ciência diagnóstica tem prolongado a vida das pessoas, à medida que profilaticamente trata de enfermidades que podem progredir para a letalidade que seria inevitável se não fosse tratada a priori. Temos que cuidar do coração, diminuir o colesterol, o triglicérides e outros males. Queremos viver mais do que 70 anos, apesar da Bíblia dizer que depois disso o que vem é canseira e enfado (Salmo 90.10). Alguém já disse, em tom de bom humor: - “Se a morte descansa, prefiro viver cansado”. Estou dentre os que pensam assim.

               Entretanto, há um cuidado que devemos ter com nosso coração que não tem relação direta com enfarte. A preocupação é com o coração espiritualmente falando. Se, espiritualmente falando, o coração for ruim, então tudo o mais estará se deteriorando. Se o coração é ruim, não adianta disfarçar, mais cedo ou mais tarde ele vai sair por tua boca, naquilo que tu falas, pelos olhos, na forma altiva e indolente com que você olha. C. H. Parkhurst disse: “O coração tem olhos que o cérebro desconhece”. Precisamos permitir que nosso coração seja conquistado por Jesus porque “é no coração que se faz o caráter”. (Eça de Queirós). Agostinho orou: “Senhor, deixa que o resplendor de tua luz ilumine os recônditos do meu coração”.        
       
        Conta-se que durante a última grande guerra mundial, havia em nosso país racionamento de pão. Um Pastor, andando pelas ruas em São Paulo, com a sua filhinha, viu em frente de uma padaria este aviso: "HOJE NÃO A PÃO". O estava sem H. Querendo ensinar à filhinha uma lição de gramática, perguntou-lhe: - Que está errado neste aviso? A menina respondeu: - O não, papai. Se não houvesse o não, haveria pão. O Pastor impressionara-se com o problema gramatical e a criança com o problema econômico e social. Moral da história: O coração de cada um de nós é responsável pela forma como vemos tudo ao nosso redor. Dependendo do coração, em muitos casos, damos valor ao que pode ser desprezado, ou desprezamos aquilo para o que realmente deveríamos dar valor. Como está o teu coração? Não estou falando do coração de carne. Estou falando do outro coração e você sabe qual é.

“Um bom coração vale mais que todas as cabeças do mundo”. Bulwer Lytton

QUE TRISTE REALIDADE......


Estou no banheiro tomando meu banho relaxante quando resolvi ligar o aparelho radiofônico. Rápido, para não molhar fora do box, sintonizei a primeira emissora na qual tocava uma música evangélica. A música acabou e o lo(u)cutor, isso mesmo, loucutor, não locutor, com voz rouca e pronunciando um português bastante errado dizia: "- Ei você cuja vida tá amarrada, dá tudo pra tráis, nada dá certo, a coisa tá ruim, tá com aluguel atrasado, tem que andar de ônibus, a vida financeira é péssima, tem gente duente em tua casa, tá endividado, etc...etc...(só desgraças) eu quero te fazer um convite. Mas veja lá, se você não aceitá, não vá reclamar depois de que nada muda pra mió em tua vida. Eu te cunvido para comparecer a igreja "(...)" para a noite dos grandiosos feitos de Deus. Lá você vai recebe as bença que você precisa....dinheiro, saúde, sua casa própria (num vai mais pagá aluguel), carro (pra num anda mais de ônibus) e muita prosperidade. Mas tem que cumparece...se não nada vai acontece e você vai continuá nessa vida miserável. Deus tem o mió, mas Ele está ti esperando nessa noite em nossa igreja localizada na (...)". 

Saí do box, molhei o chão, mas desliguei, irado, o aparelho de rádio. 

Tomei um banho com aquilo fustigando minha mente. Durante todo o dia eu fiquei pensando: Onde foi que eles encontraram isso que eles chamam de "evangelho"?. Quem foi que inventou isso? A resposta é natural...O Diabo foi quem inventou esse evangelho sem Cristo, sem Cruz, sem Senhor, sem Salvador...E que Deus tenha misericórdia de quem acredita nesse tipo de "evangelho", porque esse, seguramente não é o Evangelho das Escrituras. 

Você quer dinheiro, prosperidade? Trabalhe, estude, se esforce e creia na Providência Divina. Interessante é o que diz o Salmo 127.2 (NVI): "Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ele ama". A ideia nesse concede o sono é que enquanto os justos dormem, Deus providencia o pão suficiente para o dia que se aproxima.

Se você quer alguém que te salve do inferno, alguém que te liberte de uma vida medíocre e pobre espiritualmente falando, creia em Jesus como teu único e suficiente salvador. 

O dinheiro você nunca terá o quanto deseja, mas se você crer em Jesus (João 3.16) sua alma não perecerá pela eternidade em um lugar tão ruim que se chama inferno. Jesus mesmo disse: "De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?".

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS