segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

À PROCURA DO PRAZER

Outro dia, enquanto dirigia pela avenida onde está localizado o templo da Igreja que pastoreio, me deparei com alguns jovens andando pela calçada. Um deles levava em uma de suas mãos uma garrafa pet de um refrigerante. Outro jovem (creio que ambos menores de idade), carregava uma garrafa de vodca. Não sei para onde se dirigiam.

Ao chegar à Igreja, confabulei com um jovem sobre o que vi e ele me disse que é comum que aqueles jovens misturem vodca com o refrigerante. Fiquei espantado porque eram cinco jovens e a garrafa de refrigerante era de dois litros. Imaginei o quanto cada um iria tomar daquela mistura. E mais; pus-me a questionar a respeito do significado daquilo, perguntei a mim mesmo se os pais deles sabiam a esse respeito e onde será que eles teriam comprado bebida alcoólica já que para fazer isso é preciso ser maior de dezoito anos de idade.

Conclui que aqueles jovens estavam à procura de um prazer para as suas vidas. E o interessante é que enquanto perguntava a respeito desses jovens para eles passaram na frente da Igreja e seguiram em frente. Pensei então no versículo quatro (4) do Salmo trinta e sete (37): “Agrada-te do Senhor e Ele satisfará o desejo do teu coração”. Quais eram os desejos daqueles corações, daqueles jovens que desceram a avenida e seguiram adiante? Com certeza eles estavam em busca de um prazer para seus corações e almas.

Aqueles jovens representam a grande maioria da população do nosso planeta hoje. A grande maioria anda a procura de algo que lhes faça sorrir, lhes dê prazer, lhes faça cócegas no ego, sacie seus desejos sexuais, os distancie dos atos corretivos dos pais e da sociedade. Na verdade, estão procurando uma liberdade que certamente irá redundar em resultados terríveis como o vício, o ócio, a preguiça, a irresponsabilidade, a alienação, a enfermidade e a pobreza em todos os sentidos. Eles estão assimilando a filosofia dos epicureus que alimentavam o anseio pela busca do prazer e por uma vida isenta de dor.

Estou estarrecido diante do que tenho visto por aí! As diversões de hoje, são anômalas. Não sou contra quebrar tabus. Sou do tempo em que nem se podia imaginar um violão ou bateria dentro de um templo religioso. E sendo usados no Culto a Deus! Sou um dos precursores dessa nova modalidade de música litúrgica. E creio que ainda podemos ter outras conquistas, mas sinceramente Big Brother Brasil, Stand Up (Com a verborreia chula e de baixo calão. Parece até que é impossível fazer humor sem ironia, linguajar chulo e pobre e piadas que denigrem a imagem de autoridades).

Como é possível admitir que há felicidade nessas coisas? Como é possível imaginar que há sabedoria em beber vodca com refrigerante, cerveja e outras bebidas alcóolicas até vomitar ou até entrar em coma? Como é possível ser inteligente e imaginar que fumar maconha ou cheirar cocaína, ou usar LSD, metanfetamina irá resultar em benefício mental e físico? Acabei de ler o livro biográfico sobre Steve Jobs escrito por Walter Issacson e me pus a perguntar: Será que ele não contraiu o câncer que roubou sua saúde e por fim sua própria vida com o uso das drogas e de uma vida marcada pelo laizzer faire?

Que proveito há em se ficar uma madrugada toda sob o som ensurdecedor de música eletrônica acima dos decibéis permitidos, enquanto se mantém a energia com energéticos que destroem a frequência cardíaca e podem resultar em problemas sérios de cardiopatias sem chance de recuperação?

O que vejo é uma humanidade que está suicidando aos poucos, perdendo o senso e a dignidade, o rumo e vivendo para o presente século como loucos e sem um traço sequer de sobriedade.

O prazer e as paixões são apelos de um coração desesperado, sem Deus. E sem Deus não há vida. Sem comunhão com Deus você pode tentar preencher o vazio de tua alma com qualquer coisa, mas isso redundará em um vazio maior ainda. É como alguém que está em um buraco fundo, cavoucando aindaais porque insanamente imagina que a saída está em baixo. Não a saída é olhar para o alto. Quem sabe encher esse buraco de lágrimas até inundá-lo e então sair. Mas o melhor mesmo é acreditar que Cristo pode descer até onde a pessoa está e coloca-la em seus ombros tirando-a daquele poço, daquele lamaçal imundo e fétido.

Os jovens passaram na porta da Igreja e caminharam adiante, rindo, falando alto, com o refrigerante e a vodca em suas mãos sem se darem conta de que o real prazer e a verdadeira felicidade estavam tão próximas.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

A REALIDADE. COMO ELA É.....

Em 1939 quando a Segunda Grande Guerra começou, um Pastor na Inglaterra estava em seu escritório lendo a Bíblia e orando a Deus pedindo orientação sobre o que pregar para seus fiéis naqueles dias tão difíceis sabendo que muitos dos seus membros teriam que se apresentar para a batalha e que muitos não voltariam, iriam perecer nos campos e outros que corriam o risco de morrer em suas próprias casas vitimados pelas bombas dos bombardeiros.

Hoje eu me sinto da mesma maneira. A guerra de hoje é diferente e muito mais letal.

Olhe ao seu redor. Veja o mundo na televisão. Ouça a respeito do homem nas estações de rádio. Leia a respeito dos valores morais e éticos que tem sido abraçados e conduzido esse mundo que nos rodeia. Veja como estão os valores morais na família, na escola, na política. Veja como é a ética que tem determinado a conduta das pessoas. 

Lamentavelmente vivemos dias tão difíceis como aqueles em que vivia Noé. Os grandes centros não são melhores do que Sodoma e Gomorra. E por mais que vociferemos conclamando o homem a olhar para cima (Deus) e não para os lados, nos parece que essa luta é inglória e totalmente vã. Parece que somos profetas a clamar no deserto.

As ciências humanas têm tentado dar respostas aos constantes apelos e consultas da alma humana. Psicologia, Sociologia, Pedagogia, têm buscado oferecer respostas aos anseios do coração humano, cada vez mais vazio e se sentindo cada vez mais só. 

A indústria farmacêutica enriquece ao pesquisar e lançar anti-depressivos. O número de suicídios tem aumentado. O número de homicídios também. A vida humana tem perdido totalmente seu valor. O radicalismo religioso em alguns segmentos tem beirado à loucura e insanidade. A vida de alguém custa menos que um celular, carro ou qualquer outro bem perfeitamente dispensável.

A tecnologia avançou, mas ainda temos que conviver com loucos radicais que decapitam pessoas por questões "religiosas", que se deixam seduzir pela ideia de uma paraíso cheio de virgens, de um céu alienante que tira o foco e a responsabilidade com respeito ao mundo que nos rodeia e às pessoas que nos cercam. 

Do outro lado temos a teologia da maioria que é aquela que oferece um Deus que é obrigado a suprir todas as nossas necessidades "porque somos filhos do rei". Parece que voltamos à obscuridade da Idade Média. Graça a ignorância. Sobeja a tolice e insanidade. O mundo da literatura é pobre. O mundo da música pode também. Valoriza-se mais o gingado e balanço, o ritmo do que a letra que emociona com racionalidade. A família anda em frangalhos. A escola foi transformada em qualquer coisa, menos em ambiente onde o aprendizado é conduzido. O ser humano está mais preocupado com o tamanho de sua barriga do que com o tamanho de seu coração. O homem se preocupa mais com sua estética do que com a ética comportamental. As pessoas não se entendem. Casam-se rápido demais e se divorciam com igual rapidez. Os relacionamentos se tornam, cada vez mais, efêmeros e fugazes. Não se honra mais a palavra. Não se vive mais, apenas existimos.

O Pastor Paulo viveu a mesma experiência daquele Pastor na Inglaterra e a mesma que os Pastores de hoje vivem. Ele teve uma anti-visão do que seriam esses nossos dias e prescreveu como deve ser nossa conduta diante dessas circunstâncias, diante desse mundo que caminha a passos largos para a total deterioração e destruição.

Ouçamos-lo: II Timóteo 3.1-5

"Sabe, entretanto, disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens amarão a si mesmos, serão ainda mais gananciosos, arrogantes, presunçosos, blasfemos, desrespeitosos aos pais, ingratos, ímpios, sem amor, incapazes de perdoar, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, inconsequentes, orgulhosos, mais amigos dos prazeres do que amigos de Deus. com aparência de piedade, todavia negando o seu real poder. Afasta-te, portanto, destes também". 

Se Paulo fosse um artista plástico e pintasse, como seria o quadro pintado por ele com base nessas suas palavras que descrevem os últimos dias? 

Eu fico atento à expressão "mais amigos dos prazeres do que de Deus". A sociedade hodierna, o mundo contemporâneo parece viver para seus prazeres. Big Brother Brasil, o conteúdo das novelas, os temas da músicas, quase toda área do entretenimento é etéreo, fugaz, efêmero, estéril. Contra essa atitude e disposição encontramos o anseio do salmista: "Ó Eterno, Tu é o meu Deus e a Ti eu busco dia e noite; a minha alma tem sede de Ti! Todo o meu ser anela pelo refrigério da tua presença numa terra árida, exausta e sem água". (Salmo 63.1) Para muitos até a Teologia se tornou um ambiente de lustro da intelectualidade em vez de um estudo que resulte em verdadeiro temor a Deus. 

A humanidade sempre, vez por outra, se vê diante dessa dura realidade que é se alienar de Deus e acreditar nela mesma. Não se percebe o quanto repetimos a tragédia do Éden quando a Palavra de Deus foi colocada em dúvida e deixada de lado. Sempre, indubitavelmente, isso resulta em tragédia. 

Minha esperança é que olhemos para cima e sejamos contemplados pela misericórdia divina. Minha esperança é que busquemos a Deus em tempo de poder encontrá-lo, porque somente assim viveremos uma realidade diferente dessa que experimentamos em todos os níveis de nossa sociedade, em todos os países do mundo.

Visitei a América e fiquei estupefato em ver como o Dia do Senhor é tratado com descaso. A maioria das Igrejas realizam seus serviços religiosos (Cultos) pela manhã e à tarde e noite o "cristão" se diverte assistindo NBA, NFL, e outros esportes. Parece que se pensam assim: "vamos à Igreja e paguemos nosso tributo, aplaquemos a ira do nosso Deus e depois voltemos para nosso casulo, para nosso mundo, pois nossa parte já fizemos". A América se mantém como uma super-potência, como a primeira economia do mundo, mas a cada dia que passa vai se tornando seu próprio deus até os valores morais se corromperem de quase todo. 

A Europa já sucumbiu. Os países que produziram a Reforma Protestante no século XVI estão longe de produzir uma teologia que resulte em vidas realmente piedosas. França, Inglaterra, Alemanha vivem como Roma antes do Cristianismo. Um panteão, um circo dos horrores, uma carência enorme de transcendência que os faz descambarem para o álcool, as drogas, homossexualidade, bizarrices, e outras tantas coisas que fazem que nos aproximemos mais dos animais irracionais. 

A África é invadida pelo muçulmanismo. E o Islã se impõe pela força. Um continente carente se tornou alvo de uma chantagem emocional e econômica nas mãos, ora da religião, ora das superpotências. Enquanto o cristianismo prega e crê em um poder espiritual com a presença e instrumentalidade do Espírito Santo no campo, inclusive das conquistas de novos adeptos, o Islamismo impõe a guerra, o terror, a opressão. E não estou falando do Estado Islâmico. O EI é uma radicalidade que nasceu dentro do Islã, assim como há radicais nos limites do cristianismo. Não podemos nos esquecer das Cruzadas. Mas a leitura sincera e desapaixonada do Alcorão nos ensinam um deus que autoriza a morte de todos aqueles que pensam diferente; morte aos infiéis. Em países como o Brasil o islamismo ainda é de pequena expressão, mas se eles se tornaram maioria, teremos dificuldades enormes para expressarmos a nossa fé cristã.

O mundo geme. Caminhamos em direção ao caos. O que é certo é considerado errado e o que é errado é considerado certo. Não dá para se isolar e fazer de conta que tudo vai bem, porque simplesmente aos coisas não vão bem. O mundo se vê envolto em densas trevas de ignorância espiritual.

Só resta a mim e a você orar, clamar por socorro. Resta-nos a esperança bíblica de que Deus abreviaria os tempos por causa dos eleitos. Enquanto estivermos vivendo esse período de tão grande tribulação oremos em busca de uma fé vigorosa, que não recua, que se mantém firme e inspire outros.

Que Deus olhe para o mundo e, como Pastor Amável, nos conduza aos pastos verdejantes, às águas tranquilas e que por fim nos acolha em sua presença onde poderemos descansar de nossa jornada como peregrinos por essa estrada de dores, assaltos e morte.

Amém.


O SECULARISMO

O uso do sufixo “ismo” sugere um sistema. Secular”ismo”, portanto, é algo que tem a ver com o século com o aqui e agora, com o já e imediato, com a presente ordem. Quando Paulo escreveu a sua carta aos romanos ele disse: “E não vos conformeis (amoldeis) com este século...” (Romanos 12.2).

O cristão mesmo tendo sido regenerado, tendo sido feito nova criatura, ainda vive nesse mundo, sob essa ordem que temos, e tem suas responsabilidades que são muitas: estudos, profissão, família, religião, dever e lazer. Tudo isso faz parte de nossa agenda, de nossa vida. Os cristãos de hoje não podem cometer o mesmo equívoco que cometeram aqueles cristãos do quarto século que, no afã de fugir da contaminação, a que a Igreja de seus dias se permitia submeter, fundaram os mosteiros e decidiram viver no isolacionismo do mundo. Jesus orou ao Pai pedindo pelos seus: “Não peço que os tires do mundo, e sim que os livres do mal”. (João 17.15) O cristão deve viver no mundo para poder exercer, dentre outras prerrogativas, a função do sal que impede a putrefação moral da sociedade, e da luz que ilumina com o conhecimento aqueles que vivem nas trevas da ignorância, principalmente espiritual.

Assim sendo, temos diante de nós um dilema: vivemos no mundo, mas não somos deste mundo. O sentido disso é que temos nossas obrigações com o mundo (como vimos acima) no que consiste nossas responsabilidades como cidadãos, mas ao mesmo tempo temos que nos lembrar que não pertencemos a este mundo e que não podemos nos deixar influenciar por ele. Como cidadãos do mundo e ao mesmo tempo da pátria celestial que aguardamos, devemos cumprir nossas obrigações tendo como alicerce os princípios éticos e morais tão excelentes que encontramos na Palavra de Deus e que foram encarnados por Cristo Jesus o Filho amado de Deus.

Aprendemos com clareza na Bíblia que é mister fazer todas as coisas de todo coração, como para o Senhor e não para os homens (Colossenses 3.23,24) porque e Dele que vem a justa recompensa. Seja qual for nossa profissão, todos nós temos um só Senhor a quem devemos agradar, e esse Senhor é o próprio Deus. O cristão deve fazer de sua profissão um meio pelo qual Deus seja glorificado, seu nome honrado e uma forma de testemunho ao mundo a respeito das boas novas de salvação.

Pensando a esse respeito eu pergunto: Quando levantamos cedinho para o trabalho, seja ele qual for (desde que honesto), estamos pensamos na glória de Deus e na honra do seu nome, ou pensamos naquilo que os outros irão pensar de nós, na forma como as pessoas nos veem e nos honram? Veja você; esse é um filtro que irá definir não só o que fazemos, mas como e porque fazemos. Somente quando respondemos bíblica e corretamente a essa pergunta é que podemos nos habilitar a viver nesse século com a mente e as esperanças voltadas para a eternidade. Somente quando respondemos a essa pergunta de forma positiva é que nos habilitamos a vivermos de fato para Deus de tal maneira que o século presente é apenas um tempo no qual Deus e sua Glória são claramente identificados naquilo que pensamos, falamos e fazemos.

A glória desse mundo é passageira. Nenhuma glória desse mundo pode ser comparada com a glória do porvir. Por isso Paulo exorta aos Colossenses que vivemos nesse mundo, mas se já fomos ressuscitados, isto é, se nascemos de novo, devemos pensar e buscar as coisas do alto onde Deus está.

As glórias de nossa conquista nesse mundo aqui são relativamente importantes, mas se as obtivermos à custa do Reino de Deus e sua Justiça, se elas isolarem Deus e nos alienarem Dele, então descobriremos com um gosto amargo na boca que realmente não valeu a pena tanto esforço, porque na verdade isso é como correr atrás do vento.

Não se deixe vencer pelo secularismo. Há tempo para tudo debaixo do sol. Há tempo para conquistas nesse mundo e para acumularmos tesouros no céu.


Descubra o sabor delicioso que é viver para Deus e então tu terás descoberto todo o sentido para a vida e existência. Quem vive para o hoje, descobrirá de forma terrível, que só teve o hoje para viver. Semeie no reino de Deus e colha frutos para a eternidade.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

IN MEMORIAN DE VINCENZO AIELLO, MEU PAI

Ele veio da Calábria, Itália. Mais precisamente da província de Catanzaro. Lá ele cuidava das cabritas do meu avô, seu pai, Francesco Aiello. Era apaixonado pela música e aprendeu a tocar Trombone de Vara. Ele ensinou música aos seus demais irmãos.

Sua família veio para o Brasil de navio, fugindo de Mussolini, o fascista.

Viveram no interior de São Paulo. Taquaritinga, Marília, Jaú. Não sei muito a respeito da mocidade de meu pai. Eu só sei que ele conheceu mamãe no Tênis Clube de Marília e se casaram. Ele era mais velho que mamãe 16 anos. Ele com 38 anos e ela com 22.

Meu irmão nasceu em 1952 e eu em Julho de 1954. Meu irmão em Marília e eu em São Paulo, capital, mais precisamente no Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros no bairro do Tatuapé divisa com o Belém em uma noite fria, chuvosa, as 19h00. Era uma segunda-feira.

Vivi com papai 19 anos. Eu o amava e o amo ainda hoje. Sua morte não matou meu amor, pelo contrário, só o fez aumentar. Quanto mais amadureço, mais eu amo meu Papai.

Jamais me esquecerei daquele dia.

Há dias que marcam para sempre nossas vidas. Eu estava em minha sessão na Philco e meu chefe me chamou e me disse que meu irmão José Luiz estava na portaria da fábrica e que tinha vindo me buscar porque meu pai havia piorado no hospital.

Então eu lhe disse: - Não meu pai não piorou. Ele melhorou e muito. Ele descansou de suas lutas e morreu no Senhor. Ele olhou para mim, e sorriu sem graça.

Meu irmão foi quem me deu a notícia. - Mauro; papai morreu. Fui invadido por uma mistura de tristeza que palavras não podem explicar e uma paz que somente Deus consegue entender. Afinal das contas foram anos de luta do meu papai contra o câncer, dores, noites mal dormidas e sonhos interrompidos.

Papai tinha somente 59 anos de idade. Era um homem bonito. Olhos azuis como o céu de brigadeiro. Músico refinadíssimo. Marido que amava apaixonadamente sua esposa. Pai amorosíssimo, sem igual. Homem cujas mãos eram mãos de artista. Coração sentimental, pés de Fred Astaire, alma limpa, coração cheio de fé.

No dia de sua partida, quando o enfermeiro veio para dar-lhe seu banho, ele disse: - Capriche, porque esse é meu último banho. Era por volta das 10h00. As 13h00 papai fechou seus olhos aqui para abri-los na eternidade.

O médico chefe da ala onde papai estava internado no Hospital Brigadeiro, chamou toda sua equipe e disse: Façamos um minuto de silêncio porque hoje morreu um homem nesse hospital.

"Papai, isso já faz tanto tempo. Exatamente 42 anos e eu não o esqueço, e jamais o esquecerei. Você era meu amigo. Talvez, aqui nessa terra dos homens, o único amigo mesmo que eu já tive.

Obrigado por me chamar e dizer que confiava em mim e que eu seria um grande homem. Obrigado por me chamar carinhosamente de "Maurinho".

Em meu coração você viverá para sempre.

Para sempre, até que nos encontremos na glória de nossa eterna morada. Um milhão de beijos, papai".

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS