sexta-feira, 19 de maio de 2017

ATOS DOS APÓSTOLOS - 11º ATO – MILAGRES DE VERDADE OU TESTEMUNHO DA VERDADE? – Atos 5.12-42


Lucas fornece aos seus leitores, mais um relatório sobre o crescimento da Igreja Cristã em Jerusalém.

Ele diz que muitos sinais e prodígios eram feitos pelos apóstolos. Havia conversões e o número de crentes aumentava, mas não eram poucos os que evitavam conviver com os crentes com o receio de serem duramente perseguidos e até mortos. Muitos eram libertos de espíritos malignos e outros curados de suas enfermidades.

A inveja entra em cena mais uma vez. As autoridades da religião judaica se insurgem contra os apóstolos e os recolhe à prisão pública. Entretanto, um anjo vindo da parte de Deus abre as portas do cárcere e os conduz para fora lhes ordenando que se apresentassem no templo e dessem testemunho a respeito “desta vida”. O evangelho de Jesus Cristo veio trazer vida aos que estavam espiritualmente mortos.

O sumo sacerdote convocou o Sinédrio para ouvir os apóstolos, mas quando os guardas foram ao cárcere busca-los descobriram que a despeito das celas estarem fechadas com segurança e as sentinelas nos seus postos, o cárcere estava vazio. Todos ficaram perplexos! Foi então que alguém lhe informou que os apóstolos estavam no templo ensinando o povo. Os guardas então, sob o comando do capitão os trouxeram, sem violência, até o Sinédrio onde foram interrogados sobre a pregação a respeito de Jesus já que eles haviam recebido ordens de que não fizessem mais isso. Pedro, falando em nome dos apóstolos disse: “Antes importa obedecer a Deus do que aos homens. O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus a quem vós matastes, pendurando-o num madeiro. Deus, porém, com sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados. Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que lhe obedecem”. (Atos 5.29-32)

A passagem bíblica considerada aqui, nos informa que os membros do Sinédrio se enfureceram a tal ponto que queriam mata-los. E o fariam, se não fosse a interferência de um dos seus membros muito conceituado: Gamaliel. Sua fala revela sabedoria, prudência. Ele se reporta a dois episódios a respeito de dois religiosos que causaram certa agitação, antes de Jesus – Teudas e Judas, o galileu – mas cujas obras não progrediram por não serem de Deus. Gamaliel considerou que se o que os discípulos de Jesus testemunhavam não tinha origem em Deus, assim como aconteceu com as obras de Teudas e de Judas o galileu, o mesmo iria ocorrer com a obra de Cristo e que se o que os discípulos testemunhavam era legítimo, então eles estariam lutando contra o próprio Deus.

Os membros do Sinédrio concordaram com as considerações de Gamaliel e chamaram os apóstolos, os açoitaram, ordenaram, mais uma vez, que não falassem em nome de Jesus e os soltaram.

Os apóstolos se retiraram do Sinédrio jubilosos por terem sido considerados dignos de sofrer afronta por causa do nome de Jesus. “E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo”. (Atos 5.42)


CONCLUSÃO E APLICAÇÃO


O testemunho a respeito de Jesus sempre encontrará oposição. É uma luta contra os principados e as potestades do mal. Seus agentes são homens. Muitas vezes religiosos e autoridades, mas por detrás deles há o Adversário, o Inimigo, Satanás.

O poder para testemunhar de Jesus, em situações adversas, não é gerado em nosso gênio inventivo, em nossa criatividade humana, em nosso poder de persuasão, em nossa intelectualidade teológica, mas na presença do Espírito Santo em nós. Jesus havia vaticinado a esse respeito quando afirmou: “...mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judéia, Samaria a até aos confins da terra”. (Atos 1.8)

Esse é considerado o versículo chave do livro de Atos dos Apóstolos.

Para podermos testemunhar de Jesus com poder, é preciso que estejamos cheios do Espírito Santo. O cristão deve entender que essa deve ser sua preocupação de cada dia, ou seja, a plenitude do Santo Espírito de Deus. Somente quando o Espírito Santo nos enche é que nos tornamos uma fonte a jorrar para a vida eterna. Foi isso que Jesus disse à mulher samaritana junto ao poço de Jacó. O Espírito Santo nos enche da Palavra e então nos tornamos fontes que jorram, incontrolavelmente, automaticamente e prazerosamente. Quando estamos cheios do Espírito Santo nos revelamos, além do poder, o prazer de testemunhar a respeito de Jesus, o Cristo.

Nesse trecho que consideramos, o foco não está nos milagres de cura, nem na libertação milagrosa do cárcere. Se você ler com atenção o texto, você verá que o cerne desse relato Lucano de Atos 5.12-42 é o testemunho a respeito de Jesus.

Milagres não convertem corações. Se isso fosse possível Israel teria chegado á Terra Prometida em 40 dias, mas apesar de tantos milagres desde as dez pragas no Egito, o Mar Vermelho se abrindo e muito, muito mais, o coração do povo se revelou duro. Milagres podem fortalecer nossa fé, encher nosso coração de júbilo e regozijo pela intervenção divina em nosso favor, mas milagres não produzem fé. Quem crê em milagres não precisa ver milagres para crer.

O foco do relato aqui nesse trecho do livro de Atos é o testemunho. Foi por causa do testemunho que os apóstolos foram presos. Foi por causa do testemunho a respeito de Jesus que eles tiveram que testemunhar a respeito de Jesus ao Sinédrio e mesmo tendo sido açoitados e ordenados a não mais pregar a respeito de Jesus, eles, cheios do Espírito Santo, ousaram desobedecer as autoridades e obedecer a Grande Comissão.

O desafio continua em pé: testemunhar a respeito de Jesus como Salvador e Senhor. A desafio e pregar aquilo que Jesus fez na cruz pelo eleito de Deus e não aquilo que queremos que Ele nos faça. Não duvidamos dos milagres relatados por Lucas em Atos. Mas fica evidente que testemunhar a respeito de Jesus é a tarefa que cada discípulo de Jesus tem a cumprir.

Diante do Sinédrio não se falou e nem se questionou a respeito dos milagres; se eram legítimos ou não. A questão toda era calar os lábios dos apóstolos para que não falassem mais em o nome de Jesus. O texto não diz que eles continuaram a fazer milagres, mas deixa claro e evidente, que eles continuaram a pregar a respeito do Salvador.

Façamos isso e deixemos os milagres acontecerem de acordo com a vontade soberana do Deus que converte corações, sendo esse o maior de todos os milagres.

Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS