domingo, 8 de maio de 2016

MÃE (Yolanda Dalceno Aiello)

"Uma mãe basta para cem filhos, mas cem filhos não bastam para uma mãe".
"Mãe é aquela criatura supreendente que tendo quatro filhos à mesa para a refeição e só havendo quatro pedaços de pão se encarrega logo em dizer: - Não gosto de pão".
"Mãe e sacrifício deveriam ser sinônimos".
"Mãe: um anjo a quem Deus emprestou um corpo".
Mamãe não está mais aqui. Não a tenho mais ao meu lado. Ela não recita mais suas longas e maravilhosas poesias. Ela não me olha mais dentro dos meus olhos para me repreender como fazia quando eu praticava alguma estripulia. Eu não mais a ouço cantar e nem a vejo mais de joelhos por detrás da porta do seu quarto orando em súplica pelos seus.

Mamãe não está mais aqui. Ela não pode me convidar para comer o bacalhau com batata, o frango assado que fazia. Ela não está mais aqui para dizer: Adonai; coloca mais comida no prato do Mauro.

Mamãe não está mais aqui. Ela não pode mais me ouvir os queixumes e me aconselhar com uma sabedoria bíblica que encontrei em poucas pessoas.

Mamãe não está mais aqui. Não posso vê-la testemunhar vigorosamente de sua fé na pessoa de Jesus Cristo. Ela foi o instrumento para a conversão dos seus dois maridos, Vincenzo e Adonai.

Mamãe não está mais aqui. Não posso ver mais seus cabelos bem penteados e fininhos como os meus. Não posso mais sentir o cheiro dos seus perfumes e nem ver mais o quanto ela era elegante e ao mesmo tempo super decente.

Mamãe não está mais aqui para me contar suas histórias de Marília com suas amigas Nora e Hermínia. Ela não está mais aqui para encantar minha vida como uma “fada madrinha”.

Mas é interessante eu dizer que ela não está mais aqui. Com certeza não está fisicamente, mas sua vida foi tão marcante em minha vida que por fim eu posso dizer: Sim mamãe está aqui. Ela vive em minhas mais doces lembranças. Por isso vou resistir e não chorar. Vou apenas aguardar o dia em que estaremos juntos no Novo Céu e Nova Terra e então ambos diremos: Enfim, estamos todos aqui!
As mães de verdade nunca nos deixam. Elas vivem em nossas memórias, nas lembranças mais alegres nos nossos corações. Mãe é uma flor que nunca murcha, ainda que venha os rigores do outono ou o frio do inverno em nossas vidas. Assim é com Yolanda Dalceno Aiello.
Ainda ontem passei bem pertinho do lugar onde tu descansas e hás de levantar para a Eternidade. Descanse na paz que teu Senhor te dá, mamãe.
Um milhão de beijos em todas as mães e principalmente em você Angela Isabel Aiello, minha esposa, mãe exemplar como foram a tua e a minha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS