quinta-feira, 28 de agosto de 2014

HUMILDADE - VENDO SOB A ÓTICA DIVINA

Bem-aventurados os humildes, porque dos tais é o reino dos céus.

Jesus foi o ser humano mais sábio e notável que pisou o solo do planeta terra.

Veja, por exemplo, o caso das bem-aventuranças (Mateus 5.1-12). Ele começa essa seção, que contém nove bem-aventuranças, com esta na qual o foco é o humilde, ou seja, aquela pessoa que é possuída pela humildade.

Isso não é difícil de entendermos. Não é preciso que sejamos peritos em hermenêutica para entender que os humildes, aqueles que praticam a humildade, são mui felizes, porque o reino dos céus lhes pertence.

Mas a questão toda é: o que é essa humildade?

Humildade não é o mesmo que simplicidade.

Muitos confundem os termos humildade com simplicidade. Costumamos dizer que uma pessoa com hábitos simples, é uma pessoa humilde. Mas eu creio que não é a sobre isso que Jesus fala, ou seja, Ele não está dizendo que uma pessoa que se veste de forma simples, mora em uma casa simples, sem suntuosidade, se alimenta sem esbanjar ao se servir de pratos requintados e produzidos por chiefs franceses, seja humilde.

Um dia, sensibilizado em ver que um mendigo se servia de uma porção de feijão que havia tirado de um saco de lixo, na Rua dos Trilhos no bairro da Mooca, eu o convidei a entrar em um bar ali próximo e disse ao proprietário que servisse o que ele pedisse que eu me responsabilizaria em pagar. Enquanto aquele jovem mendigo se servia de um misto quente acompanhado de um refrigerante eu tentei falar sobre Deus para ele. Fui dura e severamente advertido nos seguintes termos: - Eu agradeço o que você está fazendo por mim em me alimentar, mas se você insistir em falar sobre Deus eu prometo que paro de comer e me retiro.

Chocado com aquela reação, eu disse a ele que não diria mais nada. Perguntei a ele se queria mais alguma coisa e ele pediu um café. Depois de comer o misto quente, tomar o refrigerante  e o café, o mendigo disse que estava satisfeito. Paguei a conta e me fui dali.

Humildade também não deve ser confundida com pobreza social/econômica.

Certa vez fomos com os moços da Igreja fazer uma visita na casa de uma senhora, membro da Igreja. Ela residia nos fundos de uma residência em uma casinha de madeira, chão batido. Ficamos admirados ao ver a limpeza daquela casa, o asseio daquela velha senhora, as panelas brilhando de tão limpas e areadas que estavam. Fomos, cantamos, lemos a Bíblia. Ela nos serviu um lanche delicioso. Ao sairmos dali, um dos jovens disse, se referindo àquela senhora: - Que mulher humilde essa nossa irmã!

Humildade, segundo o termo usado por Jesus, não tem relação direta com a pobre condição sócio/econômica financeira de ninguém. Já conheci gente muito limitada sócia e economicamente falando, mas de uma empáfia, arrogância e soberba, incomparáveis. Mas quando Jesus fala de humildade não é a respeito de limitação econômica/social que Ele está falando.

Humildade também não tem a ver com o limitado nível intelectual e cultural de uma pessoa. 

É muito comum ouvirmos dizer: tal sujeito é humilde simplesmente porque o tal sujeito não tem nem o segundo grau, ou não sabe nem ler e escrever.

Portanto, a questão continua em pé: o que é ser humilde, aquele tipo de postura sobre a qual Jesus falou e que faz do sujeito que é possuído pela humildade ser proprietário do reino dos céus, aliás, uma questão que poderia fazer de qualquer homem um ser extremamente jactancioso?

Humilde é alguém que concluiu por sua pobreza e miséria, principal e primordialmente, espirituais.

Humilde é todo aquele que tomado pela graça alçou seu olhar para o Santo, para o Alto, para o lugar onde o Eterno habita e concluiu, consequentemente, com seu estado de miséria intelectual, social e econômica, e principalmente por sua condição de pecador totalmente indigno de qualquer favor Divino.

O humilde é aquele que se vê pecador, mais do que qualquer coisa.

O pecado nos nivela, porque seja rico ou o pobre, culto ou o inculto, rei ou o vassalo, amo ou o escravo, grande ou o pequeno, bonito ou o feio, mansão ou casebre, condomínio ou favela, se Deus não usar de graça e misericórdia não há sequer uma mínima garantia de paz, alegria e eternidade com Deus. (Romanos 3.23)

Não é a morte que nos nivela, mas sim o pecado que faz de todos um só, ou seja, carentes da glória e da graça divina.

Não é o que você é diante dos homens que conta, mas sim quem nós somos diante do Santo Deus. E é somente quando tu te vês como o próprio Deus te fé que sabes então quem realmente tu és. Eis então quando te tornas verdadeiramente humilde.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O CENÁRIO POLÍTICO BRASILEIRO


É de chorar de tristeza! 

Ao olharmos para o cenário político brasileiro em dias nos quais nos aproximamos de termos de votar em Deputados Estaduais, Federais, Senadores, Governadores e Presidente, só me restam as lágrimas como companhia e consolo.

Ao olhar para nosso país e para a propaganda eleitoral que veicula na televisão e no rádio, além dos cartazes que infestam as avenidas eu fico cada vez mais enojado.

Está na hora de uma plena reforma política nesse país. Não dá mais para aguentar tanta gente incompetente se arvorando como salvadores da pátria, como "a solução". 

Hoje tive, para maior nojo e tristeza, que ver um ex-ministro presbiteriano iniciando, no Facebook, um movimento como se ele tivesse vida e representatividade política para liderar qualquer coisa. O sujeito, que eu conheço muito bem, não está nem aí com a questão da cidadania e nem com qualquer outra coisa que o valha na política. O que esse sujeito quer? Ele quer é aparecer. Ele sempre foi assim. Fala com empáfia como se fosse um brasileiro sofredor. É um dissimulado!!!!!

Na verdade teremos que votar no menos pior. Não vou anular meu voto e nem votar em branco. Nunca fiz isso e não será a primeira vez que o farei. Para ser sincero já tenho meu candidato a Deputado Estadual. Se trata de uma pessoa honesta e honrada. Um verdadeiro homem de Deus. Quando ele me pediu que o ajudasse eu disse que o faria e por nada em troca, apenas pela alegria e felicidade de ver um homem santo na política, apesar de imaginar o que serão capazes de fazer com ele. Teria um outro em quem eu votaria, mas ele vai ter que entrar na fila.

Não tenho candidato à Deputado Federal. Já me decepcionei o suficiente. Espero ter uma luz no fim do túnel e que não seja um trem em sentido contrário. Isso já aconteceu comigo nesses meus anos de eleitor. No Tiririca não devemos votar. Apesar de sua assiduidade nas Sessões da Câmara dos Deputados, eu me pergunto: Foi lá fazer o quê? Ora...só foi. Tem uma baciada de gente que está no poder e que deveria ser proibido de participar, se tivéssemos um critério que avaliasse os últimos anos de atuação.

Já tenho meu candidato a Senador. O Suplicy, vocês podem ter a mais absoluta certeza que não é. Além dele ser do pior partido que esse modelo partidário brasileiro já permitiu existir quero dizer que sua atuação é medíocre. O cara é inseguro, manipulado, é rico, de berço esplêndido (e é do Partido dos Trabalhadores - pasmem com uma coisa como essa), e sua atuação na questão dos Direitos Humanos sempre foi medíocre sendo o "anjo protetor" de muita gente ruim. E me digam, os senhores que já votaram nele, quantas leis esse senhor senador de tantos anos de atuação produziu e lutou, pelo menos, por elas. 

Governador.....eis a grande incógnita. O PSDB precisa urgentemente se redimir na questão com que vem cuidando da Segurança Pública e da Educação no Estado de São Paulo, o mais rico e por outro lado sem nenhuma novidade. Chega, PSDB, de discursos!!!! Queremos ver ação. Queremos ver policia na rua e policiais que recebam um salário justo e digno e que não se deixem seduzir pela corrupção. Queremos professores com uma remuneração que lhes traga alento para o momento da docência. O salário do docente é indecente. Como é possível tratar professores e escolas com tanto descaso? 

Presidente!!!! Ah! Presidente. Na Dilma não votei e nem voto. Não é ela que Preside o país, mas sim a corja do PT e do PMDB, gente que se apropriou do poder e não larga o osso. O caso da Petrobrás precisa ser analisado por uma CPI e não adianta ela dizer que não sabia o que estava assinando. Quem não tem competência que não se estabeleça. Ajudar Cuba e deixar o Brasil com a Saúde e a Educação em petição de miséria é algo que não tem como justificar. É de uma prevaricação sem precedentes. 

Sou cristão protestante de confissão reformada. Oro por meu país e procuro dar minha contribuição como cidadão. Só lamento que nossa sociedade está tão caotizada que não ofereça personagens em quantidade suficiente (são raros os que se aventuram por essa estrada e menor o número dos que se mantém incólumes nela), em quem realmente possamos votar com segurança e certo grau de certeza de que algo bom de verdade será feito.

Que Deus se apiede do Brasil.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

VIETNÃ, CORÉIA E UCRÂNIA. O QUE UMA TEM A VER COM A OUTRA?

Deixa-me antecipar e dizer que não sou especialista no assunto, não sou professor de história, e nem um especialista em política exterior. Sou apenas uma pessoa que lê e se informa. Pode me chamar de curioso, provavelmente eu seja mais isso do que qualquer outra coisa.

Quero compartilhar com você que me lê, o que vejo hoje na questão envolvendo a Ucrânia, um país que não conheço, apenas ouvi falar por conta do episódio ocorrido em 26 de Abril de 1986 com uma usina nuclear que permitiu  liberação de 400 vezes mais contaminação que a bomba que foi lançada sobre Hiroshima. Duzentas mil pessoas precisaram deixar suas casas. Muitas morreram como consequência da contaminação. Conheço a Ucrânia de ouvir falar nesses últimos meses quando há uma possibilidade dela ser anexada à Rússia.

Assim é que tenho lido sobre a Ucrânia por conta dos últimos acontecimentos nos quais, pelo que tenho entendido, a Russía quer tomá-la e fazer dela parte de seu território, ou seja, se eu entendi, quer fazer da Ucrânia, mais um estado Russo. Ontem e hoje assisti e li alguns comentários sobre um comboio que saiu da Rússia e está entrando na Ucrânia para levar ajuda aos Ucranianos, mas, dizem os especialistas, na verdade o que o comboio leva são armas para os simpatizantes pró-Rússia.

Gente! Eu já vi esse filme. Vi isso acontecer no Vietnã. A guerra do Vietnã aconteceu entre os anos 1954 (ano em que nasci) e 1974. Em 1941, os japoneses ocuparam todas as colônias e possessões europeias na Ásia. Na colônia francesa da Indochina, eles encontraram a resistência de Ho Chi Minh, que organizou uma frente, de comunistas e nacionalistas, para lutar pela independência. Logo após a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, Ho Chi Minh tomou providências para que a França não voltasse a dominar o território. Travaram uma guerra de 1946 a 1954, vencida pelos homens de Minh. Uma conferência internacional reconheceu, então, a independência do Laos, do Cambodja e dividiu o Vietnã em duas partes - a do Norte, de Ho Chi Minh, comunista, e a do Sul, que se transformou numa república presidencialista. Mas, na prática, não houve paz: os guerrilheiros do Vietcong, organização comunista que queria a união com o Norte, entraram em ação no Vietnã do Sul. Para barrar o avanço do comunismo, os Estados Unidos resolveram apoiar o governo sul-vietnamita, mas acabaram derrotados. 

Essa guerra teve a participação de 2,7 milhões de jovens americanos. Morreram 57.939 soldados dos Estados Unidos. Dezenas de túneis escavados pelos vietcongs formavam uma rede subterrânea de 300 Km nas proximidades de Saigon, capital do Vietnã do Sul, onde foram armadas emboscadas para os americanos. O Vietnã se reunificou em 1976. E o que resultou de tudo isso?

Se você for conhecer o Vietnã de hoje verá que a pobreza e o atraso são uma grande realidade. Eu nunca estive no Vietnã, mas ao pensar em escrever esse artigo, consultei a internet e pessoas que por lá estiveram e há uma certa unanimidade em afirmar a miséria, muito parecida com Cuba. Depois dos vietcongs assumirem o poder total no Vietnã, os intelectuais, os capitalistas e todos aqueles que se opõem ao comunismo, foram levados para campos de prisioneiros e a maioria morreu. Um bonito filme, que ganhou o Oscar de Ator Coadjuvante, intitulado Gritos Do Silêncio (1984) cujo título original é The Killing Fields retrata isso sob a perspectiva de um jornalista que, depois de um tempo de aprisionamento, conseguiu fugir para o Cambodja. E é uma história baseada em fatos.

As duas Coréias também se dividiram. Isso também foi logo depois da Segunda Guerra Mundial. Na verdade americanos e russos ao dividirem a Alemanha, dividiram muitos outros países. Assim também foi com a Coréia. Nunca fui à Coréia do Norte, mas tenho lido muito sobre aquele país de regime ditatorial e absolutista. A miséria, a pobreza, a opressão são realidades terríveis ali. Recentemente ganhei e li, em uma sentada um livro depoimento no qual a autora conta o que viu e passou nas prisões fábrica na Coréia do Norte. Grande parte do seu PIB é investido nas forças armadas do país. O país vive em petição de miséria (falo do povo simples), sem liberdade de se expressaram, debaixo do tacão de um psicopata que admite a adoração, e sob a ditadura absolutista do mesmo. Morreu Kim Jong Il e seu filho, que já flertou com o capitalismo, assumiu como um comunista juramentado. Depois que o mesmo assumuiu os coreanos do norte se deliciam em assustar a Coréia do Sul e  Japão, notoriamente, países protegidos dos USA, fabricando bombas nucleares e fazendo alguns disparos como teste. Lamentavelmente, uma hora acontece algum "equívoco" e outra guerra começa.  

A Coréia do Sul (República da Coréia) é um país aberto, pujante e rico. É a 13ª economia do mundo. Muitos amigos meus foram à Coreia do Sul. Eu convivi quatro anos com os coreanos do sul ee aprendi a respeitá-los, principlamente por sua história de superação. Sei de famílias que foram divididas pelo conflito político ideológico na Coréia. Os que estão no norte gostariam de voltar para o Sul, e os coreanos do sul não querem viver a experiência da ditadura absolutista da Coréia do Norte. 

Hoje temos alguns ucranianos simpatizantes da Rússia. Eu quero convidá-los a olhar para o Vietnã e para a Coréia e se quiserem ir um pouco mais longe, visitem a ilha de Fidel Castro. Vejam o que o comunismo trouxe a essas nações. Não estou dizendo que o capitalismo é melhor do que o comunismo. Na verdade há vários tipos de comunismo, mas todos eles são totalmente equivocados porque não levam em consideração a liberdade e a verdadeira democracia. O capitalismo também tem suas variações. O capitalismo brasileiro, não presta, mas o capitalismo americamo parece ser melhor. Mas o que eu quero enfatizar é que esse comunismo marxista, de Rússia, Cuba, Coréia do Norte, Vietnã e outros países,  é pior que qualquer coisa, até pior do que o pior tipo de capitalismo. O comunismo radical é estatizante, não contempla a livre inciativa, tem uma tendência forte para a ditadura e o absolutismo, é radical e estúpido e pior....ateu. O resultado desses fatores se mostra por exemplo na indústria automobilística. Você que me lê deve estar lembrado da tentativa dos russos em se instalarem no Brasil. Lembra-se do tal  Lada Niva, e outros? Por onde andam? Saberiam me responder? E o Corola da Toyiota? Ah! Esse você não só sabe qual é, mas gostaria de ter um, não é verdade. Você trocaria um Corola por uma Lada, eja lá que modelo for? Isso é assintomático. Os países comunistas andaram para trás na tecnologia, nas ciências e no progresso do ser humano.

Será que é isso que alguns ucranianos querem. Eu sei que eles têm lá seus problemas, mas aqui no Brasil também temos nossos problemas e que são graves. O quadro político do Brasil é de dar medo. Mas daí a imaginar que sendo anexada à Rússia, as coisas vão mudar na Ucrânia, eu penso que é ser muito infantil em nutrir tal imaginação.

A Ucrânia tem que encontrar seu próprio caminho. Ela não precisa se tornar russa para ser melhor. Basta o que Chernobyl representou. 

Que Deus conduza os Ucranianos ao caminho da liberdade, da democracia e da prosperidade. É meu desejo, mesmo contrariando Vladimir Putin.  

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

CONSTRUINDO PARA A ETERNIDADE (Mateus 7.24-29)


Uma das minhas maiores preocupações, quando iniciamos a construção do Salão Anexo ao Templo da Igreja Presbiteriana de Mogi das Cruzes eram os 80 buracos de aproximadamente cinquenta centímetros de diâmetro e 12 metros de profundidade. Sim, 12 metros. Era nessa profundidade que encontramos a rocha sobre a qual o edifício seria construído. Isolamos o local para que nenhuma criança se aproximasse.

O alicerce de uma edificação é a parte mais importante na construção. Se o alicerce não for bom corre-se o risco de ver o edifício ruir diante da menor intempérie. Um vento forte, um pequeno tremor de terra, uma forte tempestade podem por a perder toda a casa ou edifício.

Jesus fala a esse respeito no término do seu pronunciamento que conhecemos como o SERMÃO DO MONTE.

Era como se Jesus dissesse: Vocês ouviram meus ensinamentos e agora são responsáveis por minhas palavras. Se vocês praticarem o que ensinei certamente estarão aptos a enfrentar as naturais dificuldades que o testemunho cristão gera, mas se não praticarem o que lhes ensinei vocês irão sucumbir diante do primeiro impasse e oposição.

Essas palavras de Jesus encontram similaridade na voz de Tiago, seu meio irmão, quando exortou os leitores de sua carta a que não fossem meros ouvintes da Palavra, mas sim praticantes da mesma.

Jesus, em suma, disse:       


O que ouviu e praticou sobre a rocha edificou.
O que ouviu e não praticou, edificou sobre a areia.
Sobre eles veio o mau tempo, a tempestade.
O que construiu na rocha ficou firme, permaneceu.
O que construiu na areia, foi grande sua ruína, pereceu.

Seria o caso de levarmos em conta esses ensinamentos de Jesus no SERMÃO DO MONTE. Eles não são apenas belos aos ouvidos, são úteis para a vida. Eles não são apenas cheios de boa filosofia, eles estão carregados da mais pura teologia.


Assim irmãos:

Sejamos humildes e sensíveis a ponto de prantear por causa dos nossos pecados, mansos (equilibrados), sedentos e famintos da retidão divina, misericordiosos e limpos de coração, não altercadores beligerantes, mas pacificadores como filhos legítimos de Deus; sejamos luz do mundo, sal da terra; aqueles que amam a vida e são fiéis ao seu cônjuge, que não juram irresponsavelmente, que amam a justiça e não se vangloriam em dar o troco, que amam o próximo sejam eles os próprios inimigos e os que nos perseguem, discretos no trabalho do mestre e na liturgia, buscando sempre o reino de Deus e o Deus do Reino em primeiro lugar, sinceros ao julgar o outro ao levar em consideração nossas próprias fraquezas e limitações, buscando sempre a Deus o Pai, em oração, no nome de Jesus, o Filho, tendo a coragem de entrar pela porta estreita e trilhar o apertado caminho que temos diante de nós sempre atentos aos que se apresentam como bocas de Deus, mas são falsos profetas apesar do sucesso em seus empreendimentos, porque afinal das contas uma árvore boa não é a que tem os maiores galhos, mas aquela que dá bom fruto.

Vejam: ser tudo, e muito mais que Jesus ensinou no SERMÃO DO MONTE não é fácil, como não é fácil cavoucar na rocha. Mais fácil é cavoucar na areia, mas se construímos sobre a rocha construímos para a eternidade e não para sermos destruídos pela tempestades.

Sejamos, pois, praticantes do ensinamento do Mestre Jesus e sobreviveremos, mesmo que as lutas sejam renhidas, mesmo que sejamos feridos na vida, pois se o fizermos seremos realmente salvos de tão grande ruína.

Amém.

O DEUS MISERICORDIOSO

Jeremias, o profeta chorão, escreveu no exílio as seguintes palavras: "Quero trazer a memória o que me pode dar esperança. Que as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim, se renovam a cada manhã. Grande é a tua fidelidade". (Lamentações 3.21-23)

George Milles naquela manhã estava com seu coração pesaroso. Sem alimento para as crianças do orfanato e sem dinheiro para compra-lo. Em um ato de fé reuniu as crianças no refeitório e orou pedindo que Deus os socorresse. Alguns momentos depois, ouviu-se bater na porta no orfanato. Tratava-se de um padeiro cujo carro com o qual fazia a entrega do pão aos clientes havia quebrava e para não por a perder toda a mercadoria, havia decidido doá-la ao orfanato.

Essas e outras histórias, algumas que eu mesmo experimentei em minha vida, mostram que Deus é o nosso refúgio, socorro bem presente nas tribulações. Aprendemos que Ele tem cuidado de nós e que suas misericórdias não têm fim, como escreveu inspiradamente o profeta.

Não se sabe ao certo quem escreveu o livro de Qinot, Lamentações.  O consenso entre a maioria dos biblicistas atribui sua autoria ao profeta Jeremias.

Sabemos que o autor vivia no exílio quando compôs esses escritos.

Os judeus costumam ler esta obra durante o nono dia do mês de Abe que corresponde ao nosso mês de julho do nosso calendária, dia no qual relembram as destruições de Jerusalém, pelos caldeus babilônios ocorrida por volta do ano 588 aC e também aquela ocorrida em 70 dC perpetrada pelo General Romano Tito, quando a Cidade Santa foi transformada em uma grande poça de sangue.

Muitos judeus ortodoxos leem esse livro durante a semana toda, em frente ao que restou do muro ocidental da Cidade Santa, hoje conhecido como “Muro das Lamentações”.

O profeta que escreveu sob inspiração divina esse livro, foi testemunha ocular do Juízo Divino contra a Cidade de Jerusalém em 586 a.C.

Vivendo na humilhação do exílio, o homem de Deus labora uma atitude mental e espiritual buscando contornar o desespero e a desventura.

Ele diz que quer trazer à memória algo que lhe traga alento, e isso é o fato de que, mesmo estando naquela situação, a misericórdia do Senhor era sua garantia de sobrevivência e subsistência já que a cada manhã Deus se lembrava dele permitindo que sua situação não se tornasse ainda pior e descortinando em seu coração o horizonte da esperança.

Assim é que sabemos que uma boa parte dos exilados voltou para Jerusalém, reconstruíram seus muros, o templo e experimentaram a renovação de suas forças e fé em Deus.

É sempre assim, queridos irmãos:

Quando tudo parece não ter mais jeito, quando parece que não iremos mais ter forças, quando parece que nos sentimos sem ânimo e sem alento, Deus vem até nós e restaura as nossas forças como num sonho, então voltamos a sorrir e a cantar louvores. Sentimos novamente felicidade, porque mesmo nossa fé foi provada e Deus a revigorou nos dando, enquanto pranteávamos, nossa libertação.

Se Deus é misericordioso conosco é porque somos miseráveis mesmo e precisamos de tal ato da compaixão divina. Deus renova nossas forças na manhã de cada dia para que vivamos com fé e no final de cada dia sejamos gratos, pois o Deus da Bíblia nunca falha.


Amém.

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS