segunda-feira, 23 de março de 2015

PASTORES VERSUS DIVÓRCIO VERSUS NOVO CASAMENTO....VERSUS BÍBLIA.

Estou acordado desde as 04h44. Acordei com minha alma aflita, meu coração entristecido. Soube de mais um Pastor que se divorciou e se casou com outra mulher. Fiquei acordado olhando a negridão do meu quarto. Pus-me a perguntar: o que será que está acontecendo? Fiquei raciocinando porque nós os cristãos nos declaramos total e biblicamente contra a união de seres do mesmo sexo, e afirmamos que fazemos isso com base na Bíblia, mas admitimos com facilidade, hoje, que alguém (e no caso um Pastor, um Líder do Rebanho de Deus), se divorcie e se case com outra mulher? 

Paulo, falando sobre as características necessárias de um Presbítero, ou bispo (são termos intercambiáveis, mas se referem ao Pastor em meu entendimento bíblico e confessional - Vide Atos 20. 17-38, I Pedro 5.1-4, por exemplo), afirma logo no início da lista (I Timóteo 3.1-7 - NVI) que tal pessoa deve ser "irrepreensível, marido de uma só mulher, moderado, sensato, respeitável, hospitaleiro e apto para ensinar; não deve ser apegado ao vinho, nem violento, mas sim amável, pacífico e não apegado ao dinheiro. Ele deve governar bem a sua própria família, tendo os filhos sujeitos a ele, com toda a dignidade. Pois, se alguém não sabe governar sua própria família como poderá cuidar da casa de Deus? Não pode ser recém convertido, para que não se ensoberbeça e caia na mesma condenação em que caiu o Diabo. Também deve ter boa reputação perante os de fora, para que não caia em descrédito nem na cilada do Diabo".

Não quero e nem devo adentrar aqui nos motivos que levaram alguns Pastores a se divorciarem. O que eu sei é que, bíblica e confessionalmente falando, há somente duas razões admissíveis para o Divórcio:  Adultério e Deserção. Se o divórcio de um cristão evangélico professo não for causado por essas duas razões, então Jesus vai dizer que qualquer outro motivo é por conta da dureza do coração. Você pode até chamar isso de "incompatibilidade de gênios", mas na verdade é dureza do coração. Raciocine sem passionalidade, pense equilibradamente e você verá que não adianta darmos outro nome - é mesmo dureza de coração.

Também não quero ser juiz daqueles a quem tenho chamado de meus irmãos em Cristo e que até pouco tempo era meus colegas de ministério. Não quero ser um juiz leviano. Tiago escreveu algo que tem sido um freio em meu sentimento de "justiça": "Falem e ajam como quem vai ser julgado pela lei da liberdade; porque será exercido juízo sem misericórdia sobre quem não foi misericordioso. A misericórdia triunfa sobre o juízo". (Tiago 2.12,13 - NVI)

Um outro equívoco que eu devo evitar (e isso se aplica a qualquer caso) é aquele previsto na advertência de Paulo aos coríntios: "Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia". (I Coríntios 10.12 - NVI). O orgulho pode nos induzir à queda se imaginamos que estamos suficientemente fortes para não cair. O orgulho já é um sinal de fraqueza e é ele que precede a queda.

Uma vez ouvi uma ilustração na qual um rei, após a morte do condutor da carruagem da família real, resolveu fazer um concurso para empregar uma nova pessoa para tal função. Depois de alguns testes, quis o rei entrevistar os três melhores qualificados. A cada um, separadamente ele fez a seguinte pergunta: - Se você é mesmo um bom condutor de carruagem, eu gostaria de saber a quanto de distância você é capaz de passar de um abismo? Os condutores responderam respectivamente: Há 10 centímetros, cinco centímetros e o terceiro disse: - Rei, eu sou um bom condutor de carruagem e aprendi com meu pai que o melhor mesmo é passar o mais longe possível do abismo.  O rei então empregou o terceiro. 

Nós Pastores (eu sou Pastor, ou tento ser, há vinte e seis anos) devemos estar atentos para as tentações e essa é uma delas. Mulheres. A tríade: Sexo, Dinheiro e Poder é terrível para todos, incluindo os Pastores. 

Davi foi um sucesso como Rei, e provavelmente tenha sido esse sucesso (o clamor e aplausos das multidões, a fama e a glória humanas) que tenha feito dele um fracasso como marido, pai e chefe de família. 

Para mim, continua em voga o que preceitua a Bíblia. Casamento é uma união heterossexual, monogâmica e indissolúvel a não ser pela morte.

quarta-feira, 18 de março de 2015

MAURO SERGIO AIELLO - FAMÍLIA E MINISTÉRIO



Talvez você tenha a curiosidade em me conhecer um pouco melhor.

Sou um brasileiro filho de imigrantes italianos e que ama o Brasil.

Sou Pastor na Igreja Presbiteriana do Brasil. Confesso que depois de já ter completado 26 anos (2015) de Ministério ainda não aprendi o suficiente. Não é uma falsa humildade, mas sim uma sincera constatação.

Veja esse vídeo e me conheça um pouco mais. Ore por mim, por minha família e ministério. Paulo escreveu: Orai sem cessar. Se você precisar de minhas orações é só escrever por aqui e prometo me colocar na presença de Deus em teu favor.

terça-feira, 17 de março de 2015

DEVER E PODER

Dever e poder nem sempre estão alinhados. Há determinadas atitudes, decisões, que você deve tomar, mas não pode. O poder, neste caso, não está ao teu alcance. Talvez se eu exemplificar fique mais fácil de compreender. Eu devo viver em paz com todas as pessoas, independentemente do credo que elas esboçam, do time para o qual elas torcem, do tipo de lugar que elas frequentam, da condição sócio/econômica de cada uma delas, e outras distinções, mas isso não depende apenas de mim. Paulo escrevendo aos romanos disse: "se possível, tende paz com todos os homens;"...(Romanos 12.18). Dou enfase aos termos "se possível" e "no que depender de vós". Devemos nos esforçar para vivermos em paz com todos os homens, mas isso nem sempre é possível por várias razões. 

Cito outro exemplo: Eu devo pregar o evangelho a todas as pessoas com as quais eu tenho contato e naquelas oportunidades propícias para tal, mas nem sempre posso fazer isso. Eu não posso falar do evangelho para uma pessoa se isso interferir no meu desempenho naquilo que eu profissionalmente faço. Eu devo, como recomenda Paulo, aproveitar as oportunidade que me surgem para fazer isso. Eu devo testemunhar de Cristo, mas isso não quer dizer que eu posso fazê-las discípulos de Jesus como eu tento ser todos os dias. Eu devo testemunhar de Jesus, mas a regeneração, o novo nascimento, a conversão de tais pessoas, não dependem de mim. No caso citado eu devo e posso testemunhar; eu só não posso converter o coração de quem quer que seja. Essa é uma obra do Espírito Santo de Deus. Eu e Deus trabalhamos juntos nessa obra; eu testemunho a respeito de Jesus e o Espírito Santo é quem faz a obra da regeneração.

Por outro lado há determinadas situações, atitudes e decisões que eu posso tomar, mas eu não devo. Eu posso mentir, mas eu não devo mentir. Eu posso gastar dinheiro, mas eu não devo gastar mais do que eu ganho. Eu posso comer, mas não devo ser glutão, eu posso tomar vinho, mas não devo me embriagar. Não sei se minha hermenêutica é correta, mas Paulo escreveu aos coríntios: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas". (I Coríntios 6.12)

Eu posso usar tatuagem? Eu posso usar piercings?

Sinceramente? Pode, mas não deve, se isso escandalizar pessoas. Não deve por conta do conceito em torno do uso de tais estéticas. Não vejo, em meu entendimento bíblico, nenhuma passagem bíblica que diretamente ou por inferência, declarem que tatuar o corpo ou usar piercing seja pecado. Assim, eu posso usar! Todavia, se isso escandalizar um irmão ou irmã, por amor a eles eu deixarei de usar tais coisas. Algo essencialmente pode não ser pecado, mas se isso escandalizar alguém, por amor a essa pessoa eu não devo usar ou fazer, pois se o fizer eu cometo um pecado contra aquele irmão que eu escandalizei.

A Bíblia proíbe dançar na presença de Deus? Pergunta interessante essa. E difícil de responder. Explico. 

Não há no Culto a Deus realizado no Templo, nas Sinagogas, na Igreja Primitiva e muito depois dela, a tal "dança litúrgica". O Salmo 150 fala de dança, mas não me parece ser em um contexto litúrgico no templo. O termo santuário encontra um paralelo que é o firmamento, ou seja, santuário ali não é templo. Mas eu me pergunto: o Deus que eu adoro no templo é mais exigente do que aquele que eu adoro no firmamento? Eu só posso deduzir que no Salmo 150 não se está tratando de ADORAÇÃO, DE CULTO, nos moldes como ocorria no Templo e que para o salmista essa atividade de elogio a Deus incluía dança. 

Uma outra questão surge daí: Como entender nossos irmãos africanos. Na África os cristãos dançam enquanto cantam louvores, seja a céu aberto ou dentro de um templo. Pelo menos é isso que vejo e encontrei em minhas pesquisas na internet. Lá ninguém se escandaliza. A maioria se apoia na questão da cultura, mas nós sabemos que a cultura também foi afetada pelo pecado. Como eu devo entender isso?

Bem, eu entendo que os africanos não devem dançar enquanto cantam porque, pelo que sei, a origem de tais danças, ou movimentos coreográficos é o culto que era oferecido às divindades pagãs e demônios. Estou equivocado? Entretanto, se eu for à África, eu não vou tratar meus irmãos em Cristo que agem assim com descaso e nem com desprezo. Eu não vou me escandalizar com eles. 

Veja que não estou falando de pecados comprovados pela Bíblia. A Bíblia condena o adultério e isso em qualquer cultura. A Bíblia condena a mentira em qualquer cultura. A Bíblia condena a negligência na guarda do Dia do Senhor em qualquer cultura. A Bíblia exige que os filhos honrem seu pais em qualquer cultura. A Bíblia proíbe o falso testemunho, em qualquer cultura. A Bíblia condena o roubo ou o furto e isso em qualquer cultura. Aquilo que explicitamente ou por inferência a Bíblia rotula e cataloga como pecado, transgressão, errar o alvo, deve ser evitado, mas aquilo que não é tão explícito temos que trabalhar com as ferramentas do amor ao próximo e da tolerância.

Lembro-me do tempo em que não era possível que usássemos violão na Igreja. Era um escândalo, mas hoje esse é um instrumento aceito quase que por unanimidade nos cultos e liturgias em quase todas as denominações. A questão toda não é, fundamentalmente, o instrumento, mas o instrumentista. Sou testemunha de ver pessoas fazerem mais estragos na Igreja com a Bíblia nas mãos do que com um instrumento musical.

Finalizo com a seguinte consideração. Quando a questão é comprovadamente pecado, eu nem devo e nem posso. Quando algo não é comprovado pecado, mas escandaliza, eu posso, mas não devo. 

segunda-feira, 16 de março de 2015

FORA COM OS POLÍTICOS CORRUPTOS E COM BRASILEIROS CORRUPTORES

Se o Aécio ganhasse ele diria que tudo que está acontecendo é culpa do PT e da Dilma. 

A Dilma está no poder e diz que tudo de ruim do seu governo é culpa do PSDB e do Fernando Henrique Cardoso. Ela se esqueceu que seu antecessor foi o Lula do PT e que esse ficou no poder por longos oito anos. 

Isso me faz lembrar o relato de Gênesis em que Adão culpou Deus ao dizer: - A mulher que tu me deste. Depois a mulher disse: - A serpente me enganou......Quando será que teremos um governo que diga: A CULPA E NOSSA, MAS VAMOS MUDAR ESSA HISTÓRIA. E MUDE!!!!!!!!!!!! Os brasileiros estão cansados de tantos discursos. Os brasileiros querem ver mudanças.

Não fui à manifestação. Razões religiosas. Gostaria de poder ter ido. Se acontecer outra em um outro dia da semana, possivelmente irei. 

É hora de nós brasileiros nos unirmos em prol de um Brasil onde a justiça se torne a base da paz e da harmonia. Mas eu me preocupo como o after day. 

Eu gostaria de dizer que não estou satisfeito com a presidência da Dilma (aliás, nunca votei e nem votarei no PT por questões ideológicas e não pessoais), mas também não achava que se o Aécio ganhasse as coisas iriam ser melhores do estão sendo. 

Na verdade eu queria poder mudar o governo, mas mais do que isso eu quero mudar a representatividade nas Câmaras Municipais, nas Assembleias Legislativas, na Câmara dos Deputados Federais e no Senado. EU QUERO UMA REFORMA POLÍTICA JÁ!!!!

Não temos mais estômago para ver alguns políticos na Tribuna falando em nosso nome, pregando honestidade e ao mesmo tempo, sem nenhum pudor ou escrúpulo, enfiando a mão e roubando. É uma mar de corrupção e isso de muito tempo. Isso faz parte do oxigênio da política brasileira. O sujeito mais bem intencionado que chega ao cargo político, ou se imiscui de suas prerrogativas ou simplesmente engrossa o caldo dos inescrupulosos corruptos. Lembram do F.C de Mello "o caçador de marajás"? Não dá mais para ver Renan Calheiros, Paulo Maluf, Fernando Collor de Mello, (apenas como exemplo) na política. CHEGA! Era isso que eu queria falar e gritar a plenos pulmões se tivesse podido ir à manifestação ontem. POLÍTICOS (com raríssimas exceções) renunciem e vão embora que esse país não lhes pertence.

Não precisamos ter de volta as forças armadas no poder. Aquilo que aconteceu entre os anos 64 e 85 já passou e é preciso olhar e aprender com tudo aquilo, mas não precisamos de polícia dirigindo o país. Cabe às Forças Armadas ficar de prontidão para defender a Soberania Nacional. Cabe aos Políticos reger essa nação de tal forma que a justiça seja praticada, que todos os cidadãos possam sonhar e ver seus sonhos terem, no mínimo, uma possibilidade de se tornarem em realidades concretas.

Valeu a manifestação. O Brasil mostrou que está se politizando e que não aguentamos mais tanta mentira deslavada e corrupção comprovada e não punida, mas é preciso que saibamos que pouco adianta sairmos para protestar se amanhã vamos trafegar pelos acostamentos, oferecer propina para o guarda rodoviário (e ele aceitar), por exemplo? A manifestação deve começar com nossa mudança de comportamento ético. Cada brasileiro deve estar cônscio de que a prosperidade é fruto do trabalho, que o progresso exige pesquisa e sacrifício de todos, que o bem estar social é responsabilidade de todos, não apenas dos políticos. Temos que mudar a base e assim construir sobre ela os políticos que irão reger essa nação.

De que adiante um dia só de manifestação? Se o brasileiro continuar corrompendo e se corrompendo teremos essa turba de políticos preguiçosos que vive do erário público, de braços cruzados muitos deles cúmplices de atos de improbidade financeira e administrativa. 

Eu quero que o brasileiro se manifeste todos os dias no trânsito obedecendo as regras e leis. 

Eu quero que o brasileiro se manifeste todos os dias não aceitando propina ou vantagens. Sim porque votar em alguém por conta de Bolsa Família (e não trabalhar) é um tipo de propina que o povo aceitou nas últimas eleições. 

Enquanto o povo não mudar sua mentalidade e sua atitude, esses políticos sempre terão quem neles vote. É só olharmos o quadro político de hoje para constatarmos que se ninguém tivesse ido às urnas nas últimas eleições, muitas coisas que esse movimento -VEM PRA RUA - pleiteia, teria se tornado realidade.

sexta-feira, 13 de março de 2015

POLÍTICA BRASILEIRA - TRISTES CONSTATAÇÕES

PRIMEIRA
GOLBERY DO COUTO E SILVA - LINHA DURA

Foi aqui que Deus me fez nascer. Eu nasci aqui, filho de imigrantes italianos. Meu pai veio para o Brasil fugido de Mussolini. Minha mãe era filha de napolitanos. Aqui eu cresci, estudei, me casei e tive filhos. Vivo a experiência maravilhosa de ver os filhos dos meus filhos. Vivi o período do "golpe" militar em 31.03.1964 até 15.01.1985. Foram vinte e um anos de repressão e com os generais comandando a nação. Vi e fui testemunha desse período. Vi Tancredo ser eleito, ficar doente e não assumir, tomando seu lugar o Sarney. Vi o impeachment de Collor. Vi FHC assumir e agora esses 13 anos de governo do PT. Li, ouvi, acompanhei e concluo dizendo que vivemos o período mais difícil de nossa nação. Estamos em uma encruzilhada. Vivemos um dilema. Depois do que vi ontem com os depoimentos do Deputado Eduardo Cunha Presidente da Câmara dos Deputados e o ex-presidente da Petrobrás, Sérgio Gabrielli concluo que esse país definitivamente perdeu o rumo. Concluo que a decência e a moralidade são ficções no meio político nacional. Concluo que sobrevivemos mesmo porque a misericórdia de Deus é a causa de nãos sermos consumidos. Concluo que a taça está quase derramando e que essa corja que se apoderou do governo não é melhor do que aqueles que ficaram no poder por 21 anos, pelo contrário, é muito pior. A questão toda hoje é: falta de competência, falta de conhecimento da história, ignorância das regras da economia, total descaso em relação à política internacional, prevaricação administrativa, ingenuidade política, falta de escrúpulos, falta de humildade para aprender, compromisso com partido e não com o povo, amor pelo poder, amor do dinheiro em vez de amar o povo, falta de espírito patriótico. Chego a ter saudades do Golbery do Couto e Silva, por incrível que isso possa parecer.



SEGUNDA
JOÃO ALVES: O CORRUPTO ANÃO 

Pizza é invenção chinesa, assimilada pela cozinha italiana, mas é no Brasil que a pizza se tornou símbolo de prevaricação. O melhor tempero da pizza brasileira é a falta de vergonha e de escrúpulos tão bem encarnados pelos depoimentos de ontem que foram mais vergonhosos ainda do que aquele tal anão do orçamento e nada saudoso deputado João Alves que disse diante das câmeras de televisão e a todos os microfones que pode alcançar, que sua riqueza era oriunda do fato de ter ganhado mais de 200 vezes na loteria. Ele morreu, mas parece que fez escola. Comparando a corrupção do deputado João Alves com a corrupção da maioria dos políticos brasileiros hoje, podemos dizer que ele era mesmo um anão.

TERCEIRA
JÂNIO QUADROS - PROFETA?


Jânio Quadros e o refrão Varre-Varre Vassourinha se tornaram inesquecíveis. Suas notáveis máximas como essa - Bebo porque é líquido. Se fosse sólido, come-lo-ia - e mais essa - Se o criador desejasse que dos seus filhos uns só fossem criados para trabalhar e outros só para comer, te-los-ia feito: uns, só com braço; e, outros, só com boca. Profeta? temos políticos que deveriam ter nascido só com boca. E deveriam ter nascido com uma ENORME boca. São vorazmente famintos a maioria dos políticos brasileiros. 

terça-feira, 10 de março de 2015

CULTO A DEUS OU: CULTO? ADEUS.

Fico imensamente triste ao ver como alguns "cristãos", são levados facilmente a confundir emoção com espiritualidade genuína. Não que tenhamos de viver a experiência de extrema racionalidade no culto, ou uma adoração isenta de emoção. Mas tudo tem limite. Nem tanto ao céu e nem tanto à terra. Há um ditado romano que diz: In medio status virtus, ou seja, a virtude está no meio. Mas para você ser equilibrado você tem que se firma em algo, e em questão de teologia o fundamento é a Escritura Sagrada, Sola Scriptura.


Nesses dias minha esposa me mostrou no Facebook uma mulher de joelhos, em uma Igreja que conhecemos, para nossa tristeza. e alguém derramando, óleo, ou água, (sei lá), sobre a cabeça dela, um punhado de gente ao seu redor bambeando o corpo com as mãos levantadas na altura do peito, os "músicos" tocando uma "música" ao fundo e muita, muita, gritaria. 



Definitivamente isso não é culto cristão. Isso não é Culto a Deus!



Definitivamente isso não é obra do Espírito Santo! O Santo Espírito de Deus produz sobriedade, equilíbrio, sensatez e sabedoria (Efésios 5.15-21). Parece-me que esses tais riscaram de suas Bíblias, (na verdade eles não leem a Bíblia e por isso agem dessa maneira) o texto de I Coríntios 14.40 quando Paulo vai concluir suas considerações sobre o "culto" praticado na Igreja de Corinto. Paulo diz: "Tudo, porém, seja feito com decência e ordem". Na verdade o que eu tenho visto em alguns lugares e também naquilo que é postado na internet é indecente e desordeiro, e porque não dizer ridículo. 


O que eu tenho visto nas redes sociais não passa de desequilíbrio mental, insensatez, e loucura. Triste, mas vejo familiares a quem eu amo sendo enganados e frequentando esses eventos que ousam chamar de culto a Deus. Na verdade deveriam dizer: Culto? Adeus.


Sou Pastor na IPB, Ordenado desde 1989. São 26 anos, ininterruptos, de Ministério Sagrado. De lá para cá tenho visto, com grande decepção o quanto a "classe" chamada "Pastores" tem sido depreciada. E, lamentavelmente, com muita razão. 


Infelizmente confunde-se discurso com Sermão. Conversa com aconselhamento. Culto com terapia de grupo. Carisma com caráter. Intelectualidade com Espiritualidade. Academia com Sabedoria. Eloquência com Poder do Espírito Santo. Loucura com coragem e Prudência com covardia. 


Assim vemos uma turba de "pastores" que são tudo menos Cuidadores dos Rebanhos de Deus na perspectiva de que falou Paulo aos Presbíteros de Eféso (Atos 20.17-38) ou como exorta Pedro em I Pedro 5.1-4. Que Deus levante Pastores de Almas e que estes se apresentem dignamente quando forem chamados à presença do Supremo Pastor.


Quando o dito Pastor não se torna arrogante por conta dos títulos que acumula e age de forma petulante olhando do púlpito para as ovelhas do rebanho divino como uma pobres almas que nada sabem, outros ditos pastores não têm preparo absolutamente nenhum, não conhecem as necessárias ferramentas para uma boa hermenêutica e tampouco os recursos tão benfazejos de uma boa homilética. Exegese é uma palavra e uma ciência totalmente desconhecida. Então esses que nada sabem são cegos guiando cegos e o resultado não poderia ser outro a não ser este que vemos de sobejo, ou seja, qualquer coisa menos Culto e Liturgia bíblicos. Na verdade a questão não é tanto quanto se conhece das Escrituras, mas sim a autoridade que vidas santificadas chancelam, e me parece que falta essa autoridade que é bem substituída pelos recursos de marketing e novidades sem conta.


Quero discorrer um pouco mais sobre esse tema. E quero jungir esse tema do Culto ao que escrevi sobre Pastores, porque entendo que grande parte da responsabilidade de termos qualquer coisa menos cultos a Deus em Igrejas chamadas cristãs hoje é dele, do Pastor, (não generalizo). 


A questão toda em primeiro lugar está no abandono da Escritura como Palavra de Deus central no Culto. É muito mais fácil lotar Igrejas, mexer com as emoções fragilizando os egos, angariar recursos financeiros com programinhas que esses tais pastores chamam de culto quando na verdade o que fazem é promover um show onde a música, o "tristemunho", a ilusão psicológica, a psicologia sugestionável, a gritaria que nos faz surdos, o fogo estranho litúrgico, coisas totalmente estranhas fazendo mais parecer uma sessão de macumba do que Culto Cristão, tomam o lugar da Exposição Bíblica




Pastores sem conteúdo e santidade fazem comunidades vazias de Deus 
e de sadia espiritualidade. 


Pastores cheios de si mesmo arrebanham para si admiradores, mas Pastores cheios do Espírito Santo arrebanham discípulos para Jesus. Vejamos, por exemplo, para onde vai a Igreja Deus é Amor depois da morte do seu líder, "missionário" Davi Miranda. Observe que essas ditas igrejas são sempre originadas na personalidade deste ou daquela figura magnânima.  Não é a Igreja de Cristo, mas sim a Igreja de fulano ou beltrano. É a Igreja do apóstolo, do missionário. 


Quando abandonamos as Escrituras e produzimos cultos claramente o fazemos com base em nossos gostos pessoas, seduzidos pela cultura, em buscar agradar os "adoradores", em vez de agradar ao Deus que dizemos adorar. Quando abandonamos as Escrituras descambamos para os achismos, quer seja de linha radical de direita ou de esquerda. Eu chamo linha de direita aquela postura em que você não pode sorrir e nem se alegrar no culto e chamo de linha de esquerda aquela postura onde tudo é admissível no culto e o culto se torna uma colcha de retalhos, um momento disforme e vazio de espiritualidade, centrado no homem, em agradar o paladar humano, encharcado de emocionalidade e êxtase.


Precisamos urgentemente voltar à Bíblia e encontrarmos nela a orientação para a liturgia. É de se supor que uma boa teologia irá produzir uma saudável liturgia onde Deus real e verdadeiramente é adorado. Quando Deus é verdadeiramente e espiritualmente adorado, seus adoradores são abençoados com toda sorte de bençãos espirituais.


Precisamos centralizar o culto no Trino Deus, com ordem, equilíbrio, bom senso, razão e emoção (devemos adorar com o coração e com a mente). Não precisamos de exageros e radicalismos. Há dentre nós aqueles que pensam que só podemos cantar congregacionalmente, mas eu penso que não é necessário postura tal, desde que aquele que canta o faça para a Glória de Deus e não a sua. Há outros que pensam que só devemos cantar a Bíblia. Eu gosto muito quando encontro uma música que tem como letra as Escrituras. Entretanto desde que haja correção teológica na letra da música, não há, em meu entendimento, nenhum problema em entoar tal cancão. Na liturgia o que deve preponderar não é o que eu gosto, mas sim se está correto biblicamente. Há coisas diferentes, novas e que eu posso até não gostar, mas se elas têm respaldo bíblico, não depõem contra a ordem e a inteligibilidade do Culto, eu devo aceitar com coração humilde e na contribuição em prol da unidade.


Que Deus se apiede de nossas pobres almas e nos encontre como aqueles adoradores que Ele mesmo busca, ou seja, aqueles que o adoram em Espírito e em Verdade.

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS