terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A IGREJA (11) QUANTO MAIOR MELHOR?



“....Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”. Atos 2.47b

Uma das perguntas que mais me fazem quando vou pregar e cantar nas oportunidades que tenho e para as quais sou convidado é: Rev. Mauro; quantos membros tem sua Igreja?  Algumas vezes respondo o número aproximado e na maioria das vezes eu digo: - Mais do que mereço e tenho capacidade de cuidar.

Na verdade a pergunta não tem o interesse em saber mesmo quantos são os membros da Igreja, quão grande é a Igreja que pastoreio. A intensão é saber se eu sou um “sucesso” como Pastor. Sim, porque é comum pensar que sucesso no pastorado resulta em Igrejas com número grande de membros.

Ao longo dos meus anos de Pastorado tenho sido testemunha dessa preocupação. Um dos livros mais vendidos no Brasil foi o de Rick Warren intitulado UMA IGREJA COM PROPÓSITOS, onde o autor conta sua experiência de implantação de Igreja em Saddleback em que no período de 17 anos passaram de 03 para 13.000 membros.

Eu li o livro e fiquei atônito em ver como isso se tornou possível e fiquei mais espantado em ver quantos Pastores no Brasil se deixaram seduzir pelo “método” utilizado por Rick Warren.

A primeira observação que desejo fazer nesse sentido é que não podemos adotar métodos de crescimento de Igreja porque eles simplesmente não existem. Isso é, em meu entendimento, uma enorme falácia. O grande problema com o movimento intitulado Crescimento de Igrejas é que o pragmatismo acaba sendo a base, o alicerce do movimento. Para dizer isso de outra maneira, não importa os meios, mas sim os objetivos, ou seja, não importa o que se faça desde que a Igreja cresça numericamente. Isso é pragmatismo.

O melhor método de crescimento de Igreja está localizado em Atos 2.41-47. E observe que aquela comunidade não possuía a estrutura que temos hoje, mas o texto diz que ela crescia e era simpática. Olhe para aquela Igreja; estude-a, reflita em suas características e você verá que não há nenhuma fórmula mágica. Veja as dicas! Elas estão ali.

Tenho visto no Brasil muitas comunidades florescerem com essa base, ou seja, o pragmatismo. E a maioria dessas comunidades possui um bom orador, um inquietante e reacionário pregador, um homem carismático e com magnetismo pessoal, uma personalidade magnânima e bom administrador de egos. Eles apresentam um novo modelo de “igreja” porque entendem que o “velho” modelo já não é mais atraente. Eles acabam por formatar uma comunidade em que o que importa é a pessoa se sentir bem, ouvir boa música, entrar sem ser notada e sair sem ser percebida, uma comunidade onde o senso de verdadeira koinonia é totalmente estranho, onde um grupo de privilegiados faz parte da direção e cuida dos aparatos litúrgicos, e onde as pessoas são totalmente estranhas umas às outras, não há envolvimento, engajamento, comunhão verdadeira, intensa, profunda. É uma comunidade impessoal e não há paradoxo mais cruel do que esse.

O que há mesmo é uma massa que se distrai com boa música, um belo discurso e até bons sermões. Entretanto, ao analisarmos a vida desses que compõem a membresia dessas Igrejas percebemos que a maioria é composta de desigrejados, insatisfeitos com as suas Igrejas de origens, ou mesmo gente catequizada pelo grupo e que tem em sua mente a percepção de que sua igreja é única e que as outras não são igrejas.

O foco é esse – multidão. O foco é esse – número, quantidade, tamanho. Quanto maior a Igreja, melhor ela é! Alguns dizem orgulhosamente: - Minha Igreja tem 3.000 membros. E arrematam para humilhar: - Quantos membros têm a tua? 

Seria mesmo verdadeira essa premissa? Igreja maior é melhor?

Se você é pastor de uma Igreja de 100 membros, então você não é um bom Pastor, mas se a Igreja que você Pastoreia tem 1000 membros ou mais, então você é respeitado, admirado, convidado para falar sobre Igreja e daí por diante. É isso mesmo?

Sinceramente, meus queridos leitores, nada é mais enganoso e ardiloso do que isso.

Em minha trajetória de vida tenho conhecido Pastores, verdadeiros homens de Deus que se entregaram de corpo e alma ao Sagrado Ministério, eram excelentes pregadores, e cuidadores de almas, mas que sempre Pastorearam pequenos rebanhos. Por outro lado o que tenho encontrado por aí de gente controversa, problemática, pouco confiável, pastoreando grandes Igrejas é uma enormidade.

Não cometo o pecado da generalização. Conheci picaretas no ministério pastoreando pequenas Igrejas e conheci verdadeiros servos de Deus pastoreando Igrejas grandes. Mas reafirmo e assumo o compromisso de responder por minhas palavras diante de Deus: não se mede a capacidade de um Pastor pela quantidade de membros que ele tem sob seus cuidados. Isso é tolice e todo Pastor que se deixa vencer por essa falácia de que o sucesso na carreira ministerial está estritamente relacionado com o tamanho da Igreja que pastoreia, com o passar do tempo começa a abrir mão de princípios primordiais no Ministério Sagrado.

Não é a maior Igreja a melhor Igreja! Não se mede o sucesso ministerial de um Pastor pela quantidade de membros que tem sua Igreja!

Se isso fosse verdade então teríamos que dar a mão a palmatória em favor do senhor Edir Macedo. Mas a Igreja Universal do Reino de Deus, em meu entendimento, não deve nem ser considerada Igreja Cristã legítima. O mesmo se aplica a toda e qualquer Igreja neo pentecostal que tem como mensagem central a “teologia (que eu prefiro chamar de teoria) da prosperidade”.

Como já escrevi em outros artigos sobre a Igreja; uma igreja divorciada da Palavra de Deus é uma comunidade sem alicerce. Nessas comunidades o peso não está na Bíblia, mas naquilo que o “grande líder” diz. Por isso, como já me pronunciei aqui, essas comunidades gigantescas têm sempre um líder, uma personalidade singular. E eles amam trabalhar com multidão, porque multidão não tem coração e nem razão. A multidão é a soma das personalidades das pessoas que dela fazem parte. O indivíduo cede à multidão à sua personalidade deixando de ser ele para ser a multidão. Por isso sou contra grandes eventos tais como Marcha Para Jesus, que na verdade em meu entendimento é marcha, mas não para Jesus e sim para lustro dos seus idealizadores. Sempre serei contra qualquer discurso populista porque esses discursos são ufanistas, alheios à realidade e eivados de demagogia e hipocrisia.

Sou contra a existência de grandes Igrejas com algumas raras exceções.

Grandes Igrejas, mesmo possuindo liderança espiritual bíblica e eficiente, são comunidades impessoais. Perde-se o senso de comunhão verdadeira. A adoração é adoração prestada por pessoas alheias umas as outras, pessoas estranhas. O culto é comunitário, mas não há verdadeira comunhão porque as pessoas não se conhecem e nem desejam se conhecer.

O Pastorado é impessoal. O Pastor não tem condições de cuidar de um rebanho enorme. O Pastor de verdade é aquele que possui o cheiro da ovelha. Ele vive entre elas. Ele vê ovelhas nasceram. Ele sepulta ovelhas. Ele aconselha ovelhas. Ele casa as ovelhas, ele se envolve emocionalmente com os dramas de suas ovelhas. Ele visita suas ovelhas que precisam dos seus cuidados. Ele reconcilia ovelhas em litígio. Ele chora com suas ovelhas, ele alimenta as ovelhas com o alimento adequado porque as conhece intimamente e sabe do que elas precisam.

Sou um árduo defensor de que deveríamos ter um maior número de Igrejas com um menor número de membros. Deveríamos dividir algumas grandes Igrejas em três ou quatro outras Igrejas. Sei que há alguns Pastores que irão me sacrificar ao ler isso, mas não somos donos das ovelhas. São ovelhas do rebanho de Deus. E dessas ovelhas iremos prestar contas. Então seria melhor mesmo que fosse menor o número de ovelhas sob nosso cuidado para que pudéssemos nos incumbir dessa tarefa de forma mais eficiente.

Continua......

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS